Ronald de Carvalho

Ronald de Carvalho

Por

No dia 16 de Maio de 1893, na cidade do Rio de Janeiro, nasce Ronald de Carvalho, filho de Artur Augusto de Carvalho, engenheiro naval e de Alice Paula e Silva Figueiredo de Carvalho. Ronald iniciou seus estudos secundários no ano de 1899 no Colégio Abílio, localizado no Rio de Janeiro, forma-se no ano de 1907 e logo após inicia o curso de Direito na Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais, para no ano de 1912 se formar como bacharel. Nesse momento de sua vida, Ronald já colaborava com o jornal Diário de Notícias e também da revista A Época, vale lembrar que o jornal era de Rui Barbosa.

No ano de 1913, Ronald de Carvalho estréia na literatura com sua obra Luz Gloriosa que lançou em Paris, onde foi para estudar Sociologia e Filosofia. Este primeiro trabalho de Ronald traz claras influências de autores extremamente importantes para a literatura mundial, são eles: Charles Baudelaire e Paul Verlaine.

Em 1914, Ronald ruma para Portugual/Lisboa onde exerce suas atividades diplomáticas. E no ano de 1915, Ronald ingressa para um grupo modernista que acaba lançando uma revista chamada Orpheu, revista esta que foi o marco do modernismo daquele país. Em 1919, Ronald retorna ao Brasil e lança sua obra Poemas e Sonetos, trabalho este que revela uma influência da estética parnasiana.

Para Ronald, ter participado de um momento histórico em Portugal no campo da literatura, tornou-o ávido por trazer as mesmas novidades para o Brasil, prova disso foi sua mais que ativa participação na Semana de Arte Moderna realizada em 1922, que acabou se tornando o marco do modernismo no Brasil.

No entanto, Ronald com a leitura de um poema de Manuel Bandeira, choca a todos os participantes do segundo dia da feira. O poema em questão, conhecido por Os Sapos, nada mais é que uma sátira a poesia, principalmente aos poetas parnasianos, que inúmeras vezes foram comparados a sapos coaxando.

Depois desta participação peculiar na Semana de Arte Moderna, Ronald decidi dar um novo rumo à sua carreira e lança, Epigramas Irônicos e Sentimentais e dois anos depois, Toda a América, neste último trabalho mencionado é possível perceber nas linhas de sua obra a influência de Walt Whitman, mediante aos versos amplos e com ritmos livres.

As principais obras de Ronald de Carvalho, segue abaixo:
Luz Gloriosa (1913)
Pequena História da Literatura Brasileira (1919)
Poemas e Sonetos (1919)
Epigramas Irônicos e Sentimentais (1922)
Toda a América (1926)
O Mercador de Prata, de Ouro e Esmeralda
Epigrama
Uma noite em Los Andes
Sabedoria
Brasil

Leia também! Assuntos relevantes