O que é colostomia?

A colostomia é uma intervenção cirúrgica que consiste numa abertura da parede abdominal, com subsequente ligação dessa parede a uma terminação do intestino, por meio da qual o paciente elimina fezes e gases. Pela abertura, é inserida uma bolsa plástica na pele, que coleta os resíduos intestinais.

A colostomia é uma medida adotada nos casos em que o paciente sofre com uma obstrução intestinal ou problemas no reto e ânus, que impedem a evacuação natural dos resíduos. Esses problemas são sintomas de uma série de condições, como malformações intestinais ou anorretais no feto durante a gravidez, inflamações ou rupturas no intestino, cânceres, fístulas, feridas e lesões graves no ânus e amputações do reto.

Colostomia, abdômen

O procedimento

A depender da causa da sintomatologia, a colostomia pode ser realizada em definitivo ou de forma transitória. Nesta última alternativa, tão logo as condições que afetaram o funcionamento normal do sistema intestinal se resolvam, procede-se a uma nova cirurgia de reposicionamento do intestino à sua posição normal, a fim de permitir a volta da evacuação natural pelo ânus.

O procedimento é realizado em hospital, estando o paciente deitado e sob o efeito de anestesia geral. Este não irá sentir nada e ficará inconsciente durante toda a cirurgia. Feita a incisão na parede abdominal, costura-se a ponta do intestino na abertura, com vista à eliminar os dejetos por essa via. Em seguida, a bolsa coletora é inserida na pele, colada, para ser mais preciso, com o uso de adesivos especiais para a função. Quem realiza a colostomia é o cirurgião geral ou especializado no aparelho digestivo.


Cuidados no pós-operatório

Com o fim da colostomia, iniciam-se uma série de cuidados no período pós-operatório. Em primeiro lugar, deve ser feita uma manutenção da bolsa coletora, esvaziando a mesma periodicamente. Caso se mostre necessário, a bolsa deverá ser trocada, com uma nova intervenção cirúrgica tópica. Nos primeiros dias após a colostomia, o paciente permanece internado no hospital, para que seja devidamente orientado a realizar os cuidados necessários, como a higienização do orifício e o esvaziamento dos dejetos coletados na bolsa. O uso dessa bolsa pode ser algo muito desconfortável, por isso é muito importante seguir todas as orientações dadas pelos enfermeiros e cirurgiões.

É preciso estar atento para as possíveis complicações advindas da cirurgia. Pode ocorrer, por exemplo, irritação da pele e infecção na região da bolsa coletora. Daí a importância da permanência do paciente no hospital no pós-operatório, pois essas complicações devem ser tratadas tão logo apareçam.

Entre os principais cuidados que devem ser dispensados, está a higienização adequada e constante da bolsa e do orifício ligado a ela, bem como da pele ao redor da abertura. Alguns comportamentos também devem ser evitados, a exemplo de carregar pesos excessivos e usar roupas apertadas na região operada. Bebidas gaseificadas devem ser evitadas, e os alimentos devem ser bem mastigados para facilitar a digestão. Além disso, não se pode passar substâncias agressivas à pele na região da abertura, como álcool e mercúrio. Esponjas ásperas também devem ser evitadas.


Veja também:

Doenças que afetam o intestino

Síndrome do Intestino Irritável (SII)

Reto - Corpo Humano

Ânus - Corpo Humano

Leia também! Assuntos relevantes