Emprego do H - G - J - SS - Ç e Outros

Emprego do H - G - J - SS - Ç e Outros

Emprego do H
Certamente você já deve ter tido alguma dificuldade com o emprego do h. As regras que se seguem vão ajudá-lo a resolver muitas de suas dúvidas:

1. O h etimológico aparece no início de palavra primitiva, mas desaparece na derivada. Exemplos:
humanizadas (mas desumanizadas), habitável (mas inabitável), harmonia (mas desarmonia), hábil (mas inábil), honesto (mas desonesto), herdar (mas deserdar)


2. O h permanece nos compostos ligados por hífen. Exemplo:
anti-higiênico pré-histórico sobre-humano super-homem pseudo-herói mal-humorado

Como o h não tem valor fonético, quer dizer, não é pronunciado, somente a prática ou um bom dicionário poderão dar-lhe a certeza sobre se a palavra tem h inicial ou não. Eis algumas palavras que, por vezes, podem nos confundir:

ontem, úmido, ombro, hesitar, hoje, humilde, êxito, erva, ermo, herbívoro


3. Por força da tradição, escrevemos com h o substantivo próprio Bahía (estado brasileiro).
Seus derivados, porém, dispensam o h: baiano, baianada, etc. O acidente geográfico, contudo, é escrito sem h: baía.


4. Usamos a letra h nos dígrafos ch, 1h e nh: cacho, palha, pinha.


5. O h costuma aparecer no início ou no fim de certas interjeições:
ah! oh! ih! bah! hem! bem!



Emprego de G – J
1. Com som de j, a letra g só pode ser empregada antes das vogais e e i. Exemplos:
gente – urgente – girafa – gengiva


2. Emprega-se o j, porém, antes das vogais a, o e u. Exemplos:
jumento – varejo - juba – sertanejo – granja

IMPORTANTE
Em muitos casos, usa-se o j, também, antes de e e de i. Vejamos quando isso ocorre:

a) em palavras derivadas de outras que já se escrevem com j Exemplos:
laranja: laranjeira, laranjinha, laranjeirense

encorajar: que tu encorajes, que nós encorajemos (mas a coragem) loja: lojinha, lojista, lojeca

viajar: que tu viajes, que eles viajem (mas a viagem) canja: canjica

ultrajar: eu ultrajei, que eles ultrajem, o ultraje sujo: sujeira, sujinho

anjo: anjinho (mas angélico) varejo: varejista

trajar: que tu trajes, que eles trajem, o traje


b) quando a origem latina da palavra assim o exigir. Exemplos:
jeito — hoje — injeção — interjeição — jeitoso — ajeitar — rejeitar — jejum —jejuar — jesuíta, etc.


c) em palavras de origem tupi-guarani ou africana. Exemplos:
pajé — jequitibá — jerimum — jiló — Moji — jirau — jê, etc.


3. Emprega-se também a letra g:

a) na terminação -gem:
viagem — bobagem — linhagem — penugem — homenagem, etc. Exceções: lambujem, pajem.

b) nas terminações -ágio, -égio, -ígio, -ógio, -úgio
pedágio — privilégio — vestígio — relógio — refúgio, etc.



Emprego de L — U
Outra dificuldade ortográfica, proveniente da pronúncia, é a troca do u por 1 e vice-versa.

Exemplos: alto-falante, automático.



Emprego de O — U
Freqüentemente, também em razão da pronúncia, troca-se o o pelo u e vice-versa. Exemplos:

boate — chover — costume — engolir — burburinho — mágoa —jabuticaba — entupir — jucundo — cutucar — lóbulo



Emprego de E —1
Devido ao hábito de, em algumas palavras, pronunciar-se o i em vez do e átono, fica difícil distinguir qual a grafia correta. Exemplos:

marceneiro — lêndea — mexerica — eletricista — privilégio


Emprego de SS — Ç
Veja, agora, algumas "dicas" para não confundir o emprego de ss com ç.

1. Grafam-se com ss os nomes a que correspondem verbos cujo radical é ced. cessão (de ceder) — acesso (de aceder)

2. Escrevem-se com ss os nomes a que correspondem verbos cujo radical é gred regressão (de regredir) — agressão (de agredir)

3. Grafam-se com ss os nomes a que correspondem verbos cujo radical é prim:

impressão (de imprimir) — repressão (de reprimir)

4. Escrevem-se com ss os nomes a que correspondem verbos derivados de meter: intromissão (de intrometer) — submissão (de submeter)

5. Grafam-se com 5505 nomes a que correspondem verbos terminados em tir:. discussão (de discutir) — admissão (de admitir)

6. Emprega-se ç nos derivados de palavras terminadas em to:

isenção (de isento) — canção (de canto) — alçar (de alto) — ação (de ato)

7. Usa-se ç nos derivados do verbo ter e seus compostos:

detenção (de deter) — contenção (de conter) — retenção (de reter)

8. Emprega-se ç após ditongos:

eleição (ei = ditongo) — afeição (ei = ditongo) — traição (ai = ditongo)

9. Usa-se ç nos vocábulos de origem:
árabe: açúcar — açucena — açafrão — muçulmano — açafate

tupi-guarani ou africana: araçá — Iguaçu — Juçara — miçanga — paçoca —Paraguaçu — moçorá — caçula — muçurana



10. Grafam-se com ç as palavras em cuja formação entram os sufixos -ação, -aça, -aço, -iço,
-iça e -uça:

marcação — armação — embarcação — alegação; barcaça — mulheraça — carcaça linhaça; ricaço — mormaço — laçaço — estilhaço; enfermiço; carniça; dentuça


Emprego de S — Z
Sobre a grafia com sou com z, observe as seguintes regras:

1. Grafam-se com s (ísar) os verbos que derivam de palavras cujo radical apresenta a letra s.

Exemplos:
alisar (de liso) — improvisar (de improviso) — paralisar (de paralisia) —divisar (de divisa) — pesquisar (de pesquisa)


2. Escrevem-se com z (izar) os verbos que derivam de palavras cujo radical não apresenta a
letra z Exemplos:
agonizar (de agonia) — amortizar (de morte) — fraternizar (de fraterno) —amenizar (de ameno) — atualizar (de atual)


3. São grafados com s (esa) os substantivos que não derivam de adjetivos. Exemplos:
marquesa (de marquês) — defesa (de defender) — camponesa (de camponês)


4. Grafam-se com z (eza) os substantivos que derivam de adjetivos. Exemplos:
baixeza (de baixo) — gentileza (de gentil) — frieza (de frio) — magreza (de magro)



Emprego do S
1. Grafam-se com s os nomes a que correspondem verbos cujo radical termina em nd expansão (de expandir) — suspensão (de suspender) —pretensão (de pretender) — ascensão (de ascender)

2. Escrevem-se com s os nomes a que correspondem verbos cujo radical termina em rg ou rt imersão (de imergir) — inversão (de inverter) — conversão (de converter) —diversão (de divertir)

3. Usa-se s nos nomes a que correspondem verbos cujo radical é pelou corri expulsão (de expelir) — discurso (de discorrer) — concurso (de concorrer)







TESTES
A frase em que todas as palavras estão corretamente grafadas é:

a) Ele acha que é a marezia que corróe os metais de forma implacável.

b) Que prazeroso o momento em que o charreteiro me passava as rédeas...

c) Espero que o rapazinho não continui tão dispercivo nos estudos.

d) Às vezes o silencio traz mais constranjimento do que as mais rispidas palavras.

e) O carro foi abalrroado e ninguém quis assumir os prejuísos.



Assinale a opção em que todas as palavras se completam adequadamente com as letras entre parênteses:

a) mi__ to; ve__ame; e __emplar. (x)

b) empeci__o; famí__a; estarda__aço. (lh)

c) __unidade; __umidade; __ombridade. (h)

d) cabe__reiro; estrang__ro; praz__roso. (ei)

e) di__ernir; di__ente; côn__io. (sc)

O convite já foi........; contamos com o........de recebê-lo em nossas........de prata.

a) expedido - privilégio - bodas

b) expedido - previlégio - bôdas

c) espedido - privilégio - bodas

d) espedido - privilégio - bôdas

e) espedido - previlégio - bodas

Gestos........eram uma das expressões de sua.........

a) majestáticos - extroverção

b) majestáticos - extroversão

c) magestáticos - extroversão

d) magestáticos - extroverção

e) magestáticos - estroverção

I - O Congresso deveria _______ o _______ de todos os políticos corruptos.

II - Quando há muita _______ é preciso dirigir com o máximo de cautela.

III - Os jurados não concordaram em _______ o réu acusado de _______ negros em seu restaurante.

Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas acima.

a) cassar - mandado - serração - descriminar - discriminar

b) cassar - mandato - serração - discriminar - descriminar

c) caçar - mandato - serração - descriminar - descriminar

d) cassar - mandato - cerração - descriminar - discriminar

e) cassar - mandato - cerração - discriminar - discriminar


GABARITO: 1) B, 2) C, 3) A, 4) B, 5) D


Fonte:
http://www.netvestibulando.hpg.ig.com.br/poremprego.htm

Leia também! Assuntos relevantes