Revolução de Avis


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Revolução de Avis

Durante o período de grande crise do século XIV, as rotas terrestres entre a França e os Flandres tiveram que ser fechadas, na tentativa de se evitar a propagação das guerras constantes do período e da peste bubônica.

Assim, Portugal tornou-se passagem obrigatória no caminho que levava do Mar Mediterrâneo ao Mar do Norte e vice-versa. Essa posição privilegiada impulsionou grandemente o crescimento econômico da burguesia mercantil portuguesa.

Entretanto, se por um lado a crise beneficiava a burguesia, por outro dizimava a população rural.

Esta última sofria diretamente com as guerras e com a peste. Quem não sucumbia a alguma dessas duas adversidades, ou revoltava-se ou migrava para as cidades. O êxodo rural tornou-se imenso e, para freá-lo, o rei lusitano Afonso IV proclamou a Lei das Sesmarias.

De acordo com essa legislação, os proprietários de terras não-cultivadas perdiam o direito a elas. Ou seja, a lei fazia com que os latifundiários se vissem na obrigação de impedir a migração dos camponeses, garantindo assim a produtividade das terras e, portanto, sua manutenção.

Tal medida, que prejudicava a nobreza proprietária favorecia claramente a burguesia, mostrando sua influência junto ao rei.

Portanto, o momento era, em todos os sentidos, bastante próspero para a classe burguesa, que usufruia de um período de ascensão em meio à crise geral. Em 1383, o último rei da dinastia de Borgonha, D. Fernando I, morreu sem deixar herdeiros.

A ausência de descendentes reais lançou Portugal numa séria crise monárquica, cujos desdobramentos só viriam a provar a hegemonia burguesa na nação. Instaurou-se dois grupos rivais na disputa pelo trono: de um lado, Dona Leonor Teles (viúva de D. Fernando), que comandava o grupo apoiado pela nobreza tradicional, defendia a união de Portugal ao reino de Castela; de outro lado, D. João (Mestre de Avis e irmão ilegítimo de D. Fernando), que encabeçava o grupo apoiado pela burguesia, pela nobreza militar e pelas plebes urbanas e rurais.

Uma eventual união de Portugal com Castela seria desastrosa para a burguesia portuguesa. Explica-se: a Espanha (onde estava Castela) vivia ainda sob estrito contexto feudalista, ao passo que os portugueses já apresentavam claros sinais do desenvolvimento que logo situaria a nação como a mais poderosa do mundo conhecido.

Como uma solução pacífica para o impasse não foi alcançada, o conflito armado tornou-se inevitável.

Por fim, em 1385, na batalha de Aljubarrota, as tropas de D. João esmagaram os castelhanos.

Iniciava-se desta forma a dinastia de Avis em Portugal, que seria marcada pela consolidação da aliança real com a burguesia, o que possibilitou uma centralização monárquica até então inédita na história do país. Tal centralização levaria a um grande crescimento e faria de Portugal a primeira nação européia a expandir seus limites para territórios extracontinentais, através das conquistas coloniais ultramarinas.


Fonte:
http://www.sosprofessor.hpg.ig.com.br/Historia/revolucao_de_avis.htm





Saiba mais

Buscas relacionadas a Revolução de Avis em História.


[ Pesquisa escolar lida 74797 Vezes - Categoria: História ]


Leia também! Assuntos relevantes.

Causas da Guerra no Iraque
Existem inúmeras causas para a Guerra no Iraque ter acontecido. Entre as razões mais evidentes estão a conjuntura política do momento, a economia, a r...
Lido: 9683 Vezes

Revolução Mexicana
Introdução No México, ano de 1823 marca o fim do governo de Augustín Iturbide e abre um longo período de instabilidade com as disputas caudilhescas. ...
Lido: 19595 Vezes

O conflito israelo-árabe
A perseguição e o programa de exterminação dos judeus pelos nazistas, durante a guerra, acarretou uma crise que envolveu a Inglaterra, a Palestina e a...
Lido: 7163 Vezes

Perguntas e Respostas sobre as Expedições
Quais os motivos que provocaram a expansão marítima e comercial dos séculos XV e XVI? * A guerra dos 100 anos, que provocou fome e miséria na Europa,...
Lido: 15890 Vezes

Guerra Sino-Japonesa
A história do Japão foi marcada por mais de uma Guerra Sino-japonesa. O primeiro conflito aconteceu a partir de agosto de 1894. Na ocasião, os chin...
Lido: 2873 Vezes

Guerra dos Seis Dias
A Guerra dos Seis Dias aconteceu em junho de 1967, quando Israel invadiu a Faixa de Gaza, a península do Sinai no Egito, a Cisjordânia e as colinas de...
Lido: 5622 Vezes

Revolução Russa
De todas as revoluções ocorridas nos tempos modernos, a Revolução Russa de 1917 foi a que mais esperanças despertaram de construir um mundo melhor. Li...
Lido: 9489 Vezes

Expedições de Martim Afonso de Souza
Comandada por Martim Afonso de Sousa, partiu de Lisboa, em dezembro de 1.530, uma expedição composta por cinco navios, com uma tripulação de aproximad...
Lido: 10598 Vezes

Guerra do Golfo
Resumo da História da Guerra do Golfo A Gerra do Golfo, também conhecida como a guerra do petróleo, foi um conflito iniciado em agosto de 1990 entre ...
Lido: 15442 Vezes

Conflito do Irã - Iraque
No Irã, a dinastia Pahlevi, no poder desde 1925, foi derrubada em 1979 pelos patidários do aiatolá Khomeini, líder muçulmano da seita radical xiita. C...
Lido: 20915 Vezes

Sugestão de Busca Escolar

Sites

Encceja
Enem
SISU
Prouni
Paixão e Amor
Curiosidades
Relacionamento

Fale Conosco
Feed / RSS

Comunidade no Google +
Comunidade no Twitter


Novidades no seu e-mail

Estudantes Online
Sobre o Grupo Escolar

GrupoEscolar.com - Todos direitos reservados

Todo o conteúdo do site é retirado da internet e/ou enviado pelos estudantes.

Caso algum conteúdo infrinja direitos autorais entre em contato que adicionaremos crédito ou retiraremos o mesmo.

As opiniões expressas nos textos são de responsabilidade dos seus autores.

Somos apenas um veículo de comunicação e não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.