Independência da América Espanhola

A Independência da América Espanhola foi um processo longo e complexo, que aconteceu durante o século XVIII. Foi um período marcado por questionamentos acerca do pacto colonial e da exploração e autoritarismo das monarquias que dominavam as colônias. O movimento foi bastante influenciado pelas ideias do Iluminismo, que pregava a liberdade do povo e o fim dos regimes políticos autoritários.

O processo completo de Independência da América Espanhola ocorreu após um período de cerca de 300 anos de domínio e exploração colonial. Após este processo de libertação, surgiram 18 novos países de língua espanhola, que compõem a América Latina.


Os movimentos pela Independência da América Espanhola

Os principais movimentos que aconteceram pela independência da América Espanhola e pela completa emancipação da região foram divididos em três fases: os movimentos precursores, que ocorreram entre 1780 e 1810; as rebeliões fracassadas, que dataram de 1810 a 1816; e as rebeliões vitoriosas, entre 1817 e 1824.

Antes da independência, o domínio espanhol na região era formado por um império dividido em quatro 4 vice-reinados e 4 capitanias gerais. Os vice-reinados eram a Nova Espanha, então formada pelos territórios de México e parte dos Estados Unidos; a Nova Granada, que continha os territórios de Panamá, Equador e Colômbia; o Peru e a Prata, que era formada por Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia. As capitanias gerais englobavam os territórios de Chile, Cuba, Guatemala e Venezuela.

O movimento de independência da América Espanhola teve influência também do processo de independência dos Estados Unidos. A região também estava em busca de autonomia e livre comércio. A elite da América Espanhola passou a questionar o domínio espanhol e a lutar pela liberdade.

Os primeiros movimentos populares contra as colônias hispânicas foram a Rebelião Tupac Amaru, que aconteceu no Peru em 1780; e o Movimento Comunero, que ocorreu em Nova Granada no ano de 1781.

Embarcações América Espanhola

Os interesses econômicos de Estados Unidos e Inglaterra também ajudaram a pressionar a Espanha e a acelerar o processo de independência. Os países queriam o fim do monopólio espanhol no comércio da região.

No começo do século XIX, o movimento pela independência se tornou mais intenso. Os principais líderes criollos na luta pela liberdade da América Espanhola foram Simon Bolívar e José de San Martin.

Simon Bolívar e José de San Martin

O processo de independência se tornou completo em 1826, quando a América Latina se fragmentou e deu origem aos atuais países que formam a região e que têm o espanhol como idioma oficial.

Leia também! Assuntos relevantes