Imigração Japonesa no Brasil

A imigração japonesa no Brasil teve início no século XX, mais especificamente a partir do ano de 1908. Os japoneses vieram para o país e, aqui, construíram as comunidades nipo-brasileiras. Estima-se que hoje o Brasil tenha uma população com mais de 1,5 milhão de pessoas com origem japonesa. É simplesmente a maior comunidade japonesa vivendo fora do Japão.

O processo de imigração japonesa no Brasil começou com a chegada do primeiro navio à cidade de Santos, no estado de São Paulo. Esse navio se chamava Kasato Maru e aportou no país em 18 de junho de 1908. Nesse primeiro grupo, contabilizou-se a chegada de 781 japoneses, que seguiram para trabalhar nas fazendas localizadas no interior do estado de São Paulo.

Kasato Maru

A evolução da imigração japonesa no Brasil

Depois da chegada do primeiro grupo de imigrantes japoneses, o Brasil se tornou um destino bastante procurado. Até o ano de 1973, quando o último navio, chamado Nippon Maru, chegou ao país, o Brasil já tinha uma comunidade japonesa com cerca de 200 mil pessoas. Hoje, as comunidades de nipo-brasileiros estão concentradas principalmente em São Paulo e no Paraná.

Já na década de 80, aconteceu um movimento inverso, de nipo-brasileiros viajando para o Japão em busca de trabalho. Esses imigrantes receberam o nome de dekassegui.


Informações importantes sobre a imigração japonesa no Brasil

Os imigrantes japoneses vieram para o Brasil para trabalhar. Em 1908, o país precisa de trabalhadores para as fazendas de café, localizadas em São Paulo e na região do Paraná. O Japão, por sua vez, passava por uma crise social causada pela intensificação demográfica. Com isso, o governo japonês adotou uma política de incentivo para os japoneses que desejassem viajar para trabalhar em outros países.

Um acordo entre o governo do Estado de São Paulo e o governo do Japão deu origem à onda imigratória. Os navios partiam do porto de Kobe para o Brasil. A viagem durava 52 dias. Nesse período, Brasil e Japão já tinham um Tratado de Amizade, Comércio e Navegação.

A abertura do Brasil à imigração japonesa aconteceu por meio do Decreto Lei 97, assinado em 5 de outubro de 1892. Contudo, a Lei da Imigração e Colonização foi publicada pelo governo brasileiro apenas em 1907. Essa lei dava autonomia ao Estado para definir a maneira mais adequada para receber os imigrantes.

Os primeiros japoneses que chegaram ao país foram contratados pela Companhia Agrícola Fazenda Dumont e por outras propriedades. No início, a adaptação dos japoneses no país foi muito difícil e eles começaram a abandonar as fazendas gradualmente.

Só a partir de 1910, os japoneses começaram a se acostumar com a cultura e a realidade do Brasil. Aos poucos, os japoneses passaram de trabalhadores agrícolas a proprietários de terras no país. As primeiras propriedades japonesas ficavam nas proximidades da Estação Cerqueira César, onde eles passaram a produzir algodão. Os projetos de colonização foram bem-sucedidos no Brasil.

Em 1914, o governo do Estado de São Paulo proibiu novas contratações de imigrantes e parou de subsidiar as passagens dos japoneses para o Brasil. Nesse momento histórico, a comunidade japonesa no país já era grande e forte.

Os japoneses enfrentaram muitas dificuldades no Brasil, como as mortes causadas pela malária, uma doença que eles não conheciam; e as limitações impostas aos estrangeiros durante a Segunda Guerra Mundial, como o confisco de bens, por exemplo.

Só a partir de 1948, as coisas começaram a melhorar para os japoneses. Nesse ano, Yukishige Tamura foi o primeiro nikkey eleito vereador na cidade de São Paulo. Em 1951, o governo brasileiro liberou os bens que haviam sido confiscados dos japoneses durante a guerra e as relações comerciais entre Brasil e Japão foram retomadas.

Leia também! Assuntos relevantes