Concordância Nominal

As classes de palavras da Língua Portuguesa precisam se relacionar de forma correta, para isso é empregada a concordância nominal, com um conjunto de regras e procedimentos para que o enunciado esteja correto. Assim, substantivos, adjetivos, numerais, pronomes e outras classes podem concordar na relação, sendo empregados de maneira adequada.

Por exemplo:

As minhas cinco casas lindas foram destruídas recentemente.

Aqui, a concordância nominal acontece em torno do substantivo casas. Veja que as palavras de outras classes, como numeral “cinco”, o pronome possessivo “minhas”, entre outros agentes do enunciado, seguem a concordância nominal com base no substantivo.

Veja que “lindas”, um adjetivo, está no plural e no feminino, justamente para haver concordância nominal com “casas”.


Como funciona a regra da concordância nominal?

Substantivo e adjetivo precisam concordar em número e gênero. Se o enunciado tiver mais substantivos, o adjetivo precisa concordar com o que estiver mais perto.


Exemplos:

Casas lindas foram construídas por ele!

Espaços e casas vazias não foram usados na reforma.

Veja que “vazias” está concordando com casas, o substantivo que está mais próximo.

No caso de nomes próprios, o plural deve ser aplicado no adjetivo. Veja:

Joana e Francisco, considerados ótimos atletas, venceram a prova!

Veja que “ótimos” está no masculino e no plural.


Existem mais regras a respeito da relação entre substantivo e adjetivo. Se o enunciado tem mais de um substantivo e eles estão postos após os substantivos, a concordância é feita com todos ou com o que estiver mais perto. Veja:

Quanto dinheiro e moeda bagunçada!

Quanta moeda e dinheiro bagunçado!

Quanto dinheiro e moedas bagunçados!

Quantas moedas e dinheiro bagunçados!

Se o enunciado apresentar mais de um adjetivo, veja como a concordância nominal é realizada. O artigo é posicionado antes do último adjetivo:

Amo o carro vermelho e o azul.


Ou o artigo é colocado no plural antes dos 2 adjetivos. Veja:

Amo os carros vermelho e azul.

O substantivo pode ficar no plural ou no singular em caso de número ordinário que o antecede.

A primeira e segunda ponte.

A primeira e segunda pontes.


Se eles estiverem após o substantivo, o plural é obrigatório. Veja:

As pontes primeira e segunda.

Concordância nominal em outras expressões

“É necessário” e “É proibido” só variam quando houver determinantes.


Veja:

É proibida a venda para menores.

É proibido venda para menores.

É necessário comercialização de verduras sem agrotóxicos.

É necessária a comercialização de verduras sem agrotóxicos.

Moeda é necessário para troco.

A moeda é necessária para troco.

“Anexo” é uma palavra que precisa ter absoluta concordância nominal com o substantivo, em número e gênero.


Veja:

Em anexo a documentação.

Em anexo o documento.

Em anexo o comprovante.


A palavra “bastante” pode se tornar “bastantes”, variando em número e gênero, quando admite função de adjetivo e precisa concordar com o substantivo. Veja:

Compramos bastantes carros.


“Meio”, significando metade e sendo usado como adjetivo, também concorda com o substantivo. Veja:

Pagamos meia entrada.

Gastei meio salário em compras no supermercado.

“Menos” é uma palavra que nunca varia.

Tinha menos casas de espetáculo do que o concorrente.

Havia menos buracos na estrada de terra neste fim de semana.