Teoria da Biogênese e Criacionismo

INTRODUÇÃO
A Biogênese, teoria da origem da vida, é um termo invocado para tratar da criação da vida pela própria vida. Toda vida tem seu progenitor.

Nos conecta muito à ideia da criação do homem feito “à imagem e semelhança de Deus”. Mas será que o viés é o mesmo?

Vamos explorar um pouco dessas teorias versadas no estudo da Biologia?


O CRIACIONISMO

Antes de percorrer o pensamento de que a vida tal qual a concebemos no Planeta só pode se originar de outra vida, a Biogênese, corria há tempos a noção secular de que toda criação possui um Criador, a teoria Criacionista.

E bem antes a de que o homem era biologicamente imutável, o chamado Fixismo.

A ideia do Fixismo caminhou conjuntamente a do Criacionismo por se afinar com as concepções e paradigmas de “quem” seria Deus, o Criador, que “do barro fez o homem”.

Por muito tempo a Instituição Religiosa aventou com maus olhos qualquer ideia contrária a sua narrativa sobre a origem das espécies.

O paradigma religioso impunha uma interpretação rigorosa quanto a origem da vida. Pensamentos em limites estreitos poderiam provocar sérias cisões e perda de credibilidade, principalmente à Igreja Católica.

Em uma observância estreita podemos dizer ser o Criacionismo o completo oposto do Evolucionismo, que exprime a transformação das espécies ao longo do tempo.

De outro ponto, porém, ampliando a ótica, o Criacionismo pode ser visualizado fora da perspectiva religiosa, refletindo uma unidade de pensamento individualizado ou coletivizado do que seja “Deus” e a criação do Universo. Tal olhar, por certo, influenciado pelas constantes descobertas científicas.

À título de provas, contudo, considere essa ótica ampliada como uma incursão filosófica.

Afinal, descobertas científicas são por muitas vezes a causa cujo efeito é o transtorno e o desconforto de rever conceitos e estruturas de pensamento. Sair da zona de conforto pode ser doloroso. Foi assim com Charles Darwin, denominado “pai” da Teoria Evolucionista ao demonstrar que as espécies mudam e se adaptam.

O agora ícone pop, estampado em camisetas, sofrera maus bocados na época em que viveu. Ainda hoje é difícil convergir interpretações religiosas e conhecimento científico. Não se impressiona o Criacionismo ainda causar tanto “ti, ti, ti”.

E se o Criacionismo está mais para o Fixismo, a Biogênese, por outro lado, está para o Evolucionismo.


Teoria da Biogênese e Criacionismo, Criador e Evolução


A BIOGÊNESE

A Biogênese teve como incubadora contrapor a ideia de que a vida surge por uma Geração Espontânea (Abiogênese), fruto de uma força vital presente no ar; “do trigo brotam ‘ratos’”.

Afinal, aponta a teoria, como seria concebível nascer algo tão especial como a vida apenas por mera combinação de elementos nutritivos, como adubo e sucos?

A nossa facilidade de conceber o surgimento de uma vida através de outra(s), mesmo por intermédio do homem em uma placa Petri laboratorial, nem sempre foi assim intuitiva.

Por tal motivo, Francisco Redi, ainda antes da descoberta dos microrganismos, se dispôs a demonstrar a biogênese, efetuando no século XVII um experimento com pedaços de carne em frascos vedados e abertos. Nos frascos abertos surgiram larvas de insetos e nos fechados “nada”.

Com o advento do microscópio ficou impossível negar a existência de microrganismos invisíveis ao “olho nu”. Foi possível observar o mundo bacteriano, da vida unicelular e explicar a variável “exposição ao ar”.

Por fim, é preciso ressaltar que a teoria da Biogênese ganha ainda mais força com o experimento de Spallanzani e, em especial, o de Louis Pasteur. Pasteur demonstrou com presteza, no século XIX, que soluções nutritivas distantes do contato do ar e de seus microrganismos não produzem vida microscópica.