Interregno significa o intervalo de dois reinos, ou seja, o vão que fica entre dois reinados, quando ainda não há um substituto para ocupar o título de rei.

Todo acontecimento que fica à espera de uma solução, ficando no meio de dois períodos, duas eras, dois mandatos, pode ser chamado de interregno. Um exemplo que pode ser dado de interregno é quando há uma morte ou renúncia de um papa da Igreja Católica. O período que fica desde a saída de um para a escolha do seu sucessor pode ser chamado de interregno. Entretanto, o termo mais utilizado para classificar esse período é “Sede vacante” ou Sé vacante.

O termo interregno também pode ser utilizado para designar o período entre dois líderes espirituais, de alguns ministros de algumas igrejas protestantes ou qualquer interrupção na continuidade de um governo, organização ou ordem social.

Pelo estudo das palavras, suas formações e origens, o termo interregno é originário da palavra em latim “interregnum” que tem como sentido “o tempo que passou desde a morte de um rei até a sua substituição por um novo rei”.

Colocando a Coroa de Rei

Já no sentido figurado da palavra, interregno pode ter como significado uma pausa, interrupção, intervalo ou parada de algo (um processo, por exemplo).
Como, ao longo dos anos, foram caindo diversas monarquias, vários reinados, o termo interregno passou a representar o intervalo que fica compreendido entre dois fatos de qualquer natureza.

Era Medieval Camponeses, Soldados do Rei


Períodos Históricos de Interregno

Ao longo dos anos, alguns períodos históricos ficaram conhecidos como interregno. Sempre com acontecimentos importantes, esses momentos estão marcados na história. E como períodos históricos conhecidos como interregnos, estão:

  • O período de 574-584, no Reino Lombardo, conhecido como Domínio dos Duques;
  • O período de 1022 a 1072, na Irlanda. Período de interregno que durou mais de um século, contando com o posto sendo assumido por Tairrdelbach II, em 1121;
  • O Grande Interregno, no período de 1254 a 1273, no Sacro Império Romano-Germânico;
  • Na Era dos Guardiões, na Escócia. O Primeiro Interregno, em 1290 a 1292 e o Segundo Interregno, de 1296 a 1306;
  • O período compreendido entre 1332 a 1340, na Dinamarca;
  • A Crise de 1383 a 1385, em Portugal;
  • O período de 1402 a 1413, do Interregno Otomano;
  • De 1410 a 1412, na Coroa de Aragão;
  • Os anos entre 1481 e 1483, na Noruega;
  • O Interregno da Inglaterra, compreendido entre 1649 a 1660, no período republicano na Bretanha;
  • O Segundo Interregno na Inglaterra, ocorrido no dia 23 de dezembro de 1688, quando Jaime II foi deposto do trono, e Guilherme III e Maria II foram soberanos comuns, no dia 13 de fevereiro de 1689.

Uma curiosidade é que, em algumas monarquias, como a do Reino Unido, um interregno é evitado, graças a uma regra descrita como “O Rei está morto. Vida longa ao Rei”, ou seja, o herdeiro do trono se torna o novo monarca logo após a morte ou abdicação do seu antecessor. Isso significa a continuação da monarquia. Isso não acontece em outras monarquias, onde o início do novo reinado só começa quando há a coroação do sucessor ou algum outro evento formal ou tradicional.


Leia também:

Leia também! Assuntos relevantes