Áreas excluídas da Globalização

A Globalização econômica está vinculada diretamente à exclusão social, quando há uma expansão massiva dos meios tecnológicos e de informação, mas não atinge por igual toda a população do mundo, fazendo com que os mais ricos fiquem ainda mais ricos, criando dificuldades ainda maiores para que os pobres possam subir um degrau e melhorar as suas classes.

A Globalização econômica se fortaleceu no mundo a partir do século XX, com a Terceira Revolução Industrial, que foi também chamado de Revolução Técnico-Científica. Porém, o seu surgimento se dá os períodos em que as grandes navegações aconteceram, durante os séculos XV e XVI.

Nesse período, o processo de colonização foi intensificado, o que fez com que as nações que estavam colonizando colocassem sua cultura e o seu modo de ver o mundo nos povos colonizados. Além disso, esses países foram responsáveis por explorar as riquezas dos naturais e sociais, processo esse que receberia o nome de mundo subdesenvolvido. Mostrado como produto, desencadeou na exclusão social que predomina os países mais pobres.

Hoje quem comanda a Globalização são as grandes empresas multinacionais e o neoliberalismo. Dessa forma, as grandes corporações se instalam em diversos países subdesenvolvidos, buscando matérias-primas e mão de obra. E essa mão de obra é extremamente barata, pois não há alternativa, a não ser prestar serviços com baixos salários, o que faz com que seja aumentado o número de miseráveis no mundo.

Outro grande problema que a Globalização proporciona é a grande dependência econômica dos países pobres para com os países mais ricos. Isso se dá pela integração econômica mundial, que sempre acompanhou a Globalização, o que fez com que esses países não conseguissem apresentar condições para oferecer infraestruturas, moradias e educação para a maior parte da sua população, contribuindo ainda mais para a exclusão social.

Por conta de todos esses acontecimentos, existem muitos movimentos que são contra a forma que ela ocorre, pois é nítido que existe uma exclusão social grotesca, e, com isso, os menos favorecidos não são beneficiados com todos os privilégios que a Globalização oferece.


Lugares fechados onde a Globalização não afetou os aspectos sociais, culturais e econômicos

Mesmo com toda a Globalização realizando a ligação entre aos países do mundo inteiro, ainda existem países que não estabelecem relação com outros, o que acaba dificultando o processo de desenvolvimento deles.

Ao mesmo tempo, esses países conseguem preservar as suas culturas e os seus aspectos sociais, mesmo que no âmbito da economia possa não ser tão comemorativo.

A Globalização, para esses países, não chega a afetar os seus aspectos sociais, pois, na maioria deles, impera ditaduras que impedem o avanço e o progresso do país. A Coreia do Norte é o maior exemplo do que a Globalização não pode fazer com um país. Ao mesmo tempo em que ela mantém a sua essência, seu povo sofre porque falta a eles avanços tecnológicos, produtos que a Globalização oferece. Na mesma medida, Cuba e, recentemente, a Argentina também são países que, de certa forma, dão ou estão dando as costas para a Globalização.

Ditadores da Coreia do Norte, Monumento

O tempo dirá quem está certo ou errado nessa questão, mas recuperar os anos de atraso que certamente essa negação causará poderá ser vital para o bom funcionamento do país.

Leia também! Assuntos relevantes