A ameba Naegleria Fowleri comedora de Cérebro Humano

A ameba que come o cérebro, chamada de Naegleria Fowleri, está cada vez mais próxima do Brasil. A ameba “comedora de cérebro” já matou um menino de 8 anos na Argentina, conforme informações da Sociedade Internacional de Doenças Infecciosas.

A infecção pela ameba Naegleria Fowleri que devora o cérebro do ser humano teria ocorrido em uma lagoa chamada de Mar Chiquita, bastante distante de Buenos Aires.


Mas, e você, já conhece a ameba que pode comer o cérebro humano?

A Naegleria Fowleri é uma ameba de vida livre, que pode ser achada na natureza livremente e que foi classificada como comedora de cérebro. Em geral, a ameba que devora cérebro pode ser achada em ambientes com água que não receberam o tratamento devido, entre eles os seguintes:

  • Piscinas
  • Lagoas
  • Poças
  • Córregos
  • Entre outros.

Também pode acontecer da ameba Naegleria Fowleri ser achada em meio aos grãos de sujeira ou no próprio solo. A infecção é feita através da inalação da água da piscina. Depois, a ameba acessa o SNC – Sistema Nervoso Central. Logo depois, atinge o cérebro.

Como ocorre a infecção


Como a ameba Naegleria Fowleri “come” o cérebro?

Segundo parasitologistas, a ameba provoca uma forte infecção no cérebro humano, atingindo também as membranas que ficam no sistema nervoso. O infectado pela Naegleria Fowleri acaba sendo vítima de edemas e hemorragias. O nome oficial da doença é MAP - meningoencefalite amebiana primária.

Em geral, os sintomas surgem em cerca de 7 dias depois da contaminação. Na maioria dos casos, a evolução demora até 14 dias e pode causar a morte. Entre os sintomas estão forte dor de cabeça, intolerância ao barulho e à luz, vômito e febre. A maioria das vítimas teve contato com córregos e lagos onde a água não era tratada.

O índice de letalidade da doença é bastante alto, conforme informações dos médicos parasitologistas. Dos cerca de 130 casos da doença que aconteceram nos Estados Unidos, somente dois pacientes conseguiram sobreviver.

Os médicos alegam que é uma doença de difícil diagnóstico, pois precisa de análise do líquor, conteúdo lubrificante do SNC – Sistema Nervoso Central – para ser identificada. Na maioria dos casos, esta investigação só é realizada depois que o paciente morre.

O país com o maior número de casos da doença causada pela ameba Naegleria Fowleri são os EUA. Países que fazem fronteira com o Brasil, como é o caso da Argentina (1 caso) e da Venezuela (2 casos), também já registraram o problema.

No Brasil, apenas um caso de um paciente vítima de Naegleria Fowleri foi registrado, com investigação após sua morte. Mesmo assim, autoridades ainda não confirmam que a causa da morte teria sido a ameba comedora de cérebro humano.


Seguem as orientações para não se contaminar com a ameba Naegleria Fowleri

  • Evite tomar banho em lugares desconhecidos;
  • Não nade em lagos com água parada;
  • Evite ambientes com água muito aquecida;
  • Tampe o nariz quando estiver nadando em lugares desconhecidos.


Veja também:

Leia também! Assuntos relevantes