Revolta Paulista de 1924

Quando ocorreu a Revolta Paulista?

No dia 5 de julho de 1924, liderados pelo general Isidoro Dias Lopes, um grupo de militares revoltosos, integrantes do movimento tenentista se uniram para pedir a destituição do presidente Artur Bernardes, considerado por eles, inimigo dos militares e do Brasil.


Motivos da Revolta Paulista de 1924

O idealismo dos militares, descontentes com a economia em crise e a concentração de poder entre os parlamentares do estado de São Paulo e Minas Gerais, clamavam pelo fim da corrupção, reformas nas instituições de ensino público com a implementação do ensino público obrigatório, o voto secreto, fim do governo da república velha e justiça gratuita para todos.


Como deflagrou a revolta?

Também conhecida como Revolução de Isidoro, Revolução Animal e Revolução de 1924, a Revolta Paulista de 1924 aconteceu nas imediações da capital paulista, teve a participação de 1.000 militares e durou 23 dias. Os militares atacaram casas e prédios em regiões estratégicas. Foi considerado o maior bombardeio que já ocorreu na cidade de São Paulo. A sede do governo do estado também foi bombardeada. Durante os 23 dias, cerca de 300 mil pessoas fugiram da cidade de São Paulo para resguardarem suas vidas.

Colagem de fotos da Revolta Paulista de 1924


Como acabou a revolta?

Pensado inicialmente em ser o estopim de proporção nacional, a revolta de 1924 não teve seu desfecho como o planejado. Aconteceram algumas pequenas rebeliões em algumas sedes de prefeituras no estado de São Paulo, porém nada com tanta notoriedade. Teve somente o apoio ideológico dos estados do Rio Grande do Sul, Pará, Sergipe, Amazonas e Mato Grosso, com alguns atos de pequena representatividade para o movimento.

A liderança tenentistas da Revolução de 1924 publicou no dia 10/07/1924 um documento público "manifesto", pedindo o afastamento do então presidente Artur Bernardes. Em contrapartida, o presidente da república, Artur Bernardes, articulou uma resposta aos revoltosos. Ele juntou a outra parte do exército leal ao seu governo e mandou bombardear a cidade para retomar o comando, nessa operação o presidente usou aviões bombardeiros.

Sem conseguir se defender do bombardeio terrificante ordenado pelo presidente, estima-se que 1/3 dos revoltosos morreu em batalha, foram feridos gravemente e presos. A capital ficou irreconhecível após os ataques. Como os revoltosos não arquitetaram bem um plano de governo e o movimento não teve apelo popular, no dia 28 de julho de 1924 chegou ao fim a Revolução de 1924.

Jornal, Fim da Revolta Paulista de 1924

Mediante isso, o restante das tropas integrantes da revolução de 1924 fugiram para o sul do Brasil e se uniram ao comando do Luís Carlos Prestes, que mais tarde veio ser o movimento guerrilheiro, conhecido como Coluna Prestes, uma revolta político-militar que ocorreu entre os anos de 1925 e 1927.

Após a revolução de 1930, Getúlio Vargas anistiou todos os militares que compunham a Revolta Paulista de 1924.


Veja também:

O Levante Comunista de 1935