Anfíbios

Biologia
Por

Os animais vertebrados que podem viver no ambiente terrestre e aquático são chamados de anfíbios. Manter a umidade da própria pele pode ser uma questão vital para os anfíbios e, por isso, eles se utilizam do ambiente terrestre, mas estão sempre próximos da água ou imersos nela. Para fecundar, muitos anfíbios também recorrem ao ambiente aquático.


Como são os anfíbios?

Os anfíbios dependem da água doce para sobreviver, salvo raras exceções, entre elas os seguintes animais:

  • Rã-aguadeira, animal presente na Austrália e que vive em ambiente de deserto;
  • Rã que come caranguejos, que vive na água do mar.

Os anfíbios podem promover trocas gasosas nos pulmões através da permeabilidade da pele, por onde essas trocas de gases, essenciais para a sobrevivência, podem ocorrer.

O coração dos anfíbios possui um ventrículo e dois átrios, fazendo o sangue ser transportado com mais facilidade. A definição das patas dos anfíbios é muito nítida, os olhos são protegidos por pálpebras, eles possuem tímpanos, além de intestino e estômago para fazer a digestão.

Mesmo possuindo dentes, a mastigação não faz parte do processo de digestão dos anfíbios. Para capturar suas presas, geralmente insetos, os anfíbios possuem uma língua muito comprida, capazes de envolver seu alimento em uma espécie de muco que, além de prender o inseto com mais eficiência, ajuda no processo de digestão.

Sapos

Permeabilidade da pele dos anfíbios

A pele dos anfíbios possui as seguintes características marcantes:

  • Permeável;
  • Vascularizada;
  • Lisa.

Os anfíbios fazem a captação de água para o funcionamento do organismo por meio da permeabilidade da pele. A pele nos anfíbios é tão importante que a estrutura serve para trocar o gás entre o ar e o sangue, ou seja, para auxiliar na respiração.

Uma das preocupações dos anfíbios é manter a pele úmida. As glândulas presentes na pele dos anfíbios também podem ter outras serventias, como armazenar veneno que serve para proteger no caso de algum tipo de ataque, como é observado nos sapos.

Para respirar, algumas estruturas são fundamentais para os anfíbios. São elas:

  • Pulmões;
  • Mucosa da faringe;
  • Mucosa da boca;
  • Pele.

Dois sacos formam os pulmões, que não são divididos. Na região da boca estão as narinas. A respiração branquial é realizada quando ainda são larvas e vivem apenas em ambiente aquático.

Para se reproduzirem, os anfíbios realizam a fecundação externa para obter a reprodução sexuada. Os óvulos da fêmea são colocados na água, para, posteriormente, o macho depositar o espermatozoide.

Antes de se tornarem adultos através da metamorfose, os anfíbios sobrevivem como larvas no espaço aquático.

Compartilhe