Padre Antonio Vieira (1608-1697)

O Padre Antonio Vieira foi um jesuíta nascido em 6 de fevereiro de 1608, em Lisboa. Ele se destacou como um dos mais influentes homens de seu século no cenário político português.

Em 1609, seu pai se mudou para o Brasil onde assumiu um cargo de escrivão em Salvador. Já em 1614, ele resolveu trazer toda a família para o Brasil, quando Antônio Vieira tinha apenas 6 anos de idade.

Antônio estudou na escola de jesuítas de Salvador, juntando-se a Companhia de Jesus como noviço em maio de 1623.

Em 1624, quando os holandeses invadiram a Bahia, Vieira se refugiou no interior, onde começou seus impulsos missionários. Um ano depois tomou os votos de castidade, pobreza e obediência, abandonando o noviciado.

Com 15 anos de idade, Antônio entra para a Companhia de Jesus, onde formou-se noviço em 1926. Neste período, Antônio pode estudar com profundidade, teologia, física, metafísica, economia, matemática e lógica. O que lhe deu bagagem suficiente para dar aulas de humanas e retórica na cidade de Olinda. Antônio Vieira foi ordenado ao sacerdócio no ano de 1634.

Padre Antonio Vieira

Padre Antonio Vieira estudou teologia, lógica, física, metafísica, matemática e economia. Em 1634, após ter sido professor de retórica em Olinda, ele se ordenou.

Em 1641 ele começou uma carreira com diplomacia de Portugal. Vieira sempre foi defensor dos judeus. Antônio Vieira fez parte da comissão de apoio ao rei Dom João 4º e por isso voltou a Portugal aos 33 anos de idade, nesse momento da história Portugal passava por um momento delicado devido a guerra de Restauração da Coroa contra os Espanhóis, entretanto, haviam outros conflitos com outros países, como: Inglaterra, França e Holanda. No ano de 1643, a mando do rei Dom João 4º, o Padre Vieira foi responsável por um papel importantíssimo na história do país, acabou sendo responsável pelas negociações de reconquistas de algumas colônias portuguesas, a ideia era trazer paz a Portugal e Holanda, dando em troca a província de Pernambuco para os holandeses como se fosse uma indenização, porém, deveria ser reunido em Portugal os novos cristãos, ou seja, os judeus que haviam se espalhado pela Europa, Portugal protegê-los-ia da Inquisição desde que, investissem no Império Português. Em 1644 ele deixou Portugal como embaixador para negociar com a Holanda a devolução do Nordeste brasileiro à coroa portuguesa.

Outro ponto importante a respeito de Padre Antônio Vieira era o fato de ser um escritor muito produtivo do período barroco, chegou a escrever 200 sermões onde se destaca o Sermão da Sexagésima e mais profecias e quinhentas cartas reunidas no livro Chave dos Profetas.

No ano de 1661 a vida do padre teve uma reviravolta, acabou sendo obrigado a deixar o estado do Maranhão devido a sua posição contra os senhores de escravos referindo-se a escravatura dos indígenas, acabou voltando para Lisboa, onde seus escritos acabaram sendo considerados como heréticos pela santa Inquisição, passou dois anos preso, de 1665 a 1667 em Coimbra pelos livros: Quinto Império, Chave dos Profetas e História do Futuro.

A Inquisição chegou a prender o padre Antonio Vieira, mas ele não ficou muito tempo preso. Em 1675 ele foi absolvido totalmente pela Inquisição.

No começo de 1681 volta ao Brasil para pregar. Vieira morreu em 17 de junho de 1697.

Ele deixou uma obra complexa que exprime suas opiniões políticas. Dedicou-se completamente a literatura até o dia de seu falecimento aos 89 anos no estado da Bahia.