Período Permiano

O Período Permiano foi considerado o último da Era Paleozoica, vindo depois do chamado Período Carbonífero, entre 299 e 251,9 milhões de anos atrás.

Roderick Murchison foi o geólogo estudioso que criou o nome Permiano, que derivou de uma área repleta de rochas localizada na região oeste da Rússia, chamada de Perm.

O Período Permiano sofreu a seguinte divisão:

  • Época Cisuraliana;
  • Época Guadalupiana;
  • Época Lopingiana.

A ordem de subdivisão apresentada acima caminha da mais antiga para a mais recente. Naquela época, a Pangeia estava formada e a outra área do planeta era composta pelo Pantalassa, conhecido como um superoceano.

As massas terrestres, portanto, eram concentradas. Isso reduzia os níveis de oxigênio, os espaços se tornavam menos úmidos e com poucos pântanos, diminuindo a existência das florestas maiores. Enfim, começava a se criar um ambiente desértico!

No Período Permiano, os animais e as plantas tiveram que fazer uma grande adaptação para sobreviver. Entre as espécies vegetais que sobreviveram bem nesta época, estão as seguintes:

  • Cicadófitas;
  • Coníferas;
  • Ginkgófitas.

Enfim, as plantas gimnospermas, que produziam sementes, eram predominantes. A redução de oxigênio também fez eliminar os artrópodes gigantes, assim como os anfíbios ficaram menos diversos. Por outro lado, os primeiros percevejos e besouros começaram a aparecer.

Em todos os continentes no Período Permiano os amniotas passaram a predominar, uma vez que dependiam menos de água.

Saurópsidas – Uma grande linhagem de amniotas com aves e répteis, conhecidos como rostos de lagarto.

Sinápsidas – Grupo do qual os mamíferos se originaram.

Terápsidas – Grupo importante e diferente, já que os membros ficavam abaixo do corpo e eretos. Houve também o surgimento dos dinossauros e crocodilos, chamados de saurópsidas arcossauriformes.


Os mares eram dominados pelos seguintes seres no Período Permiano:

  • Amonites;
  • Braquiópodes;
  • Foraminíferos;
  • Briozoários.


Período Permiano – Maior extinção da história do planeta!

Foi no Período Permiano que a Terra registrou a maior extinção em massa. Este acontecimento ficou classificado como “A Grande Agonia”, quando 70% das espécies terrestres foram dizimadas, assim como 95% das espécies marinhas, que simplesmente desapareceram. A biodiversidade ficou severamente afetada.

“A Grande Agonia” aconteceu em decorrência de uma série de fatores, entre eles os seguintes:

  • A Sibéria foi inundada por basalto;
  • Cerca de 2 milhões de km² ficaram cobertos de lava;
  • A atmosfera ficou repleta de dióxido de carbono;
  • O fundo do oceano ficou com metano aprisionado;
  • A temperatura terrestre subiu em 5ºC;
  • Os mares ficaram mais quentes e as correntes dos oceanos alteradas;
  • A dissolução de oxigênio na água ficou afetada;
  • Os seres marinhos morreram sufocados.

Amonita, Fossil do Periodo Permiano
Amonita, Fóssil do Período Permiano. Crédito da foto: Natasha Rethke / Pixabay

Assim, por esses motivos, também desapareceram os corais rugosos e outras espécies, como:

  • Foraminíferos;
  • Briozoários;
  • Gastrópodes;
  • Amonites;
  • Braquiópodes;
  • Crinoides;
  • Blastoides;
    Trilobitas;
  • Escorpiões-marinhos;
  • Corais tabulados;
  • Corais rugosos;
  • Peixes acantódios.

Os herbívoros maiores foram severamente afetados, principalmente os anfíbios das famílias terápsidas, saurópsidas e labirintodontes. Muitos insetos desapareceram, algo novo nas extinções em massa até então.

A recuperação do ecossistema do nosso planeta levou 30 milhões de anos após estes acontecimentos. Porém, logo depois da era Paleozoica, começou um dos períodos mais interessantes da história, a Era Mesozoica, amplamente conhecida e apreciada por causa dos dinossauros!

Período Permiano



Por

Compartilhe