Civilização Romana | A Monarquia de 753 a 509 aC


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Civilização Romana | A Monarquia de 753 a 509 aC

Quando Roma foi fundada, a península Itálica era ocupada pelos gauleses, ao norte; pelos etruscos- latinos, ao centro, e pelos gregos ao sul – a Magna Grécia. Desses povos, os mais importantes para a formação de Roma foram os latinos, habitantes do Lácio, que viviam divididos em várias tribos, e os etruscos.

Roma foi fundada no Lácio, por volta de 1000 a.C. e ao que tudo indica, foi um centro de defesa latino contra os ataques constantes dos etruscos.

Tem-se, todavia, a versão lendária da fundação de Roma, relatada por Tito Lívio em sua História de Roma e reforçada na obra Eneida, pelo poeta romana Virgílio, segundo a qual Enéias, príncipe troiano filho de Vênus, fugindo de sua cidade, destruída pelos gregos, chegou ao Lácio e se casou com a filha de um rei latino.

Seus descendentes, Rômulo e Remo, foram jogados por Amúlio, rei de Alba Longa, no rio Tibre.

Mas foram salvos por uma loba que os amamentou, tendo em seguida sido encontrados por camponeses. Conta ainda a lenda que, quando adultos, os dois irmãos voltaram a Alba Longa, depuseram Amúlio e em seguida fundaram Roma, em 753 a.C.

Após desentendimentos, entretanto, Rômulo matou o irmão e se transformou no primeiro rei de Roma.

A documentação desse período é precária, e até mesmo os nomes dos reis são desconhecidos, citando-se apenas os reis lendários, apresentados nas obras de Virgílio e Tito Lívio. Durante esse período, o rei acumulava as funções executiva, judicial e religiosa, embora seus poderes fossem limitados na área legislativa, já que o Senado, ou Conselho de Anciãos, tinha o direito de veto e sanção das leis apresentadas pelo rei.

A ratificação dessas leis era feita pela Assembléia ou Cúria, composta por todos os cidadãos em idade militar.

Na fase final da realeza, a partir do fim do século VII a.C., Roma conheceu um período de domínio etrusco, que coincidiu com o início de sua expansão comercial. No período monárquico, a sociedade romana estava dividida praticamente em três classes:

Patrícios – cidadãos de Roma, possuidores de terras e gado, que constituíam a aristocracia.

Plebeus – parcela da população que passara para o domínio romano durante as primeiras conquistas; eram livres, mas não participavam do Senado, nem podiam formar famílias legalmente reconhecidas. Clientes – indivíduos subordinados a alguma família patrícia, cumpridores de diversas obrigações econômicas, morais e religiosas.

O patrício era seu patrono, um "protetor" econômico, político e jurídico; em troca, os clientes seguiam as decisões políticas de seus patronos, cumprindo o obsequium (submissão política), além de dedicar jornadas de trabalho para o seu senhor.

Eram, enfim, os dependentes, alguns de origem estrangeira, outros de origem plebéia que, para sobreviver, buscavam a proteção dos abastados e poderosos patrícios.

Escravos – população recrutada entre os derrotados de guerra, considerados instrumentos de trabalho, sem nenhum direito político. Ao que parece, durante a Monarquia, o escravismo não possuiu grande significação, ganhando importância somente com a expansão territorial do período republicano.

Na verdade, durante a monarquia surgiram condições para a sua instalação, tendo o escravismo se transformado, logo a seguir, no modo de produção predominante, em detrimento de todas as outras formas de trabalho produtivo.



Fonte:
http://br.geocities.com/culturauniversalonline/acontecimentos_2.htm




Leia também! Assuntos relevantes.

Algarismos Romanos
Os Algarismos Romanos, como o próprio nome sugere, foram criados na Roma Antiga. O sistema de numeração representa os números a partir de letras do al...

Ondas Eletromagnéticas
As ondas eletromagnéticas são estudadas na física e estão presentes em algumas leis importantes, como a lei do eletromagnetismo. Essas ondas são forma...

Grécia - Terra dos Deuses
Grécia Antiga O relevo fragmentário opunha-se a uma fácil circulação e provocava a multiplicidade de "Países" naturais. Freqüentemente minúsculos, re...

1888-2008: 120 Anos da Abolição dos Escravos no Brasil
O ano de 2008 está sendo especial no sentido de rememorar algumas datas que marcaram episódios importantes da História do Brasil: na primeira metade d...

Civilização Romana | A República | 509 Ac a 27 aC
A REPÚBLICA DE 509 - 27 a.C. Em 509 a.C., o rei Tarquínio, o soberbo, de origem etrusca, foi derrubado por uma conjuração patrícia do Senado, que que...

Cronologia da Grécia Antiga
1500 a.C. - A civilização minóica atinge seu apogeu. c. 1400 a.C. - A civilização micênica domina a Grécia; grandes palácios são construídos nas re...

Escravos
A condição de escravo identifica-se com o estado de dependência total de uma pessoa por outra, sendo que o escravo, privado dos meios de produção, se ...

Teorias Populacionais
As teorias populacionais começaram a surgir por causa do aumento populacional ocorrido, principalmente, a partir do século XVII. Uma das primeiras teo...

Principado Romano
A vitória de Accio abriu uma nova era: Roma, centro político do Mediterrâneo, progressivamente iria adaptar-se à administração das vastas Tenas que co...

Perfil da mulher no romantismo
As mulheres no romantismo tiveram um papel importante para o desenvolvimento literário. Elas eram consideradas seres intocáveis e faziam parte de um u...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2015 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados