Ciclo de Krebs

Por

O ciclo de Krebs, ou ciclo do ácido cítrico, é uma fase da respiração celular. Esse esquema foi descoberto pelo bioquímico Hans Adolf Krebs, em 1938.

Esse ciclo acontece na matriz mitocondrial através de uma rota anfibólica, catabólica e anabólica. No ciclo de Krebs, o ácido pirúvico (C3H4O3) da glicólise sofre uma descarboxilação oxidativa graças à ação da enzima piruvato desidrogenase, encontrada no interior das mitocôndrias de seres eucariontes. Dessa reação acontece a produção de acetilcoenzima A (acetilCoA) e de uma molécula de gás carbônico (CO2).

Depois dessa reação acontece a liberação da molécula de coenzima A, que forma o ácido cítrico. Na sequência vem uma série de oito reações onde há a liberação de duas moléculas de gás carbônico, elétrons e íons H+.

A última fase do ciclo se dá quando o ácido oxalacético é restaurado e devolvido à matriz mitocondrial. No ciclo de Krebs, a energia liberada ajuda em alguns processos celulares.

Assim, o ciclo de Krebs nada mais é do que uma reação catabólica que promove a oxidação do acetilCoA, em duas moléculas de CO2, e que conserva parte da energia livre como coenzimas reduzidas utilizadas na produção de ATP.

O ciclo de Krebs também tem função anabólica, sendo por isso classificado como um ciclo anfibólico. O ciclo também é conhecido como ciclo do ácido cítrico por formar esse ácido em sua fase inicial das etapas do processo da respiração celular.

Esse ciclo é composto por oito reações controladas enzimaticamente.

Leia também! Assuntos relevantes