Conheça a Misofonia

Alguns sons têm o poder de incomodar profundamente algumas pessoas. Um estudo recente classificou esse problema como Misofonia, uma condição cerebral que faz com que uma pessoa passe a odiar um determinado som.

Pesquisas da Universidade de Newcastle escanearam os cérebros de 42 pessoas diferentes no Reino Unido e descobriram que existe uma anormalidade cerebral genuína influenciada pelos sons. Os participantes foram colocados em um scanner de ressonância magnética enquanto os pesquisadores tocavam uma série de ruídos, que iam desde o barulho da chuva até gritos. A ideia era ver como as pessoas reagiriam.

Embora os sons incômodos provocassem uma reação, alguns sons normais também desencadeavam desconfortos. As descobertas foram publicadas na revista médica Current Biology e revelaram que a parte insular anterior do cérebro, que une os sentidos e as emoções, ficava excessivamente ativa nas pessoas que sofriam de misofonia. O Dr. Sukhbinder Kumar, da Universidade de Newcastle, disse: “Alguns sons são um gatilho para reações de raiva”.

Menina tampando os ouvidos e gritando

Os especialistas admitiram que não era possível concluir se a misofonia era uma consequência do estado interno de uma pessoa. Mais pesquisas ainda são necessárias para definir essa condição.

Os pesquisadores também disseram que a misofonia não aparece em nenhuma classificação neurológica ou psiquiátrica de distúrbios. Sendo assim, este estudo define um fenótipo claro baseado em mudanças no comportamento e estruturas cerebrais.


Saiba mais sobre a Misofonia

Segundo os estudiosos, alguns sons provocam uma resposta exagerada do cérebro, desencadeando a raiva. A chamada misofonia é um distúrbio afetivo do processamento de sons, caracterizado pela experiência de fortes emoções negativas, como raiva e ansiedade, em resposta a sons cotidianos, como aqueles gerados por outras pessoas comendo, bebendo, mastigando ou respirando.

Mulher com expressão de raiva

Os sons desencadeantes tornam a misofonia uma desordem devastadora para os pacientes e suas famílias. Usando ressonância magnética funcional e estrutural, juntamente com medições fisiológicas, os pesquisadores constataram que os indivíduos misofônicos apresentam respostas específicas relacionadas a sons de gatilho no cérebro e no corpo.

Os resultados da pesquisa mostram que a misofonia é um distúrbio no qual o paciente apresenta uma saliência anormal no cérebro, atribuída a sons específicos. Os dados mostram que os sons desencadeantes causam hiperatividade cerebral e uma conectividade funcional anormal em áreas específicas do cérebro humano, como, por exemplo, no córtex frontal medial.

As sensações negativas são causadas, muitas vezes, por sons inofensivos, juntamente por causa da percepção de cada pessoa. A pesquisa também mostrou que os sintomas da misofonia começam logo no início da vida, a partir dos 12 anos de idade.


Veja também:

Poluição Sonora

Audição

Doenças que afetam a audição

Zumbido no Ouvido: Causas e Soluções

O que um Psiquiatra, Psicólogo, Psicanalista e Psicoterapeuta fazem?

Leia também! Assuntos relevantes