A Taquicardia é caracterizada como um Ritmo Cardíaco Acelerado. Ela se manifesta quando o coração de uma pessoa começa a bater até 400 vezes por minuto.

Quando a taquicardia acontece, o paciente pode apresentar alguns sintomas bem específicos, como fadiga, palpitação, tontura e confusão mental. Esse ritmo cardíaco irregular prejudica o bombeamento do sangue rico em oxigênio para o organismo.

Normalmente, a taquicardia se apresenta nas câmaras cardíacas superiores (taquicardia atrial) ou nas câmaras cardíacas inferiores (taquicardia ventricular).


Como reconhecer uma taquicardia

Dor no peito

Pessoas que já apresentam problemas de coração ou que estão com pressão arterial alta têm mais predisposição a apresentar taquicardia. Além disso, esse problema também pode ocorrer quando o paciente tem doença arterial coronariana, insuficiência cardíaca, doença da tireoide, entre outras patologias.

Em alguns casos, a taquicardia também pode ser resultado de estresse, ingestão excessiva de cafeína ou bebidas alcoólicas e prática de exercícios físicos muito intensos.

Para reconhecer uma taquicardia basta ficar atento aos sintomas, como falta de ar, desmaio, fraqueza, tontura e palpitação. É preciso buscar ajuda médica especializada em qualquer situação de batimentos cardíacos acelerados, principalmente se o paciente já apresenta arritmia ou doença crônica.

Para evitar situações de taquicardia, é importante manter uma vida saudável, com a prática de esportes e uma alimentação adequada. Também é fundamental fazer check-ups médicos com o cardiologista periodicamente e evitar o tabagismo.

Episódios de medo, dor, ansiedade, fobias, esforço excessivo e fortes emoções também podem levar à taquicardia.


Classificações de taquicardia

A taquicardia pode ser classificada em:

  • Taquicardia sinusal: tem origem no nó sinusal, que são células do coração;
  • Taquicardia ventricular: tem origem no ventrículo, parte de baixo do coração;
  • Taquicardia atrial: tem origem no átrio, parte de cima do coração.

O exame recomendado para diagnosticar taquicardia é o eletrocardiograma, que pode ser combinado a exames de sangue, ecocardiograma e angiografia coronária. O médico cardiologista indicará o melhor procedimento de diagnóstico.

De uma forma geral, em situações em que o músculo cardíaco ultrapassa 100 batimentos por minuto, já é constatado um quadro de taquicardia. Esse problema pode levar à formação de coágulos, que têm a capacidade de entupir vasos no organismo, podendo levar, até mesmo, a um episódio de acidente vascular cerebral (AVC), quadro extremamente preocupante e capaz de levar o paciente a óbito.

Se você costuma notar alterações no batimento cardíaco, mesmo quando está em repouso, procure um médico cardiologista para realizar os exames necessários. A prevenção é a melhor escolha para uma vida saudável!

Leia também! Assuntos relevantes