Ronald de Carvalho

No dia 16 de Maio de 1893, na cidade do Rio de Janeiro, nasce Ronald de Carvalho, filho de Artur Augusto de Carvalho, engenheiro naval e de Alice Paula e Silva Figueiredo de Carvalho. Ronald iniciou seus estudos secundários no ano de 1899 no Colégio Abílio, localizado no Rio de Janeiro, forma-se no ano de 1907 e logo após inicia o curso de Direito na Faculdade Livre de Ciências Jurídicas e Sociais, para no ano de 1912 se formar como bacharel. Nesse momento de sua vida, Ronald já colaborava com o jornal Diário de Notícias e também da revista A Época, vale lembrar que o jornal era de Rui Barbosa.

No ano de 1913, Ronald de Carvalho estréia na literatura com sua obra Luz Gloriosa que lançou em Paris, onde foi para estudar Sociologia e Filosofia. Este primeiro trabalho de Ronald traz claras influências de autores extremamente importantes para a literatura mundial, são eles: Charles Baudelaire e Paul Verlaine.

Em 1914, Ronald ruma para Portugual/Lisboa onde exerce suas atividades diplomáticas. E no ano de 1915, Ronald ingressa para um grupo modernista que acaba lançando uma revista chamada Orpheu, revista esta que foi o marco do modernismo daquele país. Em 1919, Ronald retorna ao Brasil e lança sua obra Poemas e Sonetos, trabalho este que revela uma influência da estética parnasiana.

Para Ronald, ter participado de um momento histórico em Portugal no campo da literatura, tornou-o ávido por trazer as mesmas novidades para o Brasil, prova disso foi sua mais que ativa participação na Semana de Arte Moderna realizada em 1922, que acabou se tornando o marco do modernismo no Brasil.

No entanto, Ronald com a leitura de um poema de Manuel Bandeira, choca a todos os participantes do segundo dia da feira. O poema em questão, conhecido por Os Sapos, nada mais é que uma sátira a poesia, principalmente aos poetas parnasianos, que inúmeras vezes foram comparados a sapos coaxando.

Depois desta participação peculiar na Semana de Arte Moderna, Ronald decidi dar um novo rumo à sua carreira e lança, Epigramas Irônicos e Sentimentais e dois anos depois, Toda a América, neste último trabalho mencionado é possível perceber nas linhas de sua obra a influência de Walt Whitman, mediante aos versos amplos e com ritmos livres.

As principais obras de Ronald de Carvalho, segue abaixo:
Luz Gloriosa (1913)
Pequena História da Literatura Brasileira (1919)
Poemas e Sonetos (1919)
Epigramas Irônicos e Sentimentais (1922)
Toda a América (1926)
O Mercador de Prata, de Ouro e Esmeralda
Epigrama
Uma noite em Los Andes
Sabedoria
Brasil

Leia também! Assuntos relevantes