Você já ouviu falar sobre Modernidade Líquida? Este conceito filosófico diz respeito à pós-modernidade e às mudanças que ocorrem rapidamente na sociedade, de forma fluida e muito dinâmica.

A Modernidade Fluida foi desenvolvida pelo sociólogo polonês, Zygmunt Bauman, uma das principais referências na área, considerado um dos estudiosos mais importantes do período contemporâneo. Para ele, as mudanças ocorridas no mundo nas últimas décadas foram e são responsáveis pela transformação da paisagem social, pela intensificação da globalização, pelo encurtamento de distâncias e pelo caos nas relações humanas.

O conceito de modernidade líquida trata justamente de como tudo no mundo atual pode ser considerado fluido e com relações mais dinâmicas, mas que se dissolvem rapidamente. Bauman acredita que esse tipo de modernidade está fazendo com que ocorra um processo de individualização da sociedade.

A modernidade líquida também destaca que os pilares que servem como base do mundo contemporâneo são frágeis e estão pautados principalmente no consumo e na insegurança. A ausência de boas referências morais e políticas também faz parte dessa nova sociedade. É possível dizer que, hoje, nós estamos vivendo exatamente esse tipo de modernidade.

É como se todas as pessoas vivessem simplesmente para buscar coisas banais, sempre com superficialidade e artificialidade. Trata-se de uma modernidade que deixa de lado o valor da cultura, da religião e, até mesmo, da família, na qual as pessoas vivem sem referenciais.

Na modernidade líquida, as pessoas se tornam líquidas, assim como as leis, as regulamentações, os códigos sociais, as relações, entre outras coisas. O sociólogo Zygmunt Bauman criou este conceito como uma crítica à sociedade e aos novos padrões contemporâneos de vida. Este conceito tem o objetivo de definir o mundo globalizado como ele se apresenta: desorganizado e sem valores.

É como se cada pessoa construísse sua personalidade sem qualquer tipo de referencial ético e moral. As pessoas são definidas apenas por aquilo que elas consomem e representam. É uma sociedade com forte competição econômica, com pessoas se movimentando rapidamente pelo mundo, com uma realidade imprevisível e em constante movimento.

Trata-se de um novo paradigma pautado na volatilidade e em uma sociedade cada vez mais fragmentada. A liquidez é uma metáfora utilizada pelo sociólogo para apresentar as novas características do mundo, onde tudo está sendo o tempo todo adaptado e onde tudo é permitido.

A modernidade líquida expõe uma sociedade de consumo, que vive com mais flexibilidade, mobilidade geográfica elevada, mais liberdade e também mais angústia.


Veja também:

Globalização

Cultura: Um Conceito Antropológico

Desigualdade Social

Geração Nem Nem

Leia também! Assuntos relevantes