A atual crise na Venezuela

A atual crise que assola a Venezuela tem sido muito falada no Brasil, principalmente por causa dos efeitos que a situação tem gerado para a região norte brasileira. Estima-se que mais de 50 mil venezuelanos tenham cruzado a fronteira do Brasil apenas em 2018, fugindo da fome e das condições precárias de vida no país vizinho.

O Estado de Roraima tem recebido um número cada vez maior de venezuelanos, fato que tem gerado conflitos de diversas naturezas na região. O fechamento da fronteira brasileira foi cogitado pelo governo estadual, mas a decisão foi negada pela justiça. A situação mais crítica está na cidade de Pacaraima, localizada na fronteira com a Venezuela. O município vem recebendo a população do país vizinho desde 2016.

Toda essa crise levou a Venezuela a um grave colapso econômico, a um desabastecimento expressivo de alimentos e medicamentos e a um caos social. A violência tomou conta do país e a retração da economia já dura mais de 12 trimestres. A situação fez com que o PIB da Venezuela caísse mais de 37% entre os anos de 2013 e 2017.

Protesto na Venezuela


Como começou a crise da Venezuela?

A crise começou por causa da dependência da Venezuela em relação ao petróleo, que é o único recurso que gera receitas para o país no mercado externo. O produto corresponde a 96% das exportações do país.

No governo do militar Nicolás Maduro, que assumiu a Venezuela em 2013, após a morte de Hugo Chávez, o país viveu uma injeção de 750 bilhões de dólares provenientes das receitas do petróleo. No entanto, em 2014, com a queda do preço do barril de petróleo, o país começou a passar por dificuldades. O cenário mundial fez com que a Venezuela lucrasse menos com o produto e passasse a produzir cada vez menos petróleo.

Um esquema de corrupção e lavagem de dinheiro também foi descoberto neste momento, com o desvio de aproximadamente US$ 1,2 bilhão. O governo também piorou a crise com uma política econômica que controlava artificialmente a inflação. A combinação de todos estes fatores fez com que o país entrasse na pior crise de sua história.

Hoje, a Venezuela vive em quase total desabastecimento, não há sequer papel higiênico. A moeda local, o Bolívar, está completamente desvalorizada, e a população sofre as consequências de governos desastrosos.

Crise de abastecimento de alimentos na Venezuela


Qual a ideologia política da Venezuela?

A Venezuela tem sido governada por presidentes populistas, que ignoram o livre-mercado, têm caráter centralizador e que pertencem ao Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV). O chavismo, nome do movimento político protagonizado por Hugo Chávez e Nicolás Maduro, tem forte militarismo, extrema repressão contra a oposição e pouca independência entre os poderes. O governo controla a imprensa e detém o poder militar.

Para tentar amenizar a crise, o fundo de resposta a emergências da ONU liberou um montante de aproximadamente R$ 35 milhões para projetos de assistência alimentar e sanitária na Venezuela. Atualmente, 12% da população do país sofrem com a desnutrição, 3 milhões de venezuelanos estão refugiados e cerca de 70% dos cidadãos da Venezuela estão desempregados.


Veja também:

Imigração Venezuelana para o Brasil

Crise Europeia em 2012

A Crise na Rússia (1998)

A Grande Depressão: crise econômica de 1929

Texto publicado em 04/12/2018.

Leia também! Assuntos relevantes