Desenvolvimento Psicoemocional

Desenvolvimento Psicoemocional

Por

COMUNICAÇÃO E AS INTERAÇÕES HUMANAS
Introdução:
A importância dos tipos de comunicação, a diferença entre a linguagem humana e a linguagem animal.

Veremos ainda os estágios do desenvolvimento. E como Vygostsky e Luria contribuíram para o desenvolvimento humano, na organização funcional do cérebro e também na aprendizagem.



DESENVOLVIMENTO PSICOEMOCIONAL COMUNICAÇÃO E AS INTERAÇÕES HUMANAS
Sendo a comunicação uma necessidade básica da pessoa humana, do homem social, é através dela que aprendemos a ser membros da sociedade, da família e da nação.

A linguagem está inserida desde do nascimento, é graças a ela que o homem modela seu pensamento, é por meio da linguagem que o homem pode ser influenciado, como pode influenciar outros , pode-se dizer que a comunicação e a linguagem é a base mais profunda da sociedade humana.

A linguagem humana é muito mais complexa que um sistema de sons emitidos pelos animais. Não importa o lugar, a época, a linguagem das abelhas,por exemplo são iguais. Somos seres únicos capaz de transmitir aquilo que pensamos. Por exemplo: sons de relâmpagos, campainhas, gritos, sabemos significado de tais sons enquanto os animais percebem os sinais e são capazes apenas de reagir por impulsos.

A linguagem é o sistema de sinais que nos permite realizar atos de comunicação, seja ela verbal e além comunicar, estabelece direitos e deveres entre os interlocutores.

Todo ato de comunicação envolve seis componentes: emissor, receptor, canal, código, referente e mensagem. E a linguagem determina a função do processo de comunicação, possuindo seis funções: emotiva, conotativa, referencial, metalingüística, fática e poética.

Damos o nome de linguagem a todo sistema de sinais convencionais que nos permite realizar atos de comunicação( surdos-mudos, cartões amarelo, sinais de trânsito e etc), sendo dividida em linguagem verbal e linguagem não- verbal. A língua que falamos, é uma língua verbal ; linguagem não-verbal são aquelas em que os atos de comunicação ocorrem por outros sinais que não sejam as palavras.

Existem vários padrões na nossa língua: o padrão culto (linguagem formal), característico das pessoas que freqüentam os bancos escolares e dominam um conjunto de regras descritas nas gramáticas tradicionais e os padrões característicos das variantes regionais ( linguagem informal).

Com o avanço da democratização no ensino, a escola passou a receber alunos de todas as camadas, causando uma grande variedade lingüística em um mesmo espaço, por isso é importante que o educador dê condições para todos os alunos para que dominem efetivamente a língua padrão em sua modalidade oral e escrita, sem menosprezar os padrões regionais da língua, pois a escola tem a obrigação de ensinar e não impor ao aluno o dialeto padrão, por que a língua é mais que um código e está em contínua mudança.

Por a língua ser um fenômeno social é caracterizada pela heterogeneidade e variabilidade, em que em cada comunidade ocorre o uso de formas lingüística variadas e sendo a escola um espaço onde as desigualdades sociais encontra-se necessário que o educador saiba trabalhar a questão da linguagem, promovendo atividades diversificadas, valorizando cada variante lingüística , dando ênfase necessário ao estudo da língua padrão e desenvolvendo atividades que explorem a criatividade do aluno.

Embora os animais como as abelhas, macacos, chimpanzés, golfinhos e outros, utilizam-se da linguagem para se comunicar, mas essa linguagem está longe da complexidade da linguagem humana.

Segundo Pinker, os bebês humanos nascem antes de seus cérebro estarem completamente formados. Se os bebês permanecessem na barriga da mãe por volta de dezoito meses, nasceriam falando , como acontece com alguns primatas.

Acontece mudanças espetacular no cérebro do bebê depois do nascimento. Por que os neurônios já estão formados e já migraram para as suas posições no cérebro, mas o tamanho da cabeça, o peso do cérebro e a espessura do córtex cerebral, onde se localiza as sinapses, continuam a aumentar no primeiro ano de vida. As sinapses aumentam significativamente entre o nono e o vigésimo quarto mês, a ponto de terem 50/ a mais do que um adulto.Morre muitos neurônios ainda na barriga da mãe, essa perda contínua até aos sete anos de idade. Pode ser, que a aquisição da linguagem dependa de uma certa maturação cerebral e que as fases de balbucio, primeiras palavras a aquisição de gramática exijam níveis mínimos de tamanho cerebral, de conexões a longa distância e de sinapses, principalmente nas regiões responsáveis pela linguagem.

Luria se refere que os processos mentais, que incluem sensações, percepções, linguagem, pensamento, memória não podem ser considerados simples faculdades localizadas em áreas particulares e concretas do cérebro, mas como sistemas funcionais complexas.

A integração sensorial da espécie humana inicia-se no útero materno e prolonga-se depois por meio dos gestos, visão e palavras.

Os órgãos internos, conhecidos como interoceptores, dos órgãos motores, táteis, cinestésicos e vestibulares, denominados de proprioceptores, até a visão e a audição, todas as informações devem ser organizadas em termos de tráfico de integração sistemática no cérebro.A partir daí se encontram na base de aprendizagem e do desenvolvimento na base da aprendizagem e do desenvolvimento tais como: o jogo, imitação, linguagem, desenho, leitura, escrita...

A comunicação pode ocorrer sem palavras, até mesmo por meio do silêncio, olhares, no qual, acusam significados. Como acontece com os deficientes auditivos, que não usam palavras mas comunicam-se por meio de sinais e expressões corporais.

Tanto para Luria como Vygotsgy, o processo de construção do conhecimento supõe a integração das sensações, percepções e representações mentais. O cérebro é um sistema aberto, que está em interação constante com o meio.

O cérebro é responsável por toda ação de nosso corpo. Os estudos realizados contribui para profissionais de todo campo, em especial à educação e as artes, por poderemos adquirir uma compreensão ampla nos processos da aprendizagem humana.


CONCLUSÃO:
Por meio da pesquisa realizada , pude compreender como funciona o nosso cérebro, em especial como funciona o aprendizado.

A importância dos tipos de linguagem e como pode ser usada em uma sala de aula.

A diferença da linguagem humana para a linguagem primatas, somos seres capazes de transmitir tudo aquilo que pensamos e queremos.


Referências:
- Revista nova escola
- Escola e democracia
- Apostila do curso de pedagogia


Texto enviado às 10:39 - 15 de dezembro de 2010
Autor: Josilene Queiroz Santos

Licença: Creative Commons License

Leia também! Assuntos relevantes