Mao Tsé-Tung foi um líder revolucionário chinês, ditador e comunista, que participou da fundação do Partido Comunista Chinês, no ano de 1921, em Xangai, baseado no modelo utilizado pela União Soviética.

Nascido na aldeia de Shaoshan, província de Hunan, no dia 26 de novembro de 1893, era filho de pais trabalhadores rurais. Viveu a sua infância no campo, onde a ideia era de que os estudos só eram necessários se eles fossem aplicados nas tarefas relacionados aos trabalhadores do campo, como levar registros e outras atividades relacionadas à produção agrícola.

Dessa forma, estudou até os treze anos, quando abandonou os estudos e foi se dedicar aos trabalhos na granja da família.

A vida de Mao Tsé-Tung

Foto do Mao Tsé-Tung

Mao Tsé só retornou aos estudos quando entrou para uma escola preparatória para o magistério, em Changsha. Chegou a se alistar no exército nacionalista, onde serviu por pouco tempo e acabou voltando para Changsha, onde foi nomeado diretor de uma escola primária.

Era uma época difícil da China do século XIX, onde era explorada por potências imperialistas, o que ocasionava um caos político e econômico no país. No ano de 1912, foi proclamada a República, que não conseguiu ter nenhum efeito significativo perante as potências que ocupavam e exploravam o país.

No ano de 1919, os estudantes acabaram organizando o “Quatro de Maio”, um movimento que levou mais de três mil estudantes às ruas de Pequim. Eles manifestavam contra a aceitação, por parte do governo, das exigências que eram feitas pelo Japão sobre a China e que foram concedidas no Tratado de Versalhes.

Diversos setores do país mostraram apoio à manifestação, e acabaram promovendo greves e mais manifestações.

No ano de 1921, foi fundado o Partido Comunista Chinês, PCC, que teve grande contribuição de Mao Tsé-Tung. Esse partido logo se aliou ao Partido Nacionalista, que era liderado por Sun Yat-sen.

No ano de 1925, após a morte de Sun, assumiu o comando do Partido Chiang Kai-shek, que teve como primeiro ato, romper com os comunistas e comandou uma violenta repreensão contra o partido.

Em 1926, Mao se uniu aos militares revolucionários e seu Exército Vermelho, que tinha como chefe o general Chu Teh. Juntos, saíram e foram para Kiangsi, no interior do país, a fim de que pudessem organizar as suas bases de apoio.

Chega o ano de 1931 e Mao, ao lado de Chu Teh e Chou Em-lai, proclamam a República Socialista da China.

No ano de 1934, os nacionalistas organizaram uma campanha militar para acabar com todos os comunistas. Com isso, cerca de 100 mil homens fugiram das tropas do governo. Liderados por Mao, andaram mais de 10 mil quilômetros, episódio este que ficou conhecido como “A Longa Marcha”.

De 100 mil homens, 30 mil sobreviveram e chegaram à Shensi. Após ser nomeado líder dos vermelhos, Mao Tsé propôs a organização de uma nova frente única, de nome Nacionalista e PCC, que acordaram, em 1937, que o PCC teria o controle do exército chinês.

Após o fim da Segunda Guerra Mundial, a guerra civil foi retomada e os comunistas ganharam, Com isso, no dia 1º de outubro de 1949, foi proclamada a República Popular da China.

Mao Tsé-Tung, a partir da criação do Congresso Nacional do Povo, em 1954, tornou-se presidente da China. No poder, organizou alguns planos baseados nos modelos soviéticos, onde queria que a industrialização fosse estimulada e a coletivização da agricultura fosse acelerada. Mas os resultados não saíram como o planejado.

Qualquer pessoa que fosse contra os pensamentos de Mao Tsé era eliminada, com isso, muitos foram presos e humilhados, e acabaram morrendo.
Ficou na presidência até 1959, retornando em 1969, onde ficou até a sua morte, em 9 de setembro de 1976.


Veja também:
Revolução Chinesa

Chang kai-chek

Leia também! Assuntos relevantes