Monteiro Lobato

Autores
Por

Grande escritor, criador de obras literárias infanto-juvenil consideradas até hoje para o Brasil uma das mais buscadas pelo público. José Bento Monteiro Lobato, como é seu verdadeiro nome, nasceu na cidade de Taubaté no ano de 1882, se formou em advocacia por conta de imposições de seu avô, mas se encontrou mesmo no mundo artístico. Monteiro Lobato era um grande escritor e também admirava as pinturas e a fotografia, tinha uma grande visão para as artes e seguiu sua vida por elas.

Uma de suas maiores obras literárias foi o Urupês de 1918, onde teve um grande personagem que ficou bem conhecido, o Jeca tatu. O que Monteiro lobato quis fazer com suas criações para as crianças também foi abordar assuntos importantes da sociedade, como atraso da cultura no nosso país e nossa miséria.

Com o passar do tempo, Monteiro Lobato criou sua própria companhia-editora e dominou o mercado de livros do Brasil. Não durou tanto, pois o apoio do governo não tinha e com uma crise na editora, foi à falência. Com a desistência de sua companhia, o escritor se muda para a cidade do Rio de Janeiro e inicia sua vida como autor, criando então uma de suas obras mais conhecidas, O sítio do pica pau amarelo.

Em 1920, Monteiro Lobato termina seu livro “A narizinho Arrebitado”, onde leva ao público infantil o folclore, muita fantasia e culturas populares. A seguir, Lobato cria mais três novos livros, “Reinações de Narizinho”, “As caçadas de Pedrinho” e “O Pica-pau Amarelo”.

Uma de suas literaturas também chegou a causar uma grande polêmica. O livro “O Presidente Negro” de 1926, abordava a visão do autor sobre o conflito racial, logo após um homem negro ser eleito como presidente dos EUA. Com mais algumas obras, Monteiro Lobato fecha neste período um total de 39 obras e mais um milhão com a grande venda de seus exemplares.

Gravura do Monteiro Lobato

Nesta época, o escritor se mudou para os Estados Unidos, e lá pôde perceber a diferença extraordinária da economia entre os dois países que habitou no mundo. De volta ao Brasil, ele chega decidido á melhorar a economia do país e abre empresas de petróleo e ferro.

No ano de 1941, foi preso por contrariar interesses de multinacionais, durante 6 meses e ao sair da prisão, ainda continuava sendo perseguido pelo Estado Novo, a ditadura. Após esse acontecimento, ainda teve a perseguição da Igreja Católica por sua obra “História do Mundo para as Crianças”, a igreja alegou ser um tipo de comunismo para as crianças. No ano de 1947, criou uma nova obra de crítica pra o presidente Dutra, acusando-o de implantar uma nova ditadura o “Estado Novíssimo”.

Antes de morrer, Lobato deu uma entrevista ao Rádio Record, aos seus 66 anos de idade. Encerrou sua fala afirmando “O petróleo é nosso”, como grande ativista político e contra os interesses dos mais ricos.


Veja também:

Periodização da Literatura Brasileira

Literatura da Região Sudeste

Dia da Literatura Brasileira

Compartilhe