História da Medicina

A história da medicina começou com um sentimento nobre: o desejo de curar pessoas que estivessem passando por determinada enfermidade. Daí o significado de seu nome, que está associado a arte de curar.

Mas esta ciência é muito antiga e, desde tempos imemoriais, traça hipóteses e testa conhecimentos a respeito de inúmeras doenças e desequilíbrios do corpo. Em tempos remotos curandeiros de comunidades indígenas já usavam métodos de cura, valendo-se tanto de tratamentos espirituais e de magia, quanto de plantas encontradas na natureza. Nesta época operações chamadas de trepanações eram realizadas pelos pajés, os quais faziam furos nos crânios dos enfermos acreditando que assim, expulsariam os maus espíritos, liberando a causa das enfermidades daquele indivíduo.

Desta forma, a medicina só foi se tornar ciência na Grécia antiga, através de um homem chamado Hipócrates que documentou seus feitos e descobertas para a posteridade. Naquela época os médicos acreditavam que existiam fluidos corporais que eram responsáveis pelo equilíbrio do corpo, então tratavam de estudá-los. Foi com o crescimento de Roma que diversos estudiosos foram para lá, afim de aprofundar as descobertas e compartilhar o conhecimento. Nessa fase um homem chamado Galeno dissecou animais e construiu um modelo anatômico, que mais tarde foi usado como inspiração para o estudo da anatomia humana.

No Egito, a medicina se desenvolvia entrelaçada à religião, que partia da crença no pós-morte. Naquele tempo, os médicos eram tidos em grande estima, e faziam muitos experimentos, criando técnicas de tratamentos dentários, assim como a criação de emplastos feitos a partir de animais, para tratar algumas doenças.

Atualmente, existe uma discussão sobre a médica mais antiga da história da humanidade, que teria sido identificada como Merit Ptah, uma cientista que teria vivido há 2700 a.C no antigo Egito. Alguns estudiosos afirmam que, na verdade, Merit foi confundida com Peseshet, a qual deteria o verdadeiro título. Tais dados são interessantes, já que, a prática mais antiga da medicina de que temos conhecimento pode ter sido realizada por uma mulher.

Durante a idade média, os estudiosos da medicina encontraram muitos empecilhos ao desenvolvimento de suas pesquisas, pois nessa fase a religião considerava o corpo humano como algo sagrado, proibindo assim sua dissecação para estudos.

Somente no século XV (1401-1500) houveram permissões para dissecação de corpos, que eram atribuídas apenas a condenados à morte pela prática de crimes graves. Assim, pela falta de opções, muitos estudiosos roubavam corpos. Um médico belga chamado Versalius roubou um esqueleto que havia sido esquecido em uma forca, após uma execução.

Com o fim dessas imposições, a medicina se desenvolveu aliada a outras ciências como a biologia, a física e a química, que juntas continuaram a empregar experimentos e estudos acerca do funcionamento do corpo humano. Esses estudos possibilitaram a criação de métodos, empregados por diversos profissionais, dos quais muitos se aplicam até os dias atuais.

O conceito de tratamento preventivo, e análise do comportamento alimentar ganharam importância apenas no século XX, e passaram a fazer parte da rotina de cuidados com a saúde dos pacientes.

medica com estetoscopio

Descobertas como as vacinas, que tiveram seu primeiro resultado positivo há mais de 200 anos contra a varíola, a penicilina descoberta em 1928, e os transplantes de órgãos, que começaram a ser feitos com sucesso em 1954, revolucionaram o mundo, salvando centenas de milhares de vidas e proporcionando qualidade de vida àqueles que mais precisavam.

Atualmente, experiências têm sido desenvolvidas no campo do DNA, há pesquisas com células-tronco, e até mesmo a clonagem de animais foi realizada. Algumas empresas oferecem processos de criogenia, proporcionando aos familiares a possibilidade de congelar o corpo de seus entes queridos que faleceram, dando a eles a oportunidade de retornar a vida, pensando no quanto a medicina tem evoluído com o passar dos anos. Assim, essa ciência tem nos mostrado que, a partir da persistência e inovação até o inimaginável pode se tornar possível.


REFERÊNCIAS
FERREIRA, Fabricio Alves. A História da Medicina. Brasil Escola. Disponível em: https://brasilescola.uol.com.br/biologia/a-historia-medicina.htm . Acesso em 24 dez. 2020
ROSSINI, Clara Maria. Mulher considerada a primeira médica da história provavelmente nunca existiu. Super interessante. Disponível em: https://super.abril.com.br/historia/mulher-considerada-a-primeira-medica-da-historia-provavelmente-nunca-existiu/ . Acesso em: 24 dez. 2020.



História da Medicina

Por

Compartilhe