Capitalismo de Estado

Na Revolução Russa, nasceu um novo conceito econômico chamado de Capitalismo de Estado. Essa nova metodologia de exercer e organizar o poder econômico tinha como foco principal solucionar a economia e suas relações, consideradas atrasadas e insuficientes.

Na prática, o Capitalismo de Estado é designado para países que são capitalistas, mas onde a economia é fortemente controlada pelo Estado. Além disso, o conceito também se aplicaria aos países nos quais a economia e a política fossem socialistas, e entre os maiores exemplos estavam Cuba e URSS.

Nesta economia, os trabalhadores são explorados por meio da mais-valia. A produção costuma ser controlada pelo Estado. Todos os meios de produção são de responsabilidade do governo. As pessoas mais próximas do centro de poder compõem uma nova burguesia, que fica com quase toda a parte de produção de riqueza e com alta concentração de renda.

Estado controlando toda a economia

Por outro lado, em países socialistas, o Governo age para combater o liberalismo. O mundo já registra diversos exemplos históricos de Capitalismo de Estado.

Leia também: O Liberalismo Econômico, Saiba o que é a Economia Austríaca


Regimes reconhecidos pelo Capitalismo de Estado

No caso dos fascistas, na Itália, o Estado interveio de forma direta na economia, com a prática de corporativismo, proteção da propriedade e da iniciativa privada.

Leia também: Fascismo

O liberalismo já foi praticado por uma série de países. Neste caso, as empresas e corporações são prioridade e formam uma parceria com o governo.

Nos trotskistas, a classe burguesa exercia um domínio social e controlava uma série de empresas. Já os marxistas, tornavam as indústrias produtoras de riqueza para o Capitalismo de Estado e as classes sociais acabavam se unindo em prol da igualdade.

A ação governamental, em todos os exemplos, foi central. Os governantes trabalhavam para a correção de problemas, estabelecimento de normas, direção das corporações, acúmulo de riqueza, gerenciamento nos gastos de recursos estatais e aumento das vagas de trabalho.

Um dos maiores exemplos atuais sobre o Capitalismo de Estado é a China, um país com alto volume de produção, redução dos custos operacionais com diminuição dos direitos trabalhistas, preços interessantes para a concorrência e inovação tecnológica. Em alguns casos, é possível até mesmo observar a população com uma qualidade de vida elevada e maior sensação de bem-estar.

O Capitalismo de Estado também atua para fazer o setor público crescer. O problema deste modelo é que a força de produção, em certo momento, acaba ou enfraquece. Em consequência, o crescimento da economia fica estagnado e acaba pedindo socorro novamente à iniciativa privada.


Tópicos Relacionados

Leia também! Assuntos relevantes