Memórias Póstumas de Brás Cubas, Resumo

O livro “Memórias Póstumas de Brás Cubas” é um clássico de Machado de Assis. A leitura desta obra é obrigatória no Ensino Médio, pois o livro costuma ser bastante cobrado em vestibulares.

É importante dizer que Brás Cubas é o narrador do livro. Ele conta suas memórias póstumas, ou seja, escritas após a morte.

Com este livro, Machado de Assis quebrou paradigmas da literatura brasileira, expondo com ironia a elite de sua época. A obra faz parte do Realismo. Confira o resumo do livro!


Resumo: Memórias Póstumas de Brás Cubas

Brás Cubas era um homem da sociedade patriarcal. Durante sua infância, ele teve como brinquedo um negrinho chamado Prudêncio. Na escola, seu melhor amigo foi Quincas Borbas.

Durante sua juventude, Brás Cubas se envolveu com uma prostituta de luxo, chamada Marcela. Sobre ela, o protagonista disse: “Marcela amou-me durante quinze meses e onze contos de réis”.

Completamente envolvido e apaixonado, Brás Cubas gastava o dinheiro de sua família com presentes caros e festas. Para conter a situação, seu pai decide enviá-lo para estudar na Europa.

Brás Cubas viaja contrariado para a Universidade de Coimbra, em Portugal. Formado, ele retorna ao Brasil, onde passa a viver uma rotina parasitária, às custas da riqueza de seus pais.

Brás apaixona-se por Virgília, mas ela se casa com Lobo Neves. A situação tira do jovem a chance de viver com seu amor e de se tornar um deputado. Mesmo assim, os dois mantêm um romance por muitos anos, ela em adultério. A relação acaba de uma forma fria.

Em seguida, Brás se envolve com Nhã Loló, mas a moça desiste de se casar. Com tantos fracassos no amor, Brás Cubas decide se dedicar à política. Ele tem uma vida melancólica e pessimista até a sua morte. A narrativa se encerra com a seguinte frase: “Não tive filhos, não transmiti a nenhuma criatura o legado da nossa miséria”.


Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis foi pobre e neto de escravos alforriados, mas se tornou um dos maiores escritores brasileiros. Suas primeiras obras de grande relevância foram publicadas na década de 1870, com destaque para A mão e a luva (1874) e Helena (1876).

Na década de 1880, ele inaugurou o Realismo no Brasil com o livro Memórias Póstumas de Brás Cubas, publicado em 1881. Em 1897, Machado de Assis fundou a Academia Brasileira de Letras.

Outros importantes romances de Machado de Assis foram: Esaú e Jacó, Memorial de Aires, Iaiá Garcia, Quincas Borba e Dom Casmurro. A obra completa de Machado de Assis é fantástica e vale a pena ser lida!

Leia também! Assuntos relevantes