Português

Verbo

Definição: O verbo é uma palavra variável quanto a pessoa, número, tempo e modo. É usado para exprimir uma ação, estado ou fenômeno da natureza. Quando fazemos a análise de uma oração, é a primeira palavra que devemos observar, pois sempre nos diz coisas importantes para o nosso entendimento.

Estrutura dos verbos

Um verbo é composto de três partes: radical, vogal temática e desinências.

Radical

É a principal parte do verbo, onde encontramos seu significado. Ele é obtido quando retiramos as terminações ar, er e ir do infinitivo.

Exemplos:

Infinitivo Terminação Radical
Pular -ar Pul-
Comer -er Com-
Partir -ir Part-

Vogal Temática

É uma vogal que, acrescida ao radical, permite a adição de desinências. São as vogais A, E, I. Ela indica a conjugação a qual o verbo pertence. Sendo, A para a primeira conjugação, E para a segunda e I para a terceira. Também é importante lembrar que o verbo “Pôr”, apesar de ter a vogal O, pertence à segunda conjugação.

Desinências

São elementos que, ao serem adicionados ao radical determinam variações de tempo, modo, pessoa e número.
Vamos usar como exemplo o verbo cantar:

Radical Vogal temática Desinência modo- temporal Desinência número-pessoa
Cant- a va
Cant- a va mos
Cant- a sse mos

Classificação dos verbos

No que se refere à classificação dos verbos em língua portuguesa temos: verbos regulares, irregulares, anômalos, abundantes, defectivos e auxiliares.

A seguir vamos falar um pouco sobre cada um deles.

Verbos Regulares

Este tipo de verbo segue um padrão em sua conjugação. O mesmo radical aparece em todas as pessoas e tempos utilizados. Para sabermos se um verbo é regular, será preciso conjugá-lo no presente e pretérito perfeito do indicativo. Se nesses dois tempos o verbo apresentar regularidade, também o será nos demais tempos.

Exemplo:

Presente do Indicativo Pretérito Perfeito do Indicativo
Fal-o Fal-ei
Fal-as Fal-aste
Fal-a Fal-ou
Fal-amos Fal-amos
Fal-ais Fal-astes
Fal-am Fal-aram

Tente conjugar algum outro verbo regular, como por exemplo, o verbo “cantar”, então compare com o verbo “falar” e perceba como ambos respeitam seu radical independente da pessoa e do tempo.

Verbos Irregulares

Não seguem um padrão na conjugação. Para identificarmos, basta procurar uma irregularidade ao conjugá-lo no presente e pretérito perfeito do indicativo.

Exemplo:

Presente do Indicativo Pretérito Perfeito do Indicativo
Peç-o Ped-i
Ped-es Ped-iste
Ped-e Ped-iu
Ped-imos Ped-imos
Ped-is Ped-istes
Ped-em Ped-iram

Repare que o verbo sofre uma alteração no radical na primeira pessoa, o que define sua irregularidade.

Verbos anômalos

São verbos que, durante a conjugação, criam radicais totalmente diferentes. Na língua portuguesa temos apenas dois verbos anômalos, são eles: ser e ir.

Exemplos:

Eu sou. Ele é.
Eu vou. Eu fui.

Não precisamos de muitos exemplos para perceber que nestes verbos não conseguimos seguir nenhum padrão de radicais.

Verbos Defectivos

São aqueles que não apresentam todas as formas em sua conjugação. Também são bem fáceis de se identificar, por exemplo, tente conjugar o verbo “falir” na primeira pessoa do presente do indicativo. Você, provavelmente, não achará uma resposta.

O mesmo acontece quando tentamos conjugá-lo, neste mesmo tempo, com Tu, Ele e Eles. Simplesmente não existe uma conjugação.

Eu
Tu
Ele
Nós falimos
Vós falis
Eles

O mesmo acontece com a primeira pessoa do presente do Indicativo do verbo abolir.

Verbos que representam fenômenos da natureza também são considerados defectivos. Exemplos: anoitecer, chover, ventar.

Verbos abundantes

São aqueles que possuem mais de uma forma considerada correta. Notamos essa característica, com mais frequência, no particípio de alguns verbos que apresentam um particípio regular e outra irregular.

Exemplos:

Infinitivo Particípio regular Particípio Irregular
Aceitar aceitado aceito
Expulsar expulsado expulso

Como regra geral deve-se usar o particípio regular com os auxiliares “ter e haver”, enquanto a forma irregular deve ser acompanhada dos auxiliares “ser e estar”.

Verbos auxiliares

São aqueles que formam uma locução verbal com o verbo principal, ampliando-lhe o sentido. Exemplos:

Nós temos feito um grande avanço.

Ele poderia compor músicas belíssimas.

Quando o assunto é verbo, temos muito o que estudar, mas este texto pode ser um ótimo ponto de partida para ter uma visão geral sobre o assunto, e buscar ampliar seus conhecimentos.

Referências:
BECHARA, E. Gramática Escolar da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2010.

Adblock detectado

Por favor, desative o adblock! Quando você bloqueia a propaganda, você está impedindo que o serviço continue gratuito. Agradecemos a sua compreensão =)