Realismo - Naturalismo

O Realismo e o Naturalismo são movimentos artísticos e principalmente literários que se difundiram pelo mundo na segunda metade do século XX. Essas correntes de estilo significaram muito para o meio artístico e cultural da época, pois estabeleceram uma ruptura do romantismo e o início de um movimento inspirado na realidade.

O Realismo-Naturalismo foi um movimento literário de extrema importância no ocidente. Essa geração de escritores foi responsável por criar e publicar alguns dos mais relevantes livros de todos os tempos. São obras memoráveis e que, até hoje, são debatidas, estudadas, pesquisadas e cobradas em vestibulares e outras provas.

No Brasil, um dos grandes marcos surgiu em 1881, com a publicação de Memória Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, e O Mulato, de Aluísio Azevedo. Machado de Assis era um escritor essencialmente realista, enquanto Aluísio Azevedo adotava mais o tom naturalista. Entenda as duas correntes!


Realismo

O Realismo brasileiro tem como protagonista Machado de Assis. Suas obras tinham um forte aspecto psicológico, que indagava a existência humana. Em muitos livros, Machado trabalhou com o pessimismo existencialista, a loucura do homem, críticas à sociedade e temas polêmicos.

Basicamente, o realismo nasceu como uma reação contra o movimento do romantismo. Na Europa, essa corrente surgiu em 1857, na França, com a publicação de Madame Bovary, de Gustave Flaubert. Este foi considerado o primeiro romance realista da história.

O realismo foi bastante influenciado pelo Positivismo, pelo Socialismo e pelo Evolucionismo. Trata-se de uma literatura objetiva, materialista e contemporânea. A maior parte das obras pode ser classificada como romances documentais, que fazem um verdadeiro retrato da época em que foram escritos. Outros livros importantes foram: Quincas Borba e Dom Casmurro.


Naturalismo

O primeiro romance naturalista foi publicado em 1867. Essa obra foi "Thérèse Raquin", de Émile Zola. O naturalismo foi influenciado pelo avanço da ciência, o que justifica o cientificismo nas obras.

A narrativa naturalista foca a análise social e os grupos marginalizados. As obras mostram a repressão, a sexualidade e outros temas polêmicos. No Brasil, Aluísio de Azevedo, Júlio Ribeiro e Raul Pompéia seguiram este estilo.

Em partes, o romance realista e o romance naturalista são parecidos, mas o estilo de cada escritor era o que diferenciava as obras. No naturalismo, o tema do determinismo social era o mais predominante. Alguns livros importantes do naturalismo são: O Mulato, Casa de Pensão e O Cortiço.

Os dois movimentos literários nos ajudam a compreender um momento histórico do Brasil, no qual o país ainda era monárquico e escravocrata, mas passava por várias mudanças culturais, sociais e econômicas.

Leia também! Assuntos relevantes