A medula óssea é, basicamente, um tecido líquido-gelatinoso presente no corpo humano. Também chamada de tutano, a medula óssea nada mais é do que um tecido gelatinoso, encontrado na cavidade interna dos ossos humanos e que age na produção de componentes importantes do sangue, como as hemácias (glóbulos vermelhos), os leucócitos (glóbulos brancos) e as plaquetas.

Saiba mais: Sistema Esquelético, Sistema Circulatório Humano

Biologicamente, a medula óssea é considerada um órgão hematopoiético. Alterações no funcionamento da medula óssea dão origem a diversas doenças, como a leucemia, por exemplo.

No que diz respeito à constituição, a medula tem um tecido esponjoso mole. Sua função é renovar os componentes do sangue de maneira contínua. É um tecido com expressiva e importante atividade no organismo. Estes componentes do sangue desempenham papéis extremamente importantes e, por isso, quando a medula não funciona corretamente, o corpo se torna doente, com baixa no sistema de defesa, problemas de coagulação e infecções.

Medula Óssea

Algumas doenças graves são tratadas por meio do transplante de medula óssea, entre elas estão a anemia, a leucemia e os linfomas. Durante o transplante, ocorre a substituição da medula óssea deficitária. Novas células são introduzidas no organismo para reestruturar a medula e suas funções.

Saiba mais: Sistema Imunitário

A doação de medula tem sido incentivada em diversos países, pois pode significar a cura para muitas pessoas. O doador de medula não corre nenhum tipo de risco. A doação é feita por meio da aspiração de punções na região da bacia.

O paciente que recebe a medula passa a produzir glóbulos brancos, vermelhos e plaquetas para reestabelecer os níveis normais do sangue. O processo de recuperação medular é lento, mas bastante promissor. Infelizmente, o Brasil ainda tem poucos doadores de medula óssea cadastrados para transplante.

Para receber a medula de um doador é preciso que haja compatibilidade, ou seja, doador e paciente precisam ter um conjunto de genes semelhantes localizados no cromossomo 6. Antes do transplante, diversos testes laboratoriais são realizados.

A doação de medula óssea é altamente incentivada na sociedade, sendo que qualquer pessoa entre 18 e 55 anos de idade e boa saúde pode ser doador. Esse gesto é nobre e ajuda a salvar a vida de pessoas no mundo inteiro, mesmo com a dificuldade de compatibilidade. No Brasil, o REDOME (Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea) é o principal sistema de localização de doadores compatíveis. O registro tem 4 milhões de doadores cadastrados.

Acesse o site para se cadastrar: http://redome.inca.gov.br/

Para se cadastrar é preciso ter entre 18 e 55 anos e possuir plena saúde física. O procedimento não apresenta riscos e a medula do doador se recupera completamente em apenas 15 dias. O registro pode ser feito em um hemocentro. É fundamental que as pessoas se conscientizem sobre a segurança e a importância do ato de doar medula óssea.