A AIDS é a Síndrome da imunodeficiência adquirida, também conhecida como SIDA, sua sigla em inglês para Acquired Immunodeficiency Syndrome. Esta doença atinge o sistema imunológico e é provocada por um vírus que se instala no organismo.

Durante a fase inicial de infecção, a doença não manifesta sintomas. Contudo, com o passar do tempo o vírus passa a influenciar o sistema imunológico, tornando o paciente mais suscetível a adquirir outras doenças, principalmente infecções oportunistas e câncer.

A AIDS ainda é uma doença sem cura. Essa informação deveria assustar e fazer com que as pessoas se tornassem mais conscientes sobre os riscos de contaminação pelo vírus, mas, infelizmente, não é isso o que acontece, e muitos cidadãos continuam se expondo ao sexo sem proteção.

A grande epidemia de Aids no mundo aconteceu na década de 1980. Hoje, os doentes contam com um coquetel de medicamentos que ajuda a controlar a doença, mas isso não significa que a realidade seja mais fácil para os portadores de HIV dos dias atuais.

No Brasil, existem 455 mil pessoas em tratamento contra a AIDS no Sistema Único de Saúde. Esse número representou um aumento de 97% dos casos entre os anos de 2009 e 2015. A situação é preocupante!

A AIDS foi diagnosticada pela primeira vez em 1981, no Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos Estados Unidos. A doença já matou mais de 30 milhões de pessoas, e cerca de 34 milhões de pacientes convivem com o vírus. Infelizmente, o HIV ainda é considerado um grave problema de saúde pública, considerado uma pandemia.


Entenda o que é a AIDS!

A AIDS é uma doença que afeta o sistema imunológico do ser humano. Chamada de Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, a doença é causada pelo vírus HIV, que ataca as células de defesa do organismo (glóbulos brancos), fazendo com que as pessoas fiquem vulneráveis a outras doenças. Por isso, um portador de HIV pode sofrer consequências drásticas em sua saúde a partir de um simples resfriado.

A presença do vírus dificulta o tratamento de qualquer doença. Sendo assim, o portador não morre exatamente de AIDS, mas sim por causa das doenças oportunistas adquiridas após o diagnóstico positivo.

Obviamente, ser um soro positivo no século XXI não é uma sentença de morte, como era há algumas décadas. É possível viver bem e controlar a doença com os medicamentos, mas, sem dúvida, o ideal é apostar na prevenção antes de ser contaminado pelo vírus.

O Ministério da Saúde disponibiliza o teste de HIV gratuitamente para qualquer pessoa. Se você acha que esteve exposto a uma situação de risco, procure o serviço de saúde e solicite o exame.


Prevenção da AIDS

As pessoas contraem o HIV por meio de relações sexuais sem camisinha, por transfusões de sangue contaminado, de mãe para filho e pelo compartilhamento de objetos cortantes com pessoas contaminadas, como agulhas, por exemplo. A única forma de prevenção da AIDS é o sexo seguro, com preservativo.

A forma número 1 de prevenção contra a AIDS é usar preservativos nas relações sexuais. O HIV pode ser transmitido pelo sangue, pelo esperma, pela secreção vaginal, pelo leite materno e por transfusões de sangue contaminado. Mantenha sempre um comportamento preventivo e consciente!


Como a AIDS afeta o sistema imunológico?


Vírus AIDS

O vírus HIV ataca o sistema imunológico e se multiplica no organismo. Com isso, ele faz com que a pessoa doente não tenha a capacidade de reagir contra doenças oportunistas, deixando a saúde vulnerável.

No momento em que o organismo não consegue mais combater agentes externos causadores de doenças, o paciente fica doente e fraco. Com o uso dos medicamentos antirretrovirais é possível combater a reprodução do vírus e aumentar a sobrevida do portador do HIV.