Os Ácidos Nucléicos


 Compartilhar no facebook
 Compartilhar no twitter


Os Ácidos Nucléicos

Por Amara Maria Pedrosa Silva

Existem dois tipos básicos de ácidos nucléicos:

O ÁCIDO DESOXIRRIBONUCLÉICO (DNA) e o ÁCIDO RIBONUCLÉICO (RNA).

Os ácidos nucléicos estão sempre associados a proteínas, constituindo uma nucleoproteína.

São encontrados em todos os seres vivos, entretanto, os vírus possuem apenas um tipo de ácido nucléico, DNA ou RNA. Eles constituem a base química da hereditariedade.

Nas células, o DNA é encontrado quase exclusivamente no núcleo, embora exista também nos cloroplastos e nas mitocôndrias. Tem a função de sintetizar as moléculas de RNA e de transmitir as características genéticas. O DNA se encontra no núcleo celular, compondo o retículo nuclear e os cromossomos; é encontrado também no interior dos plastos e das mitocôndrias. Eles formam os genes, pois no longo código genético de cada DNA, registrado na seqüência de suas bases nitrogenadas, está implícita a programação de um ou mais caráter hereditário. Se o DNA encerra no seu código a programação para um certo caráter, é preciso que ele forme um RNA que transcreva o seu código.

O RNA é encontrado tanto no núcleo como no citoplasma, embora sua função de controle da síntese de proteínas seja exercida exclusivamente no citoplasma. São encontrados no núcleo, formando os nucléolos e no citoplasma, formando os ribossomos.Os RNA são formados modelando-se em moléculas de DNA (transcrição). O RNA, formado no molde do DNA, passa ao citoplasma, levando consigo a mensagem do DNA. No citoplasma ele vai cumprir o seu papel, determinando a síntese de uma proteína (tradução). Essa proteína terá um papel na manifestação do caráter hereditário condicionado pela presença daquele DNA nas células do indivíduo.

Logo, o DNA tem uma função eminentemente genética, mas que só é exercida pela atividade dos RNA, que são sintetizadores de proteínas.

As unidades estruturais de um ácido nucléico são as mesmas, tanto numa bactéria como em um mamífero. Todos os ácidos nucléicos são constituídos de filamentos longos nos quais se sucedem, por polimerização, unidades chamadas nucleotídeos.


Cada nucleotídeo é constituído por um fosfato (P), uma pentose (ribose ou desoxirribose) e uma base nitrogenada (adenina, guanina, citosina, timina ou uracila).

-> O radical fosfato (HPO4) é proveniente do ácido fosfórico.

-> A ose (uma pentose, monossacarídeo com 5 átomos de carbono) é a ribose no RNA, e a desoxirribose no DNA.


As bases são de dois tipos: bases púricas e bases pirimídicas.

-> As bases púricas são a adenina (A) e a guanina (G), ambas encontradas tanto no DNA como no RNA.

-> As bases pirimídicas são a citosina, encontrada no DNA e no RNA; a timina (T), encontrada no DNA; e a uracila (U), encontrada no RNA.


No DNA, encontramos sempre duas cadeias paralelas de nucleotídeos. No RNA, só há uma cadeia de nucleotídeos. As cadeias de ácidos nucléicos são longas e encerram muitas centenas de nucleotídeos. Elas se mostram como filamentos enrolados em trajetória helicoidal. No caso do DNA, especificamente, as bases nitrogenadas se comportam como os degraus de uma escada de corda.

Verificou-se que no DNA a quantidade de adenina é sempre igual à de timina, e a quantidade de guanina é sempre igual à de citosina. Isso porque a adenina está ligada à timina e a guanina se liga à citosina. Essas ligações são feitas por meio de pontes de hidrogênio, duas pontes nas ligações A-T e três pontes nas ligações C-G.

A molécula de DNA tem a forma de uma espiral dupla, assemelhando-se a uma escada retorcida, onde os corrimões seriam formados pelos fosfatos e pentoses e cada degrau seria uma dupla de bases ligadas às pentoses. A seqüência das bases nitrogenadas ao longo da cadeia de polinucleotídeos pode variar, mas a outra cadeia terá de ser complementar.

Se numa das cadeias tivermos: A T C G C T G T A C A T

Na cadeia complementar teremos: T A G C G A C A T G T A


As moléculas de DNA são capazes de se autoduplicar (replicação), originando duas novas moléculas com a mesma seqüência de bases nitrogenadas, onde cada uma delas conserva a metade da cadeia da molécula original.

Pela ação da enzima DNA-polimerase, as pontes de hidrogênio são rompidas e as cadeias de DNA separam-se. Posteriormente, por meio da ação de outra enzima, a DNA-ligase, novas moléculas de nucleotídeos vão-se ligando às moléculas complementares já existentes na cadeia original, seguindo as ligações A-T e C-G.

Dessa forma surgem duas moléculas de DNA, cada uma das quais com uma nova espiral proveniente de uma molécula-mãe desse ácido. Cada uma das duas novas moléculas formadas contém metade do material original. Por esse motivo, o processo recebe o nome de síntese semiconservativa.

A autoduplicação do DNA ocorre sempre que uma célula vai iniciar os processos de divisão celular (mitose ou meiose).


Autor:
Amara Maria Pedrosa Silva

Fonte:
http://www.aprendaki.webcindario.com/textos/citoquimica.htm
Licença: Creative Commons License




Leia também! Assuntos relevantes.

Fernando Henrique Cardoso
Fernando Henrique Cardoso é um influente político e sociólogo brasileiro, filiado e co-fundador do PSDB – Partido da Social Democracia Brasileira. Ele...

Nova lei de internação de usuário de crack
Uma medida polêmica tem dividido opiniões entre especialistas em saúde pública. Uma política de internação compulsória de dependentes de crack tem cha...

A Ordem Monetária Internacional
Outra importante questão decorrente da globalização capitalista, é a da ordem monetária. Para o comércio e as finanças nos blocos econômicos mundiais,...

8 de março | Dia Internacional da Mulher
8 de março - Dia Internacional da Mulher: em busca da memória perdida SOF - Sempreviva Organização Feminista A referência histórica principal das or...

Química Moderna
- Até o final do século XIX os cientistas acumulam conhecimentos sobre as propriedades físicas e químicas das diferentes substâncias. Conhecem o peso ...

Internacionalização
Desde o momento em que o ser humano começou a se organizar quanto à forma de produção, o processo de internacionalização passou a avançar. Com a f...

Fernando Pessoa
Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa, no dia 13 de Junho de 1888. Ele foi um talentoso escritor e poeta, que marcou gerações com seus poe...

Combustíveis alternativos
Na década de 70, quando a crise do petróleo batia às portas do mercado internacional, a EMBRATEL, então estatal, preocupava-se em obter um combustível...

Ciência e jornalismo por trás da cortina de fumaça
Por Mauro Celso Destácio Bomba atômica e penicilina: o que duas coisas tão díspares têm em comum? Uma destrói, a outra cura. A primeira é a imagem da...

Jean Bernard Léon Foucault (1819 - 1868)
Pequeno, franzino, com olhos desiguais afetados por ligeiro estrabismo. Assim era o francês Jean Bernard León Foucault, um dos maiores nomes da histór...

Fale Conosco | Feed / RSS | Google + | Twitter |

Novos assuntos sobre educação no seu e-mail

Site destinado a educação, estudos, informação e pesquisa escolar. Não incentivamos a prática de trabalhos escolares prontos.

Somos um veículo de comunicação. Não compactuamos com nenhuma opinião sobre nenhum tema.

Cópia ou reprodução de conteúdo somente se citada a fonte.

© 2015 - Grupo Escolar - Todos direitos reservados