Civilização Grega - O Período Helenístico - 1000 a.C. à 1 a.C.

Período Helenístico

O período conhecido como Helenístico foi um acontecimento que se deu entre o domínio da cultura grega e o surgimento da civilização romana. As conquistas da Grécia se estenderam por toda a região que havia sido conquistada pelo rei da Macedônia, Alexandre Magno. Região esta que compreendia-se o Egito, a Pérsia e uma parte do território oriental, incluindo a Índia.

O Período Helenístico marcou história e ficou compreendido entre os séculos III e II a.C., onde o Império Macedônico dominou os gregos.
A influência dos gregos foi tão forte que mesmo depois da queda do Império, a cultura helenística predominou em todos os territórios, por um longo período.

O seu fim foi chegando aos poucos, durante os séculos II e I a.C., quando esses reinos foram sendo conquistados pelos romanos.

O Império Macedônico

O povo macedônico ficava habitado na região norte da Grécia e, por muito tempo, foram chamados de “bárbaros” pelo povo de Hélade, que ficava entre a Grécia Central e a do Norte. Seus habitantes eram conhecidos como helenos.

No ano de 338 a.C, houve uma batalha do povo grego contra os macedônicos, onde estes saíram vitoriosos, na guerra conhecida como Batalha de Queronéia. Com a vitória, o povo da Macedônia dominou toda a Grécia.

Dois anos após a conquista, o imperador Felipe II é assassinado e o seu filho, Alexandre Magno assume o trono. Durante o seu reinado, compreendido entre 333-323 a.C., Alexandre conquistou muitas terras, formando o maior império já conhecido.

Faziam parte do seu império o Egito, Mesopotâmia, Síria, Pérsia e Índia. Com essas regiões conquistadas, uma nova civilização surgiu, sendo o grego a linguagem oficial adotada. Com isso, instaurou-se um processo de instalação da cultura, onde em muitas instituições o padrão grego predominou e em outras, os elementos orientais tomaram conta. E dessa mistura de civilização que o período helenístico inicia-se.

Com a morte do imperador Alexandre, que não deixou herdeiros, o seu império ficou dividido entre os seus generais, onde se formou três grandes reinos: Ptolomeu, que ficou com o Egito, a Fenícia e a Palestina; Cassandro, com a Macedônia e a Grécia e Seleuco, que ficou com a Pérsia, mesopotâmia, Síria e Ásia Menor.


A Civilização Helenística

Essa civilização teve início com a mistura de diversas outras sociedades, entre essas, a grega, a persa e a egípcia. O grande feito de Alexandre Magno foi deixar a cultura como herança, mesmo após a queda do seu império.

A expansão promovida por Alexandre com as suas conquistas foi a responsável por fazer a cultura grega chegar até o oriente, com cidades sendo batizadas com o nome de Alexandria e outros pontos recebendo a influência grega também.

Com isso, os gregos acabaram se misturando às culturas locais, num processo chamado Helenismo, onde a cultura grega que foi misturada à outras culturas originou a Cultura helenística, numa clara referência aos gregos, que se chamavam entre si de Helenos.

A pintura, a escultura, os pensamentos filosóficos eram todos de origem grega.

Os principais centros culturais helenísticos foram Alexandria, no Egito, Pérgamo, na Ásia Menor e a Ilha de Rodes, no mar Egeu.

Leia também! Assuntos relevantes