Economia da Roma Antiga

A economia romana era baseada no comércio e na agricultura. A economia da Roma Antiga tinha apenas uma moeda, proteção nos portos e estradas para escoar a produção e era tida como uma economia estável. As tarifas alfandegárias da economia romana também eram atrativas para gerar negócios.

Para obter estabilidade econômica, o Império Romano teve que adotar uma postura expansionista, voltada para conquistar novas áreas. A moeda no Império Romano era conhecida como denário – palavra que acabou variando para “dinheiro”, em português. As moedas eram de bronze, prata e ouro.

A disputa sobre o Mar Mediterrâneo foi um dos confrontos em busca de ampliar a economia mais importante do Império Romano. Nas Guerras Púnicas, Roma entrou em confronto com Cartago, no norte africano.

Agricultura na roma antiga

Os romanos venceram e aumentarem seu território, ampliando suas ações de comércio marítimo, com vendas de produtos agrícolas até artigos de luxo.

Dinheiro, Transporte de produtos, Exportação via navegação

Roma também era uma grande importadora:

  • Egito – enviava azeite para consumo em Roma
  • Espanha – outro produtor de azeite consumido em Roma
  • Sicília – vendia cereais para Roma
  • Ásia – exportava mármore usado para construções em Roma
  • Entre outros.

Outro fator importante para a economia romana foi a conquista de escravos, que atuavam em confecções e, principalmente, na produção agrícola. A produção de artesanato era muito grande na economia da Roma Antiga.

Depois de figurar como uma grande produtora agrícola, a economia romana também atingiu outro status: centro comercial da região.

As vitórias nas guerras foram muito importantes para elevar a posição de Roma como um centro comercial importante. Além disso, como tinham controle do Mar Mediterrâneo, podiam assegurar o fluxo de metais preciosos que estavam em transporte marítimo.

A troca comercial entre Roma e suas províncias foi muito importante para consolidação da economia. As províncias romanas mandavam para o império produtos de grande valor para a época, tais como:

  • Madeira;
  • Estanho;
  • Prata;
  • Trigo;
  • Cobre;
  • Especiarias;
  • Queijos;
  • Peles
  • Artigos de luxo;
  • Artigos de baixo custo.

É importante destacar que as próprias províncias tinham que pagar impostos para o Império Romano. Por causa da produção agrícola, alguns plebeus puderam inclusive enriquecer. Os plebeus que não tinham terras acabavam na miséria.

Os plebeus sem terra acabavam saindo do campo, gerando uma crise social no império. Por isso, a economia romana foi obrigada a subsidiar a existência da população miserável, com a criação da política do pão e circo, que oferecia alimento e entretenimento para o povo.

Sendo assim, a economia romana ficou marcada pela agricultura e pela intensa atividade comercial, pelas conquistas de novos espaços através da guerra, criando rotas seguras para enviar e receber produtos que tinham muito valor na época.


Veja também:

Leia também! Assuntos relevantes