Rio São Francisco

O maior rio brasileiro é o Rio São Francisco. Sua extensão é de aproximadamente 2.800 km. O rio nasce em Minas Gerais, precisamente em São Roque de Minas, na região da Serra da Canastra.

O seu fluxo vai na direção norte, para Bahia e Pernambuco. De lá, o Rio São Francisco muda de curso e segue descendo ao Sudeste, quando alcança o Oceano Atlântico, entre Sergipe e Alagoas.


Qual é a divisão do Rio São Francisco?

O Rio São Francisco é dividido em 4 trechos, que são os seguintes:

  • Alto São Francisco – que escoa até Pirapora (MG);
  • Médio São Francisco – que escoa de Pirapora até Remanso (BA);
  • Submédio São Francisco – que escoa de Remanso até Paulo Afonso (BA);
  • Baixo São Francisco – que escoa de Paulo Afonso até a Foz.

Em todos estes trechos do rio o clima é bastante diferente. As chuvas são bem mais comuns no Alto do Rio São Francisco. Quando avança para o semiárido, as chuvas deixam de ser recorrentes e o índice de evaporação aumenta de forma substancial. A umidade volta a aparecer no Rio São Francisco perto da Foz, por causa da presença de chuva.

Por do sol, Rio São Francisco


Qual é o tamanho da bacia hidrográfica do Rio São Francisco?

São 640 mil km² de bacia hidrográfica. Vários biomas estão presentes na bacia do Rio São Francisco, como Mata Atlântica, Caatinga e Cerrado. Ao todo, são 168 afluentes, sendo os principais afluentes os seguintes rios:

  • Paracatu
  • Abaeté
  • Grande
  • Carinhanha
  • Corrente
  • Urucuia
  • Paraopeba
  • Verde Grande
  • Pará

O Nordeste e o Rio São Francisco possuem uma ligação muito forte, pois muitas agroindústrias e indústrias de outros setores utilizam a irrigação do rio em suas atividades, principalmente para produzir frutas, em Juazeiro (BA) e Petrolina (PE). O rio serve para navegação durante todo o ano, além disso é usado para pesca e agropecuária em sua parte baixa.

A riqueza da fauna do Rio São Francisco merece destaque. Os peixes nativos mais populares são os seguintes:

  • Dourado;
  • Surubim;
  • Piau;
  • Pacamã;
  • Curimatã-pacu.

O Rio São Francisco sofre com as interferências causadas por usinas hidrelétricas, com a remoção da sua vegetação nativa encontrada nos arredores, provocando o assoreamento. Outro problema do Rio São Francisco é a contaminação com resíduos industriais e residenciais.


Veja também:

Como está hoje a transposição do rio São Francisco?

A Hidrografia Nordestina