História do Alfabeto

O alfabeto é o conjunto de letras que formam as palavras. É através dele, com as junções das letras, que uma palavra é formada. O alfabeto é uma forma de escrita que apresenta uma unidade formal mínima de escrita, letra, onde esta, em conjunto com outras, representam os fonemas de uma língua, ou seja, unidade de som.

A palavra alfabeta tem na sua origem o grego, “alphabetos”, e com o passar dos anos, teve a sua derivação do latim “alphabetum”, que é uma língua mais parecida com a que se é utilizada atualmente. Ou seja, existem diversas variações e vários alfabetos na linguagem, onde cada povo ou civilização criou, através dos tempos, para ser utilizados como uma forma de comunicação.


Origem do alfabeto

O alfabeto latino, ou romano, surgiu por volta do século VII antes de Cristo. Os romanos utilizaram 21 dos 26 dos caracteres etruscos, que foram um povo que viveu na Etrúria, na península Itálica, onde atualmente é a atual Toscana, escrevendo no sentido da direita para a esquerda.

Tempos depois, passaram a escrever da esquerda para a direita e, após terem conquistado a Grécia, no século I antes de Cristo, criaram as letras Y e Z para representarem os sons gregos.

Como houve uma expansão do Império Romano e a difusão do Cristianismo, o alfabeto latino passou a ser a escrita mais aceita e a base de todos os alfabetos da Europa Ocidental, até hoje.

No período da Idade Média, as letras U,W e J foram introduzidas, com o intuito de diferenciar o som do “u” do som do “v”, o som do “w” pelo “v” e o “j” do “i”. Nesse tempo passou-se a utilizar também as letras minúsculas, pois somente eram utilizadas as maiúsculas.


Qual é o alfabeto utilizado pelos brasileiros?

O alfabeto utilizado no Brasil é o alfabeto latino e possui 26 letras, onde algumas letras que são de origem estrangeira foram introduzidas no alfabeto brasileiro, pois estas letras são bastante utilizadas na linguagem brasileira.

Mas nem sempre foi assim. O alfabeto utilizado pelos brasileiros, o latino, também conhecido como romano, foi criado pelos romanos, no século VII a. C., possuindo apenas 20 letras. Após isso, as demais letras foram sendo acrescidas. Hoje, o alfabeto romano, ou latino, é o alfabeto mais utilizado no mundo e é através dele que a Língua Portuguesa é escrita.

Alfabeto, letras

Qual é a divisão do alfabeto?

O alfabeto romano é dividido em duas partes: as vogais e as consoantes. As vogais são 5: A,E,I,O e U. As consoantes são 18: B,C,D,F,G,H,J,L,M,N,P,Q,R,S,T,V,X e Z. Ainda foram acrescidas três letras no alfabeto para escrever nomes próprios e palavras de origem estrangeiras: K,W e Y. Tudo que for relacionado à palavra estrangeira, essas letras serão empregadas.


Ordem alfabética

O alfabeto é escrito de forma ordenada, onde as letras respeitam uma sequência. Essa ordem das letras é importante porque mantem a organização das palavras em diversas situações, sejam na organização dos dicionários, que sempre se iniciam com a letra A, seguindo a ordem restante, ou a organização de uma agenda, onde a organização das letras ajuda na procura por qualquer nome.
A escrita das letras do alfabeto romano se dá de forma maiúscula, minúscula, cursiva ou manuscrita.


Leia também:
O que é um Texto?
Expressões Idiomáticas
Aquisição da Linguagem Oral

Leia também! Assuntos relevantes