Digestão Extracelular

A digestão realizada na área externa da célula, em geral por organismos que possuem tubo digestivo, é chamada de digestão extracelular.

Neste caso, antes mesmo da absorção das células pelos alimentos, ele já é absorvido pelo organismo por essa estrutura que corresponde ao tubo digestivo.

Os celenterados são os animais do grupo mais conhecido de organismos capazes de realizarem a digestão extracelular, pois eles possuem uma cavidade digestiva que antecede o contato do alimento com as células. O próprio nome dos celenterados já tem origem de “intestino oco”, já que enteron é intestino em grego, enquanto koilos significa oco.


Como é a digestão extracelular nos celenterados?

Enquanto muitos organismos possuem boca e ânus, com cavidades específicas para entrada e saída dos alimentos, nos celenterados todo o processo acontece apenas por uma abertura, geralmente a boca.

A boca funciona como cavidade para entrada dos alimentos e para eliminação dos resíduos digestórios. Entre os celenterados mais conhecidos que fazem a digestão extracelular estão os seguintes:

  • Corais marinhos;
  • Medusas;
  • Hidras de água doce.

Medusas
Medusas

Em outros casos, um processo ainda mais elaborado do que somente a digestão extracelular acontece nestes seres, pois as mínimas partículas dos alimentos terminam por células que englobam estes conteúdos, para a finalização da digestão, por parte das células responsáveis pela cavidade digestiva.

Se observarmos um celenterado bem simples dividido ao meio, veremos que o corpo possui camada celular dupla, embora seu organismo seja bastante simplificado.

Como não há um sistema interno de transporte dos alimentos, existe uma ramificação da cavidade digestiva na parte interna dos tentáculos que ficam ao redor da boca. Isso é necessário na digestão extracelular, para que o alimento alcance todo o espaço interno e a digestão aconteça completamente.

A planária e os platelmintos são outros organismos que não possuem um tubo digestivo completo e realizam a digestão extracelular. Como eles não possuem ânus, os alimentos entram pela boca, são digeridos e expelidos pelo mesmo orifício de entrada.


Digestão extracelular dos parasitas

Alguns organismos sequer apresentam aparelho digestivo e utilizam um hospedeiro e seu sistema digestório para sobreviver, através do aparelho digestivo de outro ser.

As tênias são platelmintos parasitas muito conhecidos e que utilizam a digestão extracelular, usufruindo da estrutura celular de outro organismo para absorção dos nutrientes necessários para sua sobrevivência.

Leia: Teníase

A lombriga, que faz parte dos nematelmintos, ou os vermes cilíndricos já possuem ânus, possuem como característica um tubo digestório bastante simplificado e também funcionam como parasitas. Neste caso, a digestão extracelular acontece após a absorção dos alimentos que o hospedeiro já digeriu.

O sistema de alimentação de outros organismos depende diretamente da evolução e adaptação dos seus tubos digestivos, que em geral são mais completos e complexos do que os exemplos apresentados acima, de modo que seja possível ir além da digestão extracelular – ou seja, realizando a digestão totalmente independente.

Alguns seres, como é o caso das aranhas, possuem organismo adaptado para começar a digestão extracelular, atacando suas presas através de um líquido digestivo.

Por isso, nestes organismos, a digestão começa justamente fora do corpo, com a utilização de substâncias digestivas despejadas nas presas que vão se tornar alimento. Assim, as partes mais moles dos organismos atacados já ficam digeridas mesmo fora do organismo. Na sequência, as aranhas sugam este líquido e o sistema digestório interno fica responsável por completar a digestão em um tubo interno.



Digestão Extracelular

Por

Compartilhe