Peru

Por

• Nome oficial: República do Peru.

• Superfície: 1.285.215 km².

• Situação: América do Sul

• Limites: Ao noroeste limita com Equador, ao nordeste com Colômbia, no leste com Brasil, no sudeste com Bolívia, no oeste com o Pacífico e ao sul com o Chile e o Oceano Pacífico.

• População: 27,2 milhões de habitantes (2003).

• Capital: Lima.

• Bandeira: Três linhas verticais, as duas exteriores vermelhas e a intermediária branca. No centro desta está o escudo das armas com seu timbre, uma mão e uma rama de laurel entrelaçadas.


• Moeda: Nuevo Sol.

• Principais cidades: Lima (7.594.000 habitantes); Arequipa (710.103); Trujillo (603.657); Callao (515.200); Chiclayo (469.200); Iquitos (334.013); Piura (308.155); Huancayo (305.039); Chimbote (298.800); Cusco (278.590).


• Departamentos:
O Peru divide-se em 25 departamentos e estes dividem-se em 194 províncias.

• Amazonas – Capital: Chachapoyas

• Ancash – Capital: Huaraz

• Apurímac – Capital: Abancay

• Arequipa – Capital: Arequipa

• Ayacucho – Capital: Ayacucho

• Cajamarca – Capital: Cajamarca

• Callao – Capital: El Callao

• Cusco – Capital: Cusco

• Huancavelica – Capital: Huancavelica

• Huánuco – Capital: Huánuco

• Ica – Capital: Ica

• Junin – Capital: Huancayo

• La Libertad – Capital: Trujillo

• Lambayeque – Capital: Chiclayo

• Lima – Capital: Huacho

• Loreto – Capital: Iquitos

• Madre de Dios – Capital: Puerto Maldonado

• Moquegua – Capital: Moquegua

• Pasco – Capital: Cerro de Pasco

• Piura – Capital: Piura

• Puno – Capital: Puno

• San Martín – Capital: Moyobamba

• Tacna – Capital: Tacna

• Tumbes – Capital: Tumbes

• Ucayali – Capital: Pucallpa


• Relevo: O território peruano apresenta três regiões bem definidas: Costa, Serra ou Região Andina e a Selva ou Amazônia. A Região Andina está constituída por Andes que atravessam o país de norte a sul. Nessa região estão os principais depósitos minerais.

A região amazônica, formada pelas ladeiras e planícies orientais que formam parte da depressão amazônica, ocupa 62% do território peruano.


• Hidrografia e costas: A costa é uma franja de 40 km de extensão a 800 km de largura, arenosa e árida, com exceção de alguns vales férteis. Peru tem três grandes zonas hidrográficas. A primeira compreende cerca de 50 rios que nascem na Serra e descendem em direção a região da Costa; a segunda, em direção ao rio Amazonas e seus afluentes na região da Selva e a terceira compreende a zona do lago Titicaca, que o Peru divide com a Bolívia.


• Clima: Varia por influência da altitude e outros fatores. Na costa é moderado e úmido devido a Corrente Peruana de águas moderadas, com mínimas de 13ºC no inverno e máxima de 23ºC no verão.

A temperatura em Lima oscila entre os 15ºC e os 25ºC, alcançando uma umidade de até 95% no inverno. A costa norte é tropical; na zona central e sul, as chuvas são muito escassas.

Nos Andes, o clima varia de moderado a frio glacial nos picos nevados, com uma estação de chuvas de novembro a abril. As planícies de selva transandinas são quentes e úmidas, com abundantes chuvas de novembro a maio.


• As pessoas
- Diversidade étnica e cultural: Cerca de 45% dos habitantes do Peru são indígenas, muito deles descendentes dos incas. Uns 37% são mestiços e aproximadamente 15% são descendentes de europeus. Existe também uma população negra e mulata originária da África e uma importante população de origem asiática, principalmente japoneses e chineses.Aproximadamente 4% da população peruana vive em áreas urbanas.

• Idioma: Espanhol, quéchua e aimará.

• Religião: A maioria dos habitantes é católica.

• Presidente do Peru: Alan Gabriel Ludwig García Pérez (Lima, 23 de Maio de 1949) é um político peruano e atual presidente de seu país, cargo que já ocupara de 28 de Julho de 1985 a 28 de Julho de 1990.

Em 4 de junho de 2006 disputou o segundo turno das eleições presidenciais peruanas com Ollanta Humala, e venceu as eleições, tornando-se novamente chefe de Estado.


• Economia
- Recursos naturais: Os recursos minerais peruanos compreendem depósitos de petróleo na costa noroeste e na zona amazônica e cobre no sudoeste; em diferentes pontos da cordilheira andina existem diferentes centros minerais de extração de prata, ferro, ouro, chumbo e zinco. Também é importante sua reserva de bosques, especialmente cedro, roble e caboa.



• Agricultura e pecuária: Os principais produtos agrícolas são a cana de açúcar, a batata, o arroz, o milho, o algodão, o café e o trigo.
O Peru é o principal produtor mundial de coca, de cujas folhas, depois de um longo processo de refinagem, se obtêm a cocaína.
Segundo dados de 2003, o país possui 5 milhões de cabeças de gado, 1,95 milhões de caprinos, 2,86 milhões de ovinos, 720.000 cabeças de cavalos, 280.000 de mulas e 95 milhões de aves.


• Silvicultura e pesca: Nos bosques peruanos, que cobrem 51% do território nacional, se encontram pau de balsa, caucho e uma grande variedade de espécies medicinais, como a árvore da quina, a cinchona, que se obtém a quinina.
A indústria pesqueira é de grande relevância na economia do país e constitui um importante segmento das exportações. Mais de 3/5 das capturas são de boqueirão, destinados a transformar-se em farinha de pescado, produto que o peru é o maior produtor mundial.


• Indústria: Muitas das manufaturas produzidas no país são de pequena escala, mas a partir de 1950 se estabeleceram várias indústrias modernas na costa do Pacífico.
Os artigos tradicionais são: têxteis, roupa, produtos de alimentação e artesanato. Os produtos manufaturados em grandes e modernas instalações são: aço, petróleo, refinado, produtos químicos, tratamento de minerais, veículos de motor e farinhas de pescado.


• Energia: No começo da década de 90 o Peru contava com instalações elétricas de aproximadamente 3,7 milhões e kWh de potência. Em 2001 a produção anual de energia foi de 20.590 milhões de kWh. Cerca de 85% do total da eletricidade produzida foi gerada em instalações hidroelétricas.


• Transporte: Desde a II Guerra Mundial o Peru aumentou e melhorou o sistema de suas vias ferroviárias, rodovias e aeroportos. A pesar disso, a morfologia montanhosa do país torna difícil o transporte de superfície.

A principal artéria é a auto-estrada Pan-americana, que cobre uma distância de 2.495 km, que atravessa o território peruano desde Equador e continua até o Chile.

A mais importante via fluvial é o rio Amazonas, onde navega barcos de todos os calibres desde o Oceano Atlântico a Iquitos, principal porto amazônico do Peru. Também o lago Titicaca é navegável unindo Peru com Bolívia.

Aeroportos - Existem 24 aeroportos em Perú, e aproximadamente 17 linhas aéreas comerciais que voam a Lima desde Sudamérica, Norteamérica e Europa. O principal aeroporto internacional é o de Jorge Chávez, localizado entre Lima e Callao. Outros aeroportos importantes são os de Cuzco, Juliaca, Piura, Arequipa, Trujillo, Puerto Maldonado e Iquitos. Aeroperú é a linha aérea nacional com vôos nacionais e internacionais.

Portos - O porto principal de Perú é Callao. Outros portos importantes no país são Paita, Salaverry, Chimbote, Callao, Pisco, Ilo e Matarani.


• Governo e Administração
- Constituição e estrutura do Estado: Uma nova constituição, redigida pelo Congresso Constituinte Democrático, foi aprovada em um referendo nacional de 31 de outubro de 1993 e promulgada em 29 de dezembro desse mesmo ano.

Segundo essa nova constituição, o poder executivo é do Presidente, eleito pela maioria para um período de cinco anos, podendo ser reeleito uma só vez, em mandatos sucessivos. Dois vice-presidentes são também eleitos para um período de cinco anos. O presidente governa com a assistência de um Conselho de Ministros.

O poder legislativo reside em apenas uma câmera: o Congresso, que integra cento e vinte membros eleitos para um período de cinco anos. O sistema eleitoral é baseado na eleição de listas de partidos, com a participação de todos os cidadãos maiores de dezoito anos. A participação é obrigatória até os setenta anos.

- Partidos políticos

– Peru Posible (PP).

– Frente Independente Moralizador (FIM).

– Alianza Popular Revolucionaria Americana (APRA).

– Unidad Nacional (UN).

– Unión Parlamentaria Descentralista, formada por pela aliança de três partidos:

– Acción Popular (AP).

– Unión por el Peru (UPP).

– Somos Peru (SP).


• Condições sociais
- Emprego: Cerca de 9% da população ativa do país depende da agricultura. Os setores que seguem são os serviços, o setor público, a indústria, o comércio e a construção. Uns 40% dos trabalhadores assalariados estão afiliados aos sindicatos; sendo os principais a Confederação de Trabalhadores do Peru (CTP) e a Confederação Geral dos Trabalhadores do Peru (CGTP).

- Educação: O índice de alfabetização do Peru registra um aumento considerável como resultado de diversos programas destinados à educação; assim, enquanto em 1940 a população adulta alfabetizada representava 42% em 2004 era de 91%.

A educação primária é obrigatória para todas as crianças com idades compreendidas entre os 6 e os 16 anos; a pesar disso, muitas crianças que vivem nas zonas rurais do país não podem ir à escola por falta de instalações.


• Saúde e qualidade de vida: A esperança de vida no Peru é de 69 anos para os homens e 74 anos para as mulheres (dados da ONU em 2004). O índice de mortalidade infantil é de 36 falecidos por cada 1000 nascimentos.
O governo fez alguns progressos na melhora das instalações médicas, mas a saúde ainda mantém níveis inadequados.


• Cultura
- Gastronomia : Na costa, o ingrediente imprescindível é o pimentão; com toda sua força no célebre cebiche (peixe cozido com limão), e como condimento, dando aroma e cor, no picante de mariscos, no arroz com mariscos e no peixe, banhado também com um delicioso molho de mariscos.

A comida do norte se desfruta com paixão. Seus pratos mais famosos são: arroz com pato, o seco de chavelo (cavala com bananas verdes assadas), o cabrito com feijão, o shambar (sopa com carnes e verduras) e o suado de caranguejos.

Em Lima, se pode desfrutar de deliciosos pratos onde são refletidas as mais diversas influencias externas e todas as cozinhas regionais do Peru. O pimentão de galinha, as batatas com pimentão amarelo e abacate, o arroz verde com frango, o lombo saltado e o tradicional capricho noturno dos anticuchos (pedacinhos de coração de vaca asados), figuram entre os pratos prediletos do limenho, famosos pela sua boa comida.

A comida serrana mais representativa é a pachamanca, para a qual se constrói um forno de terra, onde se cozinham batatas, milhos, legumes e diferentes carnes, acompanhadas de ervas e especiarias. Os pucheros, a patasca e o caldo de cabeça de cordeiro são os caldos preferidos quando o frio aperta. As carnes de charque e de coelho são comidas em cozidos e caldos.

As batatas com molho huancaína ou de ocopa são tão irresistíveis como as tentações arequipenhas do rocoto relleno e o chupe de camarões ou o cordeiro no forno de Cuzco.

Na selva, o juane (massa de arroz com galinha), o inchi capi (galinha com amendoim e milho tostado) e o tacacho de bananas na brasa, são delícias que surpreendem a todos os paladares. A cecina( carne seca e salgada) e a patarashca (peixe enrolado com folhas de bananas e assado no fogo) fazem parte das delícias serranas e da mágica cozinha peruana.

- Música e dança: Segundo os recentes descobrimentos arqueológicos de instrumentos musicais, no Peru a música tem, pelo menos, dez mil anos de antiguidade.

Dessa larga tradição procedem as quenas, as zampoñas, os pututos (trompetes de conchas marinhas) e uma grande variedade de instrumentos de vento em cuja fabricação se utiliza materiais com cana, osso, chifres e metais preciosos, assim como diversos instrumentos de percussão.

O encontro do andino e do ocidental deu origem no Peru a mais de mil e trezentos gêneros musicais. Dois deles atravessaram o âmbito regional e se converteram em símbolos da identidade peruana: o huayno e a marinera.


- Esportes: São várias as modalidades esportivas em que o país se destaca, mas, como na maioria dos países da América do Sul, o futebol é o esporte rei. Jefferson Farfán no PSV e Jose Paulo Guerrero e Cláudio Pizarro no Bayern de Munique são os jogadores que melhor representam ao país no futebol europeu. Em outros esportes como o tênis, destaca-se a Ivan Miranda Wong (também conhecido como "o chinês"), Luis Horma e Diego Acuña, todos eles integrantes da equipe peruana na Copa Davis. O capitão da equipe é Américo Túpac Venero, consagrado tenista peruano, apesar de ter nascido em Paris.


• Meios de comunicação: O sistema telefônico peruano foi nacionalizado em 1970. Existem mais de trezentas emissoras de rádio e oito canais de televisão.
Jornais - Peru tem sessenta e quatro jornais diários, sendo os de maior circulação nacional: o Comércio, Ojo, Expreso, e La República, todos eles editados em Lima.

Telefonia - Peru conta com uma ampla rede telefônica que garante os serviços de longa distância nacional e internacional em telefones públicos e privados. Na atualidade, existem, além, 1.300.000 usuários no mercado da telefonia móvel e o sistema de comunicação satelital encontra-se em pleno desenvolvimento.

Internet - Uma extensa rede de empresas em todo o país faz possível o acesso público à Internet, denominadas comumente "cabines Internet" e o custo aproximado por uma hora de conexão é de S/.3,5 (US$1).


• Turismo: Peru o destino mais fascinante da América do Sul.Os destinos mais importantes do Peru, Trilha Inca a Machu Picchu, Lago Titicaca em Puno, Linhas de Nasca, Canion do Colca, um dos mais profundos do mundo (3.400m), Reserva Nacional de Paracas ou as reservas naturais de Tambopata e do Manu.

O Peru é um dos países mais ricos em patrimônio turístico, não só por causa dos seus valoráveis restos arqueológicos que são abundantes em nosso território, mas também por ser participante da bacia do Rio Amazonas.

Esta área, famosa como a Amazônia, é considerada pulmão do nosso planeta, ao mesmo tempo tem uma boa porção de floresta virgem que ainda permanece sem contato com o mundo de hoje.

Essa" virgindade" e alias, em latitudes tropicais, nessa floresta também podemos achar mais de 70% das espécies vivas de nosso planeta que coabitam numa diversidade sem modelo de perfeição, além da infinidade de espécies de flora e fauna que não se acham mais do que na Amazônia.


• Atrativos Turísticos
- Andinismo
O alpinismo encontra nos Andes peruanos um cenário incomparável, que atrai escaladores de toda a América. Sobram razões para isso: uma concentração única de montanhas, um bom clima durante grande parte do ano e um acesso relativamente fácil a ambientes totalmente separados das partes urbanas. Uma singular combinação que faz do Peru um dos destinos mais atrativos para alpinistas do mundo inteiro.

- Trekking
O Peru é um verdadeiro paraíso para quem gosta de caminhar. Praticamente a totalidade da serra, incluindo vales, mesetas e cordilheiras, alberga circuitos de trekking com maior e menor grau de dificuldade.
Somente alguns dos circuitos foram descobertos como rotas de trekking comercial. O resto permanece inexplorado à espera de todo aquele que deseje recorrer os mágicos percursos dos Andes peruanos, com sua extraordinária rede de caminhos pré-colombianos e suas doze mil lagoas, com os canhões mais profundos da terra, glaciais e picos nevados, bosques e cascatas, povoados encantadores e, sobretudo, gente muito hospitaleira.

- Cuzco
Um importante centro arquitetônico. Em Cuzco se edificou a capital do império Inca e foi ponto de interseção entre as três culturas bases da civilização peruana: os índios quéchuas, os conquistadores espanhóis e os contemporâneos. Destaque para a Plaza de Armas, centro de celebração Inca, a Catedral e a Igreja da Companhia. Nessa região está localizada a legendária cidade de Machu Pichu,a qual se pode recorrer em alguns dos trens que saem a cada hora.

Machu Picchu
Em quíchua Machu Pikchu, "velha montanha", também chamada "cidade perdida dos Incas", é uma cidade pré-colombiana bem conservada, localizada no topo de uma montanha, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru. Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti. O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização e características geológicas, quer devido à sua descoberta tardia em 1911. Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foi reconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixe entre as pedras. A construção original é formada por pedras maiores, e com encaixes com pouco espaço entre as rochas.

Consta de duas grandes áreas: a agrícola formada principalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a outra urbana, na qual se destaca a zona sagrada com templos, praças e maosoléus reais.

O lugar foi elevado à categoria de Património mundial da UNESCO, tendo sido alvo de preocupações devido à interacção com o turismo por ser um dos pontos históricos mais visitados do Peru.

Há diversas teorias sobre a função de Machu Picchu, porém a mais aceita afirma que foi um assentamento construído com o objetivo de supervisionar a economia das regiões conquistadas e com o propósito secreto de refugiar o soberano Inca e seu séquito mais próximo, no caso de ataque.

A 7 de Julho de 2007, em Lisboa,estádio da Luz, Portugal, o monumento foi eleito e considerado oficialmente como uma das 7 maravilhas do Mundo.

É possível chegar à cidade sagrada de trem, mas a opção imperdível para quem gosta de aventura é percorrer a Trilha Inca e chegar em Machu Picchu pela Porta do Sol. Pode-se realizar a Trilha Completa, caminhando os 45 km em 4 dias com pernoites nos acampamentos com total infra-estrutura, ou fazer a Trilha Curta, que pode ser realizada de duas maneiras: em dois dias, com pernoite no alojamento próximo às ruínas de Wina Wayna, chegando à Porta do Sol pela manhã ou caminhar os 12 km num único dia, chegando em Machu Picchu no final da tarde.

- Museu Nacional de Antropologia e História
Localizado na Praça Bolívar, abre de segunda a domingo a partir das nove da manhã. Contém diversas expressões culturais que constituem o resumo da grandeza do Peru.

- Reserva Natural de Manu
Localizada na localidade de Madre de Dios. Esta reserva está considerada a maior diversidade biológica do mundo, com espécies únicas desconhecidas em outro habitat. Contêm mais de quatro mil espécies de flora e fauna, mais de mil espécies de aves e mais de quatro mil espécies de mariposas, sendo um dos lugares mais visitados pelos peruanos e turistas. A Reserva Natural de Manu possui mamíferos, macacos, crocodilos e jaguares, além de uma enorme e espetacular vegetação, única no mundo.

- Lima
Capital do Peru e conhecida como a Cidade dos Reis. Lima é muito visitada pela mostra de contrates que oferece aos turistas, já que nessa cidade se combinam modernos edifícios com a arquitetura herdada pelos Incas. Um dos seus principais atrativos é o Oráculo e Templo de Pachacamac, assim como o Centro Administrativo de Puruchuco.

- Arequipa
Muitos dos lugares de Arequipa possuem uma característica particular: a maioria das edificações está construída com sillar (pedra vulcânica de cor branca). A cidade possui os três vulcões mais importantes do país: Chachani, Misti, e Pichu Pichu.

- Ica Nazca Paracas
O maior atrativo dessa região é a Pampa, lugar onde as figuras das linhas no solo desértico foram estudadas e fotografadas por especialistas de todo o mundo. Os vôos sobre as enigmáticas linhas podem partir desde Nazca. Na Baia de Paracas se programam visitas às Ilhas Ballestas, lugar de pingüins, leões e aves marinhas, tudo dentro do marco da reserva Nacional de Paracas onde também se podem apreciar golfinhos, flamingos, pelicanos e espécies submarinas.

• Compras: No Peru os mercados de artesanatos se encontram em Miraflores, setor comercial de Lima. Na capital se podem encontrar todo tipo de artigos, desde têxteis, prataria e muitas outras peças feitas por artesões que herdaram a arte da cultura peruana.

• Festas, arte e tradição
- Arte popular em Peru: O artesanato peruano encontra-se entre os mais variados do mundo. Sua diversidade, colorido, criatividade e múltiple funcionalidade fazem dela uma atividade fundamental não só para a configuração da identidade peruana senão também para a supervivência de milhões de famílias e ainda de povos inteiros, como Sarhua e Quinua, em Ayacucho.

- Festas e rituais de Peru: No Peru celebram-se perto de 3.000 festas populares ao ano. A maioria delas se organiza ao redor de um santo patrono e inscreve-se dentro de um calendário cristão adotado na época colonial, mas cuidadosamente fusionado à crenças mágico-religiosas de uma região particular.


- Cerâmica: A cerâmica é uma das atividades mais difundidas no Peru. Antigas técnicas prehispánicas empregadas pelas culturas Vicús, Recuay e Pashash, como a "colombina" e a "pintura negativa", obtida pela redução de oxígênio na cocção, continuam sendo desenvolvidas na atualidade em Chulucanas, Piura e também na selva do norte por nativos das comunidades Arabelas. Outra das técnicas utilizadas em Simbilá no mesmo departamento, assim como em Mollepampa, Cajamarca é o adejo, que consiste em moldar a cerâmica com as mãos e com pancadas de palhêta. A cerâmica utilitária e decorativa de Chulucanas -particularmente no distrito de La Encantada, onde existem censados 250 artesões- é uma das mais reconhecidas, sobre todo pelos finos matices logrados pelos seus ceramistas no uso da cor negra e o brunido nas suas vasilhas, e também pela elaboração de personagens “costumbristas” (chicheras, músicos e dançantes) e de animais que cobram vida com o barro trabalhado a mão. A cerâmica tem um circuito de comercialização muito extendido nos mercados de Cusco, Juliaca, cidade localizada no departamento de Puno e Arequipa. Existe também uma rede de centros artesanais e férias em Lima.



- Cestas e artigos de palha: São os tecidos de chapéus e cestas com fibras de carriço, junco e totora. A elaboração de cestas e chapéus é realizada principalmente nos departamentos de San Martín, Piura e Cajamarca, mas a totora é utilizada na cidade de La Libertad e Lambayeque para a fabricação dos "cavalinhos de totora" embarcações usadas desde as épocas antigas pelos pescadores de Huanchaco, um balneário próximo a Trujillo.

- Folclore: A riqueza folclórica do Peru é muito bem representada no Callejón de Huaylas, já que este reflete seu passado. A vestimenta da Palla de Corongo é muito famosa assim como também as danças das festividades religiosas; Sashcshas Pallas, Atahualpas, Diablitos, Negritos, entre outras.


• História
Quando chegaram os primeiros conquistadores espanhóis, já existia no Peru uma civilização muito adiantada. O país era habitado por chinchas, quéchuas e huancas. A primeira monarquia peruana se estabeleceu no século XI com Manco Cápac, fundador do Império Inca, cuja capital foi Cuzco. Esse império chegou a ser muito poderoso e alcançou um alto grau de cultura, mas já tinha iniciado sua decadência depois do reinando de Huaina Cápac (morto em 1525), quando os espanhóis desembarcaram em Tumbes com Pizarro em 1527.

O reinato do Peru, organizado por Francisco de Toledo em meados do século XVI, converteu-se durante os seguintes 200 anos na principal fonte de riqueza para Espanha graças, entre outras coisas, às minas de prata de Potosí.


1810-1824 A Independência
Peru foi o principal bastão do poder espanhol durante o processo de independência das colônias americanas, devido a que do *virrey Abascal à frente do governo de Lima conseguiu acabar com as tentativas independentista de Equador, o Alto Peru e Chile, bem como conter ao sul da atual Bolívia aos exércitos revolucionários enviados desde Buenos Aires.

Mas a marcha de Abascal, unida aos conflitos internos desatados a raiz da implementação das reformas liberais em Espanha e a ofensiva do general San Martín desde Chile desgastaram o poder espanhol. Depois de um breve encontro em Guayaquil San Martín se retira a Buenos Aires e Simón Bolívar finaliza sua campanha militar com a batalha de Ayacucho (1824) que pôs ponto final ao domínio espanhol em Sudamérica.


1824-1844 O PERÍODO DA ANARQUÍA
Os confrontos regionais e entre caudilhos não permitiram a constituição de um poder central forte que unificasse ao país. As guerras civis se sucederam e inclusive Peru foi invadido pelo presidente Boliviano, Andrés de Santa Cruz, que integrou a Peru numa Confederação Peruano-Boliviana (1836-1839) dissolvida depois da guerra com Chile.


1844-1879 A ÉPOCA DO GUANO (Excremento de aves marinhas que se encontra acumulada em grande quantidades nas costas peruanas)
Esse período de instabilidade chegou a seu fim quando surgiu a figura de do general Ramón Castilla, quem dominou a política peruana entre 1844 e a década dos anos 60. Ao descobrir-se os jazigos de guano a economia peruana se transformou e este produto se converteu na principal riqueza exportável do Peru. Os rendimentos procedentes do guano possibilitaram a construção de uma maquinaria política ao serviço de Castilla que deu estabilidade ao regime.

A morte de Castilla, o esgotamento dos jazigos de guano e os excessivos gastos do Estado conduziram à bancarrota, pese às tentativas reformistas implementados pela elite durante a presidência de Manuel Pardo (1872-1876).

A guerra do Pacífico contra Chile (1879-1883) evidenciou a profunda crise pela que atravessava o país: as tropas chilenas ocuparam Lima e Peru deveu ceder as províncias de Tacna, que depois recuperaria, e Arica, de maneira definitiva.


1884-1895 O CACERISMO
Uno dos heróis militares da guerra contra Chile, o general Andrés Avelino Cáceres se fez com o poder e durante uma década instaurou um regime autoritário sob o qual o país se foi recobrando da derrota sofrida e pondo as bases para a recuperação econômica.


1895-1919 A REPÚBLICA ARISTOCRÁTICA
Depois de uma breve guerra civil, os partidos Civil e Democrático expulsaram a Cáceres e instauraram um regime liberal sob o qual a elite civil assumiu o controle político. Baseado numa economia agro-exportadora e na alternância pacífica entre partidos, Peru viveu um período de grande estabilidade.


1919-1930 O REGIME DE LEGUÍA
As divisões internas na elite e os confrontos entre os partidos propiciaram o surgimento da figura de Augusto B. *Leguía, quem estabeleceu um regime de corte autoritário que se sustentou graças ao auge econômico dos anos 20. Neste período nasce o primeiro partido de massas da história do Peru, o APRA (Aliança Popular Revolucionária Americana), de corte reformista, socialista e indianista, fundado e dirigido por Víctor Raúl Tenha da Torre.


1930-1980 ANOS DE INSTABILIDADE POLÍTICA
Durante esses 50 anos se sucederam regimes civis e militares que não conseguiram dar continuidade institucional ao sistema político peruano. As ditaduras de corte corporativista de Luis Sánchez Cerro (1930-1933) e a conservadora de Óscar Benavides (1934-1939) foram seguidas por períodos de maior abertura: as presidências de Manuel Pardo (1939-1945) e de J.L. Bustamante (1945-1948).

O APRA, derrotado eleitoralmente promoveu uma insurreição armada em 1932 que foi violentamente reprimida. Estes fatos determinaram o veto do exército, que excluiu ao APRA do governo durante décadas, criando um clima de instabilidade política que desembocou na ditadura do general Manuel Odría com quem a direita atingiu em 1948 o poder que lhe negavam os eleitores.

Os fracassos reformistas experimentados durante as presidências de Manuel Prado e Fernando Belaunde Terry nos ano sessenta conduziu à instauração do regime militar encabeçado por Juan Velasco *Alvarado de tendência esquerdista que acentuou o intervencionismo estatal.


1980-2005 O PERÍODO DEMOCRÁTICO
O fracasso econômico da ditadura e o desgaste ao que se viu submetida deram passo à transição para a democracia que encarnou Fernando Belaunde Terry (1980-1985). Seu governo padeceu a forte atividade guerrilheira do grupo Sendero Luminoso, que progressivamente foi aumentando suas ações, sobretudo durante o período presidencial de Alan García (1985-1990) quem, ademais, teve do que defrontar a uma profunda crise econômica devida a um processo inflacionário.

Seu sucessor, Alberto Fujimori, conseguiu conter a crise econômica com um conjunto de medidas de corte neoliberal e conseguiu a detenção do líder do Sendero Luminoso, Abimael Guzmán. Apoiado nestes sucesso deu um autogolpe de estado em 1993 e estabeleceu um governo de corte autoritário apoiado nas Forças Armadas e no aparelho de inteligência dirigido por Vladimiro Montesinos.

A corrupção e fraude conduziram a sua queda no meio de grandes protestos depois da tentativa de conseguir uma segunda reeleição por meios fraudulentos. Depois de um período de transição encabeçado por Valentín Paniagua (2000-2001), celebraram-se eleições democráticas, resultando eleito presidente uno dos lideres que dirigiu a oposição a Fujimori, Alejandro Toledo para o período compreendido entre 2001 e 2006.

Bibliografia:
http://www.colegiosaofrancisco.com.br/alfa/peru/historia-do-peru.php
pt.wikipedia.org


Texto enviado às 21:42 - 20/09/2008
Autor: Júlia Segatto Streck


Este artigo está licenciado sob a GNU Free Documentation License.

Leia também! Assuntos relevantes