Guerra do Contestado (1912 - 1916)

A Guerra do Contestado ocorreu entre outubro de 1912 e agosto de 1916. Foi um conflito armado que envolveu os governos estadual e federal do Brasil e a população cabocla que vivia no sul do país.

A guerra se deu em uma região que era referência na época para a plantação de erva-mate e madeira. Nesse território, havia uma disputa entre os estados do Paraná e Santa Catarina.

As principais causas da Guerra do Contestado foram: posse de terras, problemas sociais e fanatismo religioso, que se fazia presente por meio do messianismo.


Informações importantes sobre a Guerra do Contestado

Os caboclos se revoltaram contra os governantes e decidiram iniciar aquilo que chamaram de guerra santa. O conflito começou exatamente no dia 22 de outubro de 1912, como uma verdadeira disputa pela região chamada de “Contestado”, situada entre Paraná e Santa Catarina.

Atiradores

O messianismo foi uma das principais características dessa guerra. Os caboclos também lutavam contra a concentração de terras e a exploração internacional da área do Contestado, que foi imposta à população após a contratação de uma empresa estrangeira para construir uma estrada de ferro na região.

Camponeses

O construtor internacional contratou a mão de obra dos camponeses, mas, ao final do projeto, todos os trabalhadores foram demitidos e expulsos do Contestado. Nesse mesmo período, outra empresa estrangeira abriu uma madeireira na região.

Sem trabalho e expulsos de sua própria terra, os camponeses passaram a seguir o messias José Maria, o homem que foi o líder religioso da Guerra do Contestado. O grupo lutava contra a doação de terras que o governo brasileiro havia feito à empresa Southern Brazil Lumber & Colonization Company.

José Maria
José Maria

A guerra teve uma característica social e política e colocou os habitantes nativos do Contestado contra o governo e as multinacionais. O grupo do líder religioso José Maria foi violentamente reprimido. Uma das batalhas mais marcantes dessa guerra aconteceu em novembro de 1912 e foi batizada de Batalha de Irani. Neste conflito, o líder do movimento José Maria acabou morto, o que tornou a guerra civil ainda mais intensa e violenta.

Assista:

O governo foi obrigado a enviar um grande contingente de soldados com fuzis, aviões, canhões e metralhadoras para conter a guerra. Ao final do conflito, os camponeses que participaram da revolta foram capturados e mortos. Apesar de ter saído vitorioso do conflito, o governo brasileiro teve que encarar uma forte resistência dos populares, que lutaram de forma contundente até serem derrotados.

Leia também! Assuntos relevantes