Charles Darwin (1809-1882) foi um cientista natural inglês que estabeleceu uma estrutura para a teoria da evolução - mostrando como o homem evoluiu a partir de formas de vida inferiores. Na época, sua pesquisa e publicação levaram a uma amarga controvérsia, mas sua teoria da evolução e seleção natural mais tarde se tornou aceita dentro da comunidade científica.


Infância e Formação

Charles Darwin nasceu em 12 de fevereiro de 1809 em Shrewsbury, Inglaterra. Ele nasceu em uma família rica e influente.

Aos 16 anos, concluiu o curso secundário em sua cidade natal e foi estudar medicina na Universidade de Edimburgo, porém ele gostada de História Natural e fazia coleção de pedras, moedas, plantas, conchas, ovos de pássaro e flores silvestres.

Ele não era um ótimo aluno, preferindo passar algum tempo em atividades ao ar livre. Darwin passou muito tempo discutindo ciência natural na Plinian Society. Em 1826, ele apresentou ao um pequeno grupo suas descobertas no campo da História Natural.

Em 1828, Darwin gostaria de se tornar um religioso e deixou a medicina pela carreira eclesiástica. Matriculou-se no Christ´s College em Cabridge, e três anos depois, concluiu o bacharel em Artes e continuou seus estudos para ser pastor da Igreja Anglicana.


Viagem ao mundo no Beagle

Depois de ganhar um interesse apaixonado pela Ciência Natural, Darwin acompanhou o geólogo Adam Sedgwick em uma expedição ao norte do País de Gales.
Ele também recebeu o convite para atuar como cientista natural em uma viagem para a costa da América do Sul a bordo do Beagle, navio enviado pela Coroa Britânica para mapear melhor o Hemisfério Sul.

No dia 27 de dezembro de 1831 e com 22 anos, Darwin embarcou no veleiro de 27 metros fazendo companhia ao capitão Robert Fitroy.

O navio chegou à costa do Brasil, aportando na Bahia e depois no Rio de Janeiro. Em seguida, foram para a Patagônia, Ilhas Malvinas e Terra do Fogo. Também visitou a costa ocidental da América do Sul, do Chile ao Peru. Esteve também nas Ilhas Galápoles e Ilhas Keeling.

Foto do Charles Darwin


A Origem das Espécies

Na época, a religião era uma força poderosa na sociedade e a maioria das pessoas considerava a Bíblia como a palavra infalível e literal de Deus. Isso incluiu a crença de que Deus criou o mundo em sete dias e o mundo tinha apenas alguns milhares de anos. No entanto, na viagem, Darwin começou a ver cada vez mais evidências de que a vida era muito mais antiga. Em particular, os Princípios de Geologia de Lyell sugeriam que os fósseis eram evidências de animais que viveram centenas de milhares de anos atrás.

Na viagem, Darwin fez anotações copiosas sobre espécies que encontrou em suas viagens. Em particular, nas Ilhas Galápagos, 500 milhas a oeste da América do Sul, Darwin ficou impressionado com a forma como o Finch era diferente em cada ilha. Ele notou que os Finch de alguma forma haviam se adaptado aos vários aspectos da ilha em particular.

Nos próximos 20 anos, Darwin trabalhou no dilema de como as espécies evoluem e pode acabar sendo bastante diferente em diferentes ilhas. Influenciado pelo trabalho de Malthus, Darwin surgiu com uma teoria da seleção natural e evolução gradual ao longo do tempo.

Darwin continuou a refinar sua teoria e cultivou intensivamente plantas para trabalhar em suas teorias. No entanto, percebendo como suas ideias eram controversas, Darwin demorou a publicá-las. Foi até saber que outro naturalista, Alfred Russel Wallace, desenvolvera ideias semelhantes, que Darwin foi galvanizado para publicar seu próprio livro.

Em 1859, o inovador “O Origem das Espécies” foi publicado. Imediatamente ganhou amplo interesse e atenção, levando a intenso debate sobre a alegação de que o homem - por implicação era descendente de animais como o macaco.

No entanto, no momento em que ele morreu em 19 de abril de 1882, suas ideias foram sendo cada vez mais aceitas - pelo menos pela sociedade científica e não religiosa. Ele foi enterro na abadia de Westminster.