Foi um movimento intelectual europeu, que surgiu na França, no século XVII, que tinha como objetivo defender o domínio da razão sobre a visão teocêntrica que dominava a Europa desde a Idade Média. Segundo os filósofos que fizeram parte deste movimento, o Iluminismo tinha esta forma de pensamento com o propósito de iluminar as trevas que pairavam sobre a sociedade.

Período conhecido como “Século das Luzes”, usava mais da razão sobre a fé das pessoas, onde, por meio apenas da razão, tentavam entender e resolver os problemas que existiam na sociedade.

A ideia do Iluminismo era exaltar o poder da razão sobre a fé da religião. Dessa forma, ele acreditava que poderiam reerguer a sociedade, reestruturando-a, mesmo esta ainda presa aos conhecimentos impostos lá no período medieval.

Diversas escolas com pensamentos diferentes se uniram, filosóficas, sociais e políticas, o que fez com que os iluministas buscassem entender a crítica sobre os entendimentos das pessoas.

Reunição de Iluministas

Assim, afirmavam que o conhecimento racional seria a única saída para acabar com os preconceitos e as ideologias religiosas. Assim sendo, a religiosidade seria superada pelas ideias do progresso e da perfeição humana.

Sempre que podiam, os iluministas falavam mal das determinações mercantilistas e religiosas, sendo contrários também ao absolutismo e aos privilégios dados à nobreza e ao clero. Isso causava abalo na estrutura política e social absolutista.

Com isso, surgiu uma teoria, de 35 volumes, chamada de Enciclopédia, que reunia tudo o que foi produzido com base na razão. A publicação do livro contou com a presença de diversos artistas iluministas, como Montesquieu e Rousseau.

Suas ideias se espalharam pela burguesia, que era onde estava a maior parte do poder econômico, mas não possuíam nenhum poder político e estavam sempre às margens das decisões importantes.


Quais são as características do Iluminismo?

O Iluminismo não queria viver baseado nos ensinamentos da Era Medieval e, por isso, começaram a chamar esse período de “Idade das Trevas”, onde começaram a dizer que durante esse período, não surgiu nada de bom.

Por isso que eles debatiam e ia contra os privilégios do clero e da Igreja e utilizam a ciência para confrontar as doutrinas religiosas.
Para os iluministas, o Estado deveria praticar o liberalismo, não mais o mercantilismo. Ao invés de regular a economia, o Estado deveria deixar que o mercado fizesse a sua regulamentação. Essas ideias foram defendidas e apresentadas por Adam Smith.

Na política, os iluministas não concordavam com a totalidade do poder do rei, sendo este absoluto em todas as decisões. Para eles, deveria existir um conselho ou uma Constituição. Dessa forma, os súditos teriam mais direitos e seriam tratados de forma igual. Assim, todos pagariam impostos e as minorias, como os judeus, seriam reconhecidos como cidadãos plenos.

Ilustração - Voltaire e Rosseau
Voltaire e Jean-Jacques Rousseau


Principais filósofos iluministas

Os principais filósofos do Iluminismo foram: John Locke, que acreditava que o homem acumulava conhecimento conforme o tempo passava, Voltaire, que defendia a liberdade de pensamento e criticava a intolerância religiosa, Jean-Jacques Rousseau, que era a favor de um estado democrático que garantisse a igualdade para todos, Montesquieu, que defendeu a divisão do poder político em Legislativo, Executivo e Judiciário e Denis Diderot e Jean Le Rond d’Alembert, que fizeram uma enciclopédia que reunia os conhecimentos e os pensamentos filosóficos da época.


Veja também:

Leia também! Assuntos relevantes