Arqueologia

A arqueologia é um ramo da ciência que se dedica a estudar o passado, através de indícios que são descobertos e que servem de orientação para entender como eram estruturas das civilizações que habitaram o nosso planeta. A partir de vestígios que são encontrados pelos pesquisadores, é possível entender melhor sobre culturas passadas, de maneira organizada e científica.

Com a arqueologia, é possível reconstruir o passado a partir de evidências mais precisas, principalmente por meio da datação temporal (para saber há quantos anos algo aconteceu), utilizando para isso subsídios materiais. Assim, os vestígios encontrados são analisados a partir de um ponto de vista antropológico e histórico.

Já na Idade Média, a antropologia começou a ser estudada quando ocorreram os primeiros estudos em busca de encontrar o Templo de Salomão e a Terra Santa.

No século 17, os estudiosos voltaram seus interesses para a cultura greco-romana, e a arqueologia foi utilizada para entender mais sobre a cultura e a arquitetura dos gregos e romanos, principalmente pela interpretação das ruínas dos antigos palácios.

A consolidação da arqueologia aconteceu no século 19, quando em 1824, Jean-François Champollion decifrou na Pedra de Rosetta os hieróglifos egípcios. Soldados de Napoleão haviam achado a pedra em 1798, e a interpretação de ruínas egípcias permitiram entender sobre a civilização em uma perspectiva de até 3 mil anos.

O Egito passou a ser um dos lugares mais procurados pelos arqueólogos e, principalmente, pelos especialistas em civilização egípcia, conhecidos como egiptólogos. Natural da Inglaterra, Flinders Petrie encontrou os primeiros sítios arqueológicos do Egito, com descobertas importantes na região da cidade do Cairo, onde estão as grandes pirâmides do Vale de Gizé.

Petrie tinha um assistente que se chamava Howard Carter, responsável por descobrir onde estava a tumba do faraó Tutankhamon. Já a civilização micênica foi estudada, principalmente, por Heinrich Schliemann, um pesquisador alemão.


Estudo sobre a pré-história

A arqueologia do século 20 foi importante para entender mais sobre tempos remotos, principalmente a pré-história. A termoluminescência e o Carbono-14 foram usados como novos sistemas de datação.

Os pesquisadores também passaram a usar outros mecanismos de datação importantes, como os seguintes:

  • Instrumentos de pedra;
  • Tecidos;
  • Cerâmicas;
  • Ossadas humanas;
  • Paleontologia.


Arqueologia no Brasil

O Piauí, no Brasil, possui um importante sítio arqueológico em São Raimundo Nonato, na Serra da Capivara. Em 1960, Niéde Guidon, uma arqueóloga reconhecida por seus estudos, encontrou o maior acervo do planeta com pinturas rupestres.

Em apenas um local da serra, foram descobertas cerca de 3 mil pinturas, que são usadas como pistas importantíssimas para compreender sobre civilizações antigas. No local, também foram encontrados vários outros tipos de vestígios, entre eles materiais fósseis de milhares de anos atrás.

Arqueologia



Por

Compartilhe