Esparta foi uma importante e simbólica cidade da Grécia Antiga. Também chamada de Lacedemônia, essa cidade-estado se situava às margens do Rio Eurotas, na Lacônia. Foi um local de grande relevância política e militar, principalmente no século X a.C.

A cidade de Esparta chegou a ser reconhecida como o berço da liderança das forças militares gregas, desempenhando um papel marcante nas Guerras Greco-Persas. Outro fato histórico marcante sobre Esparta é que a cidade foi um território inimigo de Atenas na Guerra do Peloponeso.

A cidade só perdeu seu poder e influência na Grécia Antiga após ser derrotada na Batalha de Leuctra, que ocorreu em 371 a.C.


Fatos importantes sobre Esparta

A cidade de Esparta tinha grande hegemonia na Grécia Antiga. Foi uma região com independência política até o ano 146 a.C, quando houve a conquista romana na Grécia.

Esparta em guerra

Esparta viveu um profundo período de declínio na Idade Média, perdendo muitos de seus cidadãos espartanos para regiões como Mistras. Em seu auge, Esparta foi uma cidade-estado com constituição e hierarquia social próprias. A cidade era amplamente voltada ao treinamento militar e todos os cidadãos espartanos tinham plenos direitos. A sociedade de Esparta também era formada por periecos, escravos libertos; e hilotas, os servos que não faziam parte da população espartana e que eram escravizados.

A educação em Esparta era rigorosa. As mulheres gozavam de direitos e liberdade, fato considerado peculiar quando comparado à situação feminina em outras regiões e cidades que faziam parte do mundo clássico.

Estima-se que Esparta tenha acumulado uma população de cerca de 50 mil habitantes até o ano 500 a.C. Esparta foi considerada uma das principais polis da Grécia Antiga. A cidade-estado, que ficava ao sudeste da Península do Peloponeso, foi fundada pelos Dórios, ainda no século IX a.C.

O povo dório chegou à região de Esparta em busca de terras que fossem férteis. Depois de se estabelecerem na região, os espartanos lutaram para ampliar seu território, tendo participado de diversas guerras na região.

A guerra travada entre Esparta e Atenas aconteceu entre 431 e 404 a.C. A famosa Guerra do Peloponeso foi vencida pelos espartanos.

Entre as principais características de Esparta, é possível citar que a sociedade espartana era dividida em diferentes níveis sociais. Confira as principais camadas sociais de Esparta!


Camadas sociais de Esparta


Sociedade espartana

Basicamente, a sociedade de Esparta era composta pelos Esparcíatas, cidadãos originários de Esparta, que recebiam educação espartana e que se dividiam entre militares, políticos e grandes proprietários de terras; pelos Periecos, grupo formado por artesãos e comerciantes sem educação formal; e pelos Hilotas, que eram cidadão pobres, explorados pelos esparcíatas, sem educação ou direitos políticos.

Esparta era uma cidade governada por dois reis, que concentravam os poderes militares e religiosos da região. Havia também uma assembleia responsável por aprovar as leis e um grupo composto por chefes de governo, chamado de Éforos. A religão do povo espartano era politeísta, ou seja, acreditava em diversos deuses.

Leia também! Assuntos relevantes