Período Ordoviciano

O Período Ordoviciano ocorreu entre 488 milhões de anos atrás e 443 milhões de anos atrás. O termo ordovices, em latim, faz referência a uma área específica do País de Gales, dando nome a este período, onde a movimentação de placas tectônicas era muito comum, causando vários terremotos.

Ao comparar o Período Ordoviciano com a nossa era atual, é possível dizer que o mar era muito mais alto antigamente, estava em níveis acima dos de hoje. O gás carbônico era encontrado em grandes quantidades na atmosfera.

Gondwana era o supercontinente da era, onde as massas continentais estavam posicionadas, mais apontadas para o sul. O clima era agradável e com bastante umidade, principalmente por causa da invasão dos mares rasos.

O Pantalassa era o maior oceano deste período e ficava no hemisfério norte. As rochas eram formadas por uma quantidade razoável de sulfeto de ferro, provavelmente vindo dos graptólitos. Também eram formadas por compostos orgânicos e argilitos escuros.

Durante o Período Ordoviciano, o planeta começou a se resfriar, quando o Hemisfério Sul foi tomado por uma grande camada de gelo.


A vida no Período Ordoviciano

No Período Ordoviciano dominaram, principalmente em ambiente marítimo, os invertebrados, com grande destaque para os trilobitas, além dos braquiópodes e graptólitos. Também eram comuns as seguintes manifestações de vida:

  • Lírios-do-mar;
  • Moluscos cefalópodes que se pareciam com lulas;
  • Corais;
  • Algas.

Os peixes sem mandíbula se desenvolveram no Período Ordoviciano, como foi o caso dos ágnatos. Os peixes ósseos e tubarões também se destacaram neste período, entre os vertebrados.


Durante o Período Ordoviciano, é importante destacar o desenvolvimento dos grupos de graptólitos:

  • As colônias interligadas foram compostas neste período;
  • Alguns ficavam flutuando na água;
  • Outros ficavam estáticos em ambiente submarino.

Os peixes primários surgiram sem maxilas, entre eles o Arandaspis. Os alimentos eram captados na água, através de partículas, que eram sugadas pelas bocas em posição aberta permanente, em formato circular.

Houve, durante o Período Ordoviciano, uma grande proliferação das algas em água doce. Nos espaços terrestres, aconteceu uma extensa colonização de plantas que são muito parecidas com musgos. Antes disso, apenas os líquens estavam ambientados com o meio terrestre.

Como as briófitas precisavam de água para sobreviver, elas só eram encontradas próximas de córregos e lagos, onde conseguiam encontrar as condições ideais de reprodução.


Os organismos filtradores também se expandiram neste período, tais como:

  • Bivalves;
  • Equinodermos;
  • Briozoários;
  • Braquiópodes.

Os gastrópodes foram considerados os organismos móveis que eram carnívoros e herbívoros. Como detritívoros e carnívoros, destacaram-se os trilobitas.

O Período Ordoviciano foi encerrado depois de uma grande extinção, quando vários organismos foram dizimados. O evento principal que teria marcado o final deste período seria o frio intenso do período Glacial.

Por causa do gelo, aproximadamente 60% das espécies do Período Ordoviciano foram totalmente extintas. Dos invertebrados marinhos, cerca de 25% também foram dizimados pelas geleiras.


Crédito da imagem da capa: Liopleurodon93 - Wikimedia


Veja também:

Tempo Geológico

Período Ordoviciano



Por

Compartilhe