A Corte Portuguesa no Brasil


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


A Corte Portuguesa no Brasil

Por João Andrade

Para contar a história da Corte Portuguesa no Brasil, precisamos voltar até as brigas entre França e Inglaterra.

Afinal, o que é que Portugal e mais ainda, o Brasil tinham com as brigas entre esses dois países poderosos ?


O Bloqueio Continental
A Inglaterra era muito poderosa, especialmente nos mares, porque sua esquadra era imbatível, e na economia, estava em plena Revolução Industrial.

A França, tradicional inimiga da Inglaterra, tinha um exército muito poderoso e era governada por um grande general, Napoleão Bonaparte, que não conseguia dominar a Inglaterra.

Para enfraquecer a Inglaterra, desorganizando sua economia, Napoleão decretou o “Bloqueio Continental” , proibindo que os países da Europa comprassem os produtos ingleses. Acontece que, Portugal era aliado da Inglaterra, assim não podia aceitar o “Bloqueio” . Assim sendo, Napoleão resolveu invadir Portugal.

É aqui que o Brasil entra na história...


A Corte Portuguesa
Portugal não tinha a menor condição de enfrentar o poderoso exército francês. Também não tinha como romper sua amizade com a Inglaterra. Quem governava Portugal ( e o Brasil também, é claro) era o Príncipe Regente, D. João, porque sua mãe, D. Maria era louca, e para ele a situação parecia sem saída.

Nessa altura, os ingleses ofereceram à Corte portuguesa uma opção interessante : toda a Corte poderia vir para a sua colônia, o Brasil, fugindo assim do exército francês. Nessa viagem, seriam escoltados e protegidos por navios ingleses ( assim Portugal ficaria em dívida com a Inglaterra).

A decisão de abandonar Portugal era muito difícil e D. João não conseguia resolver se ficava ou se partia. Só quando o exército francês já estava próximo demais tudo teve que ser resolvido às pressas. Assim foi uma vergonha, o povo zombando de seus nobres e governantes que fugiam desesperados abandonando seu país.

Para os nobres portugueses deve ter sido uma horrível aventura abandonar a Europa com todos os seus confortos para vir para uma terra desconhecida e selvagem, além de muito quente !

Depois de 50 dias de viagem, os navios portugueses chegaram ao Brasil, aportando em Salvador, Bahia. Imagine o que os nobres fugitivos devem ter sentido ! O Rio de Janeiro, local onde a Corte veio morar, era completamente imundo, cheio de mosquitos, muitos que transmitiam doenças, ruas de terra e um clima difícil de suportar para os europeus.

Assim que a Corte portuguesa chegou ao Brasil, todos perfeitamente salvos, protegidos pela Inglaterra, D. João teve que pagar ( bem caro ) suas dívidas para com os ingleses. A primeira exigência da Inglaterra foi que Portugal acabasse com o “Pacto Colonial”.



O Pacto Colonial
Era um tratado que proibia que o Brasil (colônia) fizesse comércio com qualquer país que não Portugal. Para Portugal esse pacto era extremamente importante porque :
• os produtos brasileiros comprados bem barato, porque, se os brasileiros não vendessem para Portugal, iam vender para quem ?
• os produtos portugueses eram vendidos para o Brasil, bem caro, porque se os brasileiros não comprassem de Portugal, iam comprar de quem ?

Para os brasileiros era muito ruim esse pacto, mas, para os portugueses era uma beleza. Cada vez eles ficavam mais ricos.

Por que a Inglaterra tinha interesse no fim do “Pacto Colonial” ? Ora, porque, uma vez terminado o pacto, o Brasil poderia fazer comércio com as nações amigas de Portugal. E, quem eram as nações amigas de Portugal ? A Inglaterra, é claro, e os Estados Unidos. Como a França era inimiga, os aliados da França também eram.

Essa foi a primeira parte do pagamento pela ajuda inglesa. Portanto, a “Abertura dos Portos às Nações Amigas” era, na verdade, para dar liberdade da Inglaterra fazer comércio com o Brasil.

Para a Inglaterra era importante fazer comércio com o Brasil porque precisava vender sua produção industrial e na Europa isso estava difícil por causa do “Bloqueio Continental”.

Para os brasileiros foi muito bom porque começaram a comerciar sem interferência de Portugal, embora dominados pelo comércio inglês.


A Corte Portuguesa no Brasil
Com a vinda da Corte Portuguesa para o Brasil, o Rio de Janeiro foi privilegiado.

Se o Príncipe Regente de Portugal ( D. João) governava do Rio de Janeiro, aqui era a capital do Império Português. Aqui morava a Família Real Portuguesa, portanto era preciso que a cidade fosse embelezada e oferecesse tudo aquilo de que os nobres precisavam.

Assim, surgiram novas casas e novos bairros, a Família Real foi morar na chácara onde hoje é a Quinta da Boa Vista. Foram criados novos serviços públicos como : Arquivo Real Militar, Real Fábrica de Pólvora, Erário Régio, Tribunal da Junta do Comércio, o Corpo da Guarda da Polícia, o Banco do Brasil.

Além disso, os nobres estavam habituados a ter acesso à cultura portanto, o Rio de Janeiro ganhou a Biblioteca Nacional, o Jardim Botânico, o Teatro Real de São João, a Imprensa Régia e várias Escolas.


Conclusão
A vinda da Família Real Portuguesa para o Brasil foi muito importante para a Inglaterra mas, foi mais ainda para o Brasil. Foi durante o governo de D. João, com o fim do Pacto Colonial e outras medidas, que o Brasil começou a se libertar do domínio português.





Bibliografia
História do Brasil - Luiz Koshiba e Denise M. F. Pereira Ed. Atual

História do Brasil - Raimundo Campos Ed. Atual

Fazendo a História - Aquino e Ronaldo Ed. Ao Livro Técnico





Saiba mais

Buscas relacionadas a A Corte Portuguesa no Brasil em História.


[ Pesquisa escolar lida 68551 Vezes - Categoria: História ]


Leia também! Assuntos relevantes.

A Independência do Brasil
Processo de Independência do Brasil O processo de independência do Brasil teve início em 1808, quando a família real portuguesa veio para a colônia f...
Lido: 10441 Vezes

Ciclo do Café - História do Brasil
As primeiras mudas e sementes de café chegam ao Brasil no século XVIII, por volta de 1730, vindas da América Central e das Guianas. Mas é só a partir ...
Lido: 20961 Vezes

Portugal
Posto avançado da Europa sobre o Atlântico, Portugal é um dos países que descobriram e consolidaram os novos horizontes do mundo moderno, e viveu a ma...
Lido: 16933 Vezes

História do Brasil - Brasil 500 Anos
Brasil - 500 Anos Em 1992, por ocasião dos 500 anos de viagem de Colombo, ouve intenço e extenso debate nas Américas e na Europa sobre o vocabulário ...
Lido: 10991 Vezes

História do Brasil - Bandeiras Históricas
Bandeiras Históricas do Brasil - O que é uma bandeira nacional? - O Brasil possuía uma bandeira nacional antes de sua independência política em 18...
Lido: 23236 Vezes

Ordens Religiosas em Portugal
Ordens religiosas em Portugal, no período anterior à fundação da nacionalidade já existiam mosteiros pertencentes a diversas regras no território do c...
Lido: 7754 Vezes

História de Portugal
Portugal sofreu a dominação do Império Romano, e assim houve a penetração do cristianismo em toda a península Ibérica e também firmaram-se estruturas ...
Lido: 12260 Vezes

História do Brasil - Os nomes do Brasil
Os nomes do Brasil * Pindorama (nome Índigena) * Ilha de Vera Cruz (1500) * Terra Nova (1501) * Terra dos Papaguaios (1501) * Terra de ...
Lido: 8401 Vezes

Companhia de Comércio - História do Brasil
Companhias mercantis organizadas pelos Estados colonialistas para aumentar a produção, enfrentar melhor a concorrência estrangeira e tornar mais efici...
Lido: 10315 Vezes

Feudalismo em Portugal
Feudalismo em Portugal, com base na mais recente historiografia, considera-se terem vigorado em Portugal instituições de tipo feudovassálico, assentes...
Lido: 10651 Vezes

Sugestão de Busca Escolar

Sites

Encceja
Enem
SISU
Prouni
Paixão e Amor
Curiosidades
Relacionamento

Fale Conosco
Feed / RSS

Comunidade no Google +
Comunidade no Twitter


Novidades no seu e-mail

Estudantes Online
Sobre o Grupo Escolar

GrupoEscolar.com - Todos direitos reservados

Todo o conteúdo do site é retirado da internet e/ou enviado pelos estudantes.

Caso algum conteúdo infrinja direitos autorais entre em contato que adicionaremos crédito ou retiraremos o mesmo.

As opiniões expressas nos textos são de responsabilidade dos seus autores.

Somos apenas um veículo de comunicação e não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.