Intervenção política agrícola que ocorre quando o poder estatal altera estruturalmente o mundo rural. Nesse sentido limitante, é um fenômeno do final do século XIX e, especialmente, do século XX. A ação envolve a distribuição de propriedades fundiárias, contratos agrícolas e políticas econômicas: geralmente as grandes propriedades mal cultivadas e os contratos mais arcaicos são atingidos. 

A expropriação pode ocorrer com compensação para os antigos proprietários ou sem: no primeiro caso, a classe de terra obtém capital e, portanto, retém o poder; no segundo, a substituição social é mais drástica. A reforma agrária, portanto, modifica o tipo de propriedade predominante da terra, a distribuição da população, a malha de assentamentos: grandes proprietários com grandes terras, onde geralmente, a maior parte aproveitável não é utilizada, e então esses lotes são doados para famílias que vivem no campo, ou que possuem uma renda baixa.

Altera os resultados econômicos, cultivando áreas improdutivas ou modificando o uso da terra. Seu propósito é frequentemente também social e político para substituir uma classe rural por outra (por exemplo, a oligarquia terrestre com figuras camponesas) e para dar um papel às massas camponesas anteriormente à margem da sociedade.


Por que fazer uma reforma agrária?

Como já vimos, a reforma agrária é responsável por distribuir terras para famílias com poucas condições de vida, afinal, por que não seria uma boa ideia? Para o agronegócio não é favorável, pois eles saem perdendo. Eles só esquecem que quando ele perde um pouco, alguém ganha o relativo a este “pouco” também e a economia é capaz de circular.

Reforma Agrária


Reforma Agrária no Mundo

Este movimento foi adotado em várias localidades do mundo, incluindo os Estados Unidos. Em 20 de maio de 1862, o presidente Abraham Lincoln sancionou a lei da fazenda rural, que tem o mesmo objetivo de privilegiar pequenas famílias com terras, fazendo a divisão justa de quem possuía mais e quem não tinha nada.

Para garantir a terra, o solicitante devia ser chefe de uma família e ter 21 anos ou mais e tinha de fazer a garantia de que ia permanecer e trabalhar na terra por pelo menos 5 anos, além de pagar uma taxa administrativa.

Na China, foi necessário que o partido Comunista assumisse a Reforma Agrária para que ocorresse a industrialização e economia moderna. Alemanha, Espanha, França, Itália, Inglaterra, países escandinavos e até Japão, Israel e Irlanda conseguiram fazer a reforma agrária, mas não foram em todos os países que a reforma agraria foi bem desenvolvida ou fora desenvolvida de fato.


A Reforma Agrária Atualmente

Em alguns países, como já citamos a reforma agrária se deu bem e ajudou os mesmos países a se desenvolver socioeconomicamente, o que não é o caso do Brasil. Atualmente, esse assunto foi esquecido, apenas estrou para a história e não se toca mais nele. Acreditamos que uma nova tentativa para adesão da Reforma agrária nos dias atuais, seria muito importante, principalmente no Brasil.


Veja também:

Reforma Agrária Brasileira

Leia também! Assuntos relevantes