Fatos Gerais

O Curioso Caso de Phineas Gage

Phineas Gage nasceu em 9 de julho de 1823, vindo a falecer em 21 de maio de 1860 aos 36 anos. Ele foi um operário americano que viveu boa parte da vida de maneira bem comum, mas virou notícia em 1948.

Gage estava trabalhando na construção de uma ferrovia e explodia rochas para abrir caminho para os trilhos. Ele abria buracos, colocava explosivos e os ajeitava com uma barra de metal conhecida como ferro de calcar. Mas, em uma dessas operações, algo saiu terrivelmente errado, possivelmente a barra de metal provocou uma faísca que gerou uma explosão. Com o impacto, o ferro de calcar foi expelido violentamente para fora do buraco, perfurando a bochecha esquerda de Gage, passando por trás da órbita do olho e chegando ao topo de sua cabeça, causando danos ao lobo frontal esquerdo de seu cérebro.

cranio do Phineas Gage
Crédito da imagem: Van Horn JD, Irimia A, Torgerson CM, Chambers MC, Kikinis R, et al. / Wikimedia.

Incrivelmente, Gage não morreu, e quando foi socorrido ainda podia falar e caminhar. Ele foi atendido pelo médico John Harlow e, mesmo perdendo muito sangue, recuperou-se muito bem. Apenas essa parte da história já seria o suficiente para Gage ser lembrado, já que não é todo dia que alguém sobrevive a um acidente assim, mas o que realmente deixou o operário famoso foi a mudança drástica que ocorreu em sua personalidade depois que ele se recuperou.

O médico John Harlow descreveu o comportamento de Gage como irrequieto e disse que palavrões grosseiros passaram a fazer parte de seu vocabulário, o que não era seu costume. Após três semanas ele estava novamente circulando pela vila, e alguns de seus colegas relataram que Gage estava muito diferente, havia se tornado um homem agressivo, desrespeitoso e que não aceitava conselhos, diziam que ele passou a agir sem pensar nas consequências.

Leia também: Doenças psicológicas que mais afetam os adultos

Apesar de ter se salvado milagrosamente, o operário morreu jovem, vivendo pouco mais de uma década após o acidente, em uma crise epilética, provavelmente causada por alguma sequela do ocorrido. E, foi apenas 4 anos após seu falecimento, que o médico John Harlow pediu permissão para estudar seu crânio. Mas, depois de tanto tempo e com a tecnologia da época, não foi possível chegar a resultados satisfatórios.

Porém, o caso de Phineas Gage é considerado uma das primeiras evidências de que lesões nos lóbulos frontais podem resultar em alterações na personalidade. Até os dias de hoje, quando se fala em estudos do cérebro, esse caso é revisitado e muitos estudos posteriores foram feitos na tentativa de se delimitar o efeito exato que a barra causou no cérebro de Gage.

Phineas Gage e a barra de metal
Crédito da imagem: Wikimedia

Acredita-se que esse caso tenha servido de inspiração para a criação do procedimento conhecido como lobotomia, que consistia, basicamente, na retirada de uma parte do cérebro, geralmente o lobo pré-frontal. Era recomendado por psiquiatras para o tratamento de esquizofrenia.

Apesar de ser reconhecido como um marco para a neurociência, o real comportamento de Gage gera controvérsias entre os cientistas, já que é impossível definir o que é verdade e o que foi inventado ou aumentado no caso. Então, a mudança de personalidade que foi descrita pode, na verdade, ter sido muito menos significativa e, acredita-se que essas mudanças tenham perdurado por apenas dois ou três anos.

Inclusive, Gage passou a trabalhar como motorista de diligências de longa distância no Chile, o que exigia muita concentração, foco e planejamento, e que pode ser um sinal de que, em algum momento, ele esteve totalmente recuperado.

Mas, enquanto a complexidade do cérebro humano estiver envolto em mistérios, o caso de Gage vai continuar despertando a curiosidade. Hoje, seu crânio e o ferro que o atravessou estão expostos no Warren Anatomical Museum em Boston, Massachusetts.

REFERÊNCIAS

HAMILTON, Jon. Por que os cientistas do cérebro ainda estão obcecados com o curioso caso de Phineas Gage? NPR. Disponível em: https://www.npr.org/sections/health-shots/2017/05/21/528966102/why-brain-scientists-are-still-obsessed-with-the-curious-case-of-phineas-gage. Acesso em: 26 fev. 2021.

DAMASIO, Hanna. Phineas Gage: O cérebro e o comportamento. Science Direct. Disponível em: https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0035378718308208 . Acesso em: 26 fev. 2021.

Adblock detectado

Por favor, desative o adblock! Quando você bloqueia a propaganda, você está impedindo que o serviço continue gratuito. Agradecemos a sua compreensão =)