Pitágoras

A vida
Embora a existência histórica de Pitágoras seja por muitos posta em dúvida, parece haver um exagero em tal posição. Em razão disso, é aconselhável remontar às fontes mais antigas para obter notícias menos discutíveis acerca de Pitágoras. É de crer não haja Pitágoras deixado qualquer obra escrita, admitindo-se que os primeiros trabalhos de exposição das doutrinas da escola se deveram a Filolau, que foi contemporâneo de Platão.

Afirma-se comumente, haver Pitágoras nascido na ilha de Samos, Ásia Menor, por volta do primeiro quarto do séc. VI a C., tendo falecido no fim deste século. Aristocrata, filho de opulento comerciante, teria deixado a região natal por aversão à tirania de Polícrates, visitando santuários gregos e estendendo a viagem de estudos ao Egito, pois já se interessava por ciência e filosofia.

Não se sabe se Pitágoras morreu durante o desencadear-se de uma das perseguições a que foi vítima - morte talvez haja ocorrido em 504 a C., quando a primeira perseguição ocorreu - provavelmente, porém, no ano 500 a C. já não vivia.


Pitagorismo
Se a figura de Pitágoras só pode ser pintada com linhas fluidas, não menos claro é o perfil do pitagorismo, movimento religioso e científico. Sua metafísica ensina a metempsicose e a purificação da alma através do conhecimento; uma doutrina esotérica que fala da realidade por trás do mundo visível, que é de essência matemática.

Admite-se que as doutrinas éticas dos pitagóricos não fugiram ao esquema geral da cultura grega do tempo, reconhecendo-se entretanto, que buscaram acentuar a consciência do dever e auto reflexão e mostraram tendência nítida de espiritualizar a vida.

A matemática como argumento dedutivo-demontrativo começa com Pitágoras e, nele, está ligada a uma força peculiar de misticismo. Afirmou que todas as coisas são constituídas de números, imaginando a estes como pontos dispostos em forma de figuras tais como aparecem nos dados e nas cartas do baralho. Nesse caso, as coisas seriam harmoniosamente compostas de pequenas partículas ordenadas em figuras numéricas. Associou o número, à música e à mística.

A maior descoberta de Pitágoras ou de seus discípulos imediatos, diz respeito à relação existente nos triângulos retângulos, que consiste em provar que a soma do quadrado dos catetos é igual ao quadrado da hipotenusa.

Como crença religiosa fundamental, Pitágoras ensinava a transmigração das almas e a abstenção de várias práticas, inclusive de se comer fava com carne, provavelmente esta última em decorrência de ensinar a possibilidade de a alma reencarnar em animais. O pitagorismo foi um movimento de reforma do orfismo.

Passando do campo da música para o da Astronomia, os pitagóricos sugeriam a idéia de que uma ordem domina o universo. Evidências dessa ordem estariam na sucessão de dias e noites, no alternar-se das estações, no movimento circular e perfeito das estrelas. Em razão disso, o mundo pode ser chamado de Kosmos, denominação que a ele teria sido aplicada pela primeira vez por Pitágoras e que é palavra intraduzível, no qual se diz estarem contidas idéias de ordem, correspondência e beleza. Teria sido também Pitágoras, o primeiro a falar em “harmonia das esferas” para aludir à perfeição do plano do mundo. Para eles, a Terra era esférica, uma estrela entre as estrelas, onde todas se moviam em torno de um fogo central . Diziam que suas distâncias do fogo central coincidem com intervalos musicais, de modo que no universo ressoa uma harmonia das esferas.

A influência deixada por Pitágoras foi uma das maiores que registra a história do pensamento antigo.

* Grande parte das informações sobre Pitágoras e seus discípulos é de segunda mão e de natureza lendária.

Leia também! Assuntos relevantes