A Biologia é uma ciência que é fascinante, ela é capaz de estudar todas as formas de vida existentes, esmiuçando todas as informações possíveis dando clareza sobre aquela forma de vida.

E, como tudo o que faz parte da Biologia tem vida, uma dessas formas será falada hoje, neste texto. Mais voltado para a parte de botânica, o assunto será os Antóceros, que é uma espécie de planta, que será mais bem falada ao longo deste texto.

O intuito é fazer uma breve apresentação, para logo em seguida relatar sobre as suas características, o que é, como se reproduz e algumas curiosidades sobre elas.


O que é o Antóceros?

Antóceros é um gênero de plantas não vasculares que pertencem à família dos Anthocerotaceae, que forma a divisão Anthocerotophyta. São plantas talosas que se encontram sempre em ambientes úmidos, como solos, gramados e montanhas.

O filo dos Antóceros contém cerca de 300 espécies descritas, sendo o gênero Anthoceros o mais conhecido deles. São muito parecidos com as hepáticas, com os seus talos, também chamados de gametófitos, parecidos com lâminas, achatados e que crescem rente ao solo.

Como principais características, têm esporófitos filamentares, alongados, que crescem retos sobre os talos.

Antóceros
Ciclo de vida - Crédito da imagem: Wikimedia

Qual é a forma dos Antóceros?

A estrutura deste gênero é verde, composta por um pé e uma cápsula que fica numa posição reta, sendo coberta por uma cutícula. A cápsula que a envolve é resistente, possui uma vida longa e durante toda a sua vida fica produzindo esporos e, assim que fazem a liberação dos poros, elas secam.
Dentro da cápsula encontra-se a columela, além de pequenas aberturas que estão presentes na epiderme das plantas, também conhecidos onde cada um deles é circundado por duas células-guarda, que modificam o seu formato para abrir e fechar os poros. Os outros estômatos possuem as suas formas parecidas com as das angiospermas.


Qual o ambiente que os Antóceros gostam de habitar?

Os ambientes onde os Antóceros habitam são regiões úmidas, como barrancos, montanhas, gramados e solos.


Como é a reprodução dos Antóceros?

Os gametófitos dos Antóceros, que do grego “Anthos” significa flor, possuem semelhanças com as rosetas. Eles possuem as cavidades cheias de mucilagem, que servem de abrigo para as algas simbiontes do gênero Nostoc. Algumas dessas espécies possuem gametófitos unissexuados ou bissexuados.


Algumas curiosidades sobre os Antóceros

  • É impossível identificar a planta se for coletado apenas o gametófito;
  • As suas estruturas de reprodução está imersas no talo;
  • Eles são plantas pequenas, com talo simples, lobado, sem nervura central e não apresentam escamas ventrais;
  • Os arquegônios também ficam totalmente submersos na superfície dorsal do talo, e não são facilmente diferenciados das outras células do talo;
  • O esporângio consiste em um pé bulboso, uma região meristemática, onde fica a mesristema intercalar, que é a responsável pelo crescimento contínuo do esporófito, e uma cápsula longa, cilíndrica e sem seta;
  • A sua columela central é extremamente fina e tem origem endotecial;

A abertura da cápsula se dá do ápice para a base, onde há a liberação dos esporos maduros na parte de cima e a diferenciação dos novos na parte de baixo.

Ciclo de vida Antóceros
Ciclo de vida - Crédito da imagem: Wikimedia

Informações adicionais e identificação

  • Divisão Anthocerotophyta, classe Anthocerotopsida (Anthocerotophyta);
  • Impossível identificar a planta se for coletado apenas o gametófito;
  • Plantas pequenas, talo simples, lobado, sem nervura central;
  • Sem escamas ventrais;
  • Estruturas de reprodução estão imersas no talo;
  • Anterídios contidos nas câmaras anteridiais sob a superfície dorsal do talo;
  • Arquegônios também estão completamente submersos na superfície dorsal do talo, não são claramente diferenciados das outras células do talo;
  • Esporângio consiste de um pé bulboso, uma região meristemática ( meristema intercalar, responsável pelo crescimento contínuo do esporófito) e uma cápsula longa, cilíndrica e sem seta;
  • Columela central extremamente fina e de origem endotecial;
  • A cápsula se abre em uma ou duas linhas longitudinais;
  • O esporócito (arquespório) diferencia - se em esporos e pseudoelatérios;
  • A deiscência da cápsula se dá do ápice para a base, havendo liberação de esporos maduros no ápice e diferenciação de novos esporos na base;
  • Esporófito jovem geralmente protegido por caliptra ( também chamada de invólucro ) que em geral se rompe e reveste a base do esporófito;
  • Gêneros Megaceros e Dendroceros apresentam elatérios verdadeiros;
  • Gênero Phaeoceros apresenta esporos amarelos;

Anatomia Phaeoceros
Anatomia Phaeoceros - Crédito da imagem: susqu.edu

Veja também:

Hepáticas

Briófitas

Musgos

Leia também! Assuntos relevantes