Se assim como nós, você gosta de saber sempre mais sobre as histórias que fizeram parte do cenário Brasileiro, hoje iremos conversar um pouco sobre o Cangaço. O que foi essa manifestação que teve grande impacto nas áreas mais excluídas do país? É o que entenderemos melhor agora.

“Cangaço” é um termo que tem sua origem da palavra “canga”, um objeto que era bastante utilizado em bois nas regiões rurais. Esse objeto era produzido com madeira e era usado no pescoço do animal, afim de prender-lhe ao arreio. O cangaço foi um protesto social contra as injustiças que eram feitas com a população pelos grandes proprietários de terras na região do Nordeste. Banditismo é o que se conhece por um tipo de protesto bem organizado e primitivo e foi o que os Cangaceiros usaram a seu favor.

Canga de Boi
Canga de Boi

José Gomes, mais conhecido como Cabeleira, foi um dos primeiros cangaceiros reconhecidos e ficou conhecido por ter o ato de aterrorizar a região do estado do Recife, no final do século XVIII. Chegando ao fim do século XIX, a manifestação realmente tomou seu posto, pois praticamente toda a população do Nordeste teria sido tomada pelas rédeas dos grandes líderes de terras e aí, nasceram os chamados Cangaceiros.

José Gomes, Cabeleira
José Gomes, Cabeleira

Jesuíno Brilhante ou seu nome verdadeiro, Jesuíno Alves de Melo Calado, apareceu no primeiro grupo formado de cangaceiros, mas saiba que eles se dividiam em três tipos que chamaremos de mercenários para latifundiários, mercenários para políticos e os mais conhecidos através da literatura brasileira, os “bandidos” e inimigos públicos.

Os mercenários para latifundiários, eram os cangaceiros que trabalharam não só para estes, mas também para os grandes donos de terras da região que tinham grande interesse em eliminar os cangaceiros “bandidos”. Estes eram protegidos pelos grandes proprietários e consequentemente, contra os cangaceiros “bandidos”.

Grupo de Cangaceiros

Os mercenários para políticos eram os cangaceiros que também possuíam grande proteção dos homens bastante poderosos, na política local.

E por fim, os mais corajosos! Os cangaceiros “bandidos”, denominado como, pessoas livres. Eles não possuíam proteção de nenhum padrinho com grandes poderes, tentavam mesmo a sorte em tudo que faziam e viveram assim por muito tempo. Tudo que tinham, carregavam consigo em suas locomoções e viviam de coisas da natureza.

Lampião e Maria bonita
Lampião e Maria bonita

A duração do cangaço se deu até meados de 1930 e só teve fim após uma grande campanha do antigo presidente Getúlio Vargas. Até então, os latifundiários apoiavam o movimento do cangaço, pois eram beneficiados com os trabalhos das pessoas que precisavam de apoio para viver. Com a chegada da campanha de Getúlio, eles passaram ser considerados contra a paz do país e consequentemente, inimigos da área pública.


Veja também:

Virgulino Ferreira da Silva, o Lampião

A Era Vargas (1930 - 1945)

A Revolta de Canudos

Guerra do Contestado